• Enviar esta página
  • Imprimir esta página

Paraguai: detidas do Buen Pastor recebem certificados e carteiras de artesãs

01-02-2013 Reportagem

Dezoito mulheres privadas de liberdade receberam certificados e carteiras de artesãs, que as habilita para exercer esse ofício, em uma cerimônia de encerramento realizada nesta sexta-feira, 1º de fevereiro, no centro de detenção do Buen Pastor, em Assunção, Paraguai. As detidas participam de uma iniciativa do CICV, da Cruz Vermelha Paraguaia e do Instituto Paraguaio de Artesanato (IPA).

Mercedes Flores Mareco, de 30 anos, recebeu o certificado de artesã depois de participar da iniciativa durante um ano. Para ela, é uma conquista muito importante: aprendeu algo novo, ajuda a família e tem uma atividade que a distraia.

“Agora tenho o meu sabonete, o meu xampu, a minha comida. Dou dinheiro aos meus filhos e à minha mãe quando eles vêm me visitar e também poupo um pouco para poder começar de novo quando sair daqui. Estou muito feliz comigo mesma. Agora me valorizo, porque sou capaz de fazer muitas coisas lindas para seguir adiante”, afirma Mercedes.

O projeto “Fortalecimento da Associação de Mulheres Privadas de Liberdade do Buen Pastor” capacita as detidas para gerar renda, melhorar suas condições de vida e, como consequência, fortalecer sua dignidade. Além disso, ajuda a que se reintegrem à sociedade. O CICV e a Cruz Vermelha Paraguaia oferecem apoio material e técnico, com cursos de artesanato e oficinas de gestão, desenvolvimento pessoal e cooperativismo, entre outros.

Kuña Katupyry (“mulher empreendedora” em guarani) é como se denominam essas artesãs, que se associaram desde o ano de 2009. Atualmente, 24 mulheres participam do programa. Mais de 35 já se formaram em quatro anos.

“O projeto as ajuda a se valorizarem, pois percebem que podem seguir adiante por si mesmas”, conta a professora Rocío Rojas, do IPA. Rocío dá aulas de duas horas, quatro vezes por semana, no Buen Pastor, onde as detidas contam com uma sala especial para realizar o seu trabalho. As mulheres recebem treinamento em corte e confecção com o apoio do Serviço Nacional de Promoção Profissional (SNPP), treinamento em técnicas de crochê, Ao Po’i, ponto cruz, renda Yu e Ñandutí.

A base da Kuña Katupyry é a produção e a comercialização de artesanatos gerados pelas detidas da penitenciária. A responsável de Proteção do CICV, Roberta Bonfim, lembra que muitas vezes as detidas não contam com artigos de higiene e limpeza suficientes. Ademais, a privação de liberdade também afeta o lado emocional dessas mulheres. “O CICV tenta garantir que elas tenham condições de saúde física e mental dentro do presídio”, afirma Bonfim. “Por isso, o projeto visa fortalecer essas mulheres, dando-lhes uma oportunidade para desenvolver uma profissão que, além de proporcionar-lhes recursos para atender às suas necessidades básicas dentro do centro de detenção e para ajudar aos seus familiares, lhes servirá no futuro para quando saiam em liberdade.”

Os produtos criados pelas detidas são comercializados pelos seus familiares e conhecidos, assim como em feiras no Paraguai e no exterior, como aconteceu em 2012, na Feira Internacional de Negócios de Artesanato (Finnar), em Brasília. A matéria-prima para a confecção dos artesanatos é fornecida pela Cruz Vermelha Paraguaia e pelo CICV. Com o que é arrecadado com a venda dos produtos que fabricam, as mulheres ajudam economicamente as suas famílias e financiam o seu sustento diário.


Foto

Dezoito mulheres detidas que participam de um projeto do CICV com a Cruz Vermelha Paraguaia e o Instituto Paraguaio de Artesanato (IPA) recebem certificados e carteiras de artesãs no centro de detenção do Buen Pastor em Assunção, Paraguai. 

Dezoito mulheres detidas que participam de um projeto do CICV com a Cruz Vermelha Paraguaia e o Instituto Paraguaio de Artesanato (IPA) recebem certificados e carteiras de artesãs no centro de detenção do Buen Pastor em Assunção, Paraguai.
© CICV / L. Vera

O projeto ajuda as detidas a melhorarem as suas condições de vida e, como consequência, fortalece a sua dignidade. 

O projeto ajuda as detidas a melhorarem as suas condições de vida e, como consequência, fortalece a sua dignidade.
© CICV / L. Vera

Uma detida recebe o certificado do projeto, que oferece cursos de artesanato e oficinas de gestão, desenvolvimento pessoal e cooperativismo para as detidas no presídio de Buen Pastor, no Paraguai. 

Uma detida recebe o certificado do projeto, que oferece cursos de artesanato e oficinas de gestão, desenvolvimento pessoal e cooperativismo para as detidas no presídio de Buen Pastor, no Paraguai.
© CICV / L. Vera