• Enviar esta página
  • Imprimir esta página

Os membros do CICV

08-01-2014

A Assembleia é o órgão máximo diretivo do CICV. Supervisiona todas as atividades do CICV. Formula a política a ser seguida, define os objetivos gerais e a estratégia institucional, e aprova o orçamento e as contas. Nomeia os diretores e o chefe da Auditoria Interna. Composta por 15 a 25 membros de nacionalidade suíça, a Assembleia tem caráter de colegiado. O seu presidente e o vice-presidente são o presidente e o vice-presidente do CICV.

>>Leia também O presidente e o vice-presidente do CICV

 

 

 
Daniel Thürer 

Daniel Thürer
© CICV

 

Daniel Thürer, nascido em 1945, é titular da cadeira de Direito Europeu e Internacional, como também da disciplina de Direito Constitucional e Direito Constitucional Comparativo na Universidade de Zurique. Graduou-se pela Universidade de Zurique (1970), fez o Mestrado na Universidade de Cambridge (1970) e o Doutorado na Universidade de Zurque (1974). Foi pesquisador do Instituto Max Planck de Direito Público Comparativo e Direito Internacional Público, em Heidelberg, de 1976 a 1979, e professor visitante na Faculdade de Direito de Harvard de 1979 a 1981. Foi assessor jurídico do governo de um cantão suíço entre 1981 e 1983 e tornou-se professor na Universidade de Zurique em 1983. Daniel Thürer também é membro do Comitê Internacional da Cruz Vermelha e membro da Comissão Européia contra o Racismo e a Intolerância (CERI). Também é membro suplente do Tribunal de Conciliação e Arbitragem da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa.
 

Daniel Thürer é co-fundador do “Europa Institut Zürich” e membro dos conselhos de editores da “Revue de Droit Suisse”, da “Revue Suisse de Droit International et de Droit Européen” e da “Archiv des Völkerrechts”. Publicou muitos artigos no campo do Direito público, internacional e europeu.

Ele foi eleito para a Assembleia em 1991.

 

 

 

Yves Sandoz 

Yves Sandoz
© CICV

 

Yves Sandoz, nascido em 1944, é Bacharel e Doutor em Direito pela Universidade de Neuchâtel.
 

De 1968 a 1973, realizou diversas missões para o CICV na Nigéria, Israel e os territórios ocupados, Jordânia, Líbano, Bangladesh e Iêmen do Sul, entre outros. Escreveu sua tese de doutorado e foi o encarregado de editar a nova edição de um comentário sobre o código penal suíço.
 

Em 1975, Yves Sandoz integrou o CICV, onde permaneceu até 2000, inicialmente como membro da Divisão Jurídica e mais tarde como Diretor da área de Direito Internacional e Política, cargo que exerceu durante 18 anos. Neste período, atuou também no mundo acadêmico, dando cursos em diversas universidades e instituições de estudos superiores, organizando seminários e escrevendo numerosas publicações.
 

Após deixar o CICV, Yves Sandoz decidiu fundar o Centro Universitário de Direito Humanitário Internacional em Genebra, servindo posteriormente na diretoria provisória do Centro. Desde 2002, lecionou o curso geral de direito humanitário no programa de Mestrado do Centro e um curso semestral sobre o mesmo assunto na Universidade de Friburgo. Na atualidade, dá um seminário de três dias no Collège d’Europe em Bruges e trabalha com muitas outras universidades e instituições de estudos superiores. 

Participa freqüentemente de seminários e reuniões de especialistas nas áreas de direito internacional geral, direito penal internacional e principalmente de direito internacional humanitário.
 

Yves Sandoz foi eleito para o Comitê em outubro de 2002 e integra a Comissão de Monitoramento. Também é membro do Instituto Internacional de Direitos Humanos, do Instituto Internacional de Direito Humanitário e de várias associações de direito internacional. Ele é autor de numerosas publicações, principalmente na área de direito internacional humanitário.

 

  

Paola Ghillani 

Paola Ghillani
© CICV

 

Paola Ghillani nasceu em 1963. Farmacêutica de profissão, começou sua carreira com a Ciba/Novartis no setor farmacêutico. Depois de passar vários anos na área de gestão multinacional, ela foi feita CEO da Fundação Max Havelaar – uma organização de Comércio Justo - em 1999. Nesse período, foi nomeada membro do Conselho da FLO ( Fairtrade Labelling Organizations ) Internacional e, mais tarde, de 2001 a 2004, foi eleita Presidente do Conselho da FLO. Paola Ghillani é Membro do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) desde 2005. Serve também em conselhos de diversas organizações como fundos éticos de investimentos entre outras.
 

Em 1o. de setembro de 2005, Paola Ghillani fundou sua própria empresa, Paola Ghillani & Friends Ltd. , uma organização que atua nas áreas de estratégia corporativa e consultoria de gestão e em promover e implementar o desenvolvimento sustentável e a ética nos negócios. É uma filosofia, mais do que uma companhia, com a visão de “ Um mundo melhor através da economia ”.
 

Paola Ghillani se formou em farmácia pela Universidade de Lausanne na Suíça e concluiu sua formação na área empresarial, obtendo um mestrado em Administração Geral Internacional pela Escola de Administração IMD em Lausanne, onde ela também cursou o Programa Internacional de Gestão de Conselhos. Entre suas tantas realizações, Paola Ghillani recebeu o título de Líder Global do Amanhã (GLT) no Fórum Econômico Mundial de Davos na Suíça em 2000.

 

 

 

Bernard G.R. Daniel 

Bernard G.R. Daniel
© CICV

 

Bernard G.R. Daniel nasceu em 1944. Depois de se graduar em Direito pela Universidade de Genebra, continuou sua educação no IMD em Lausanne ( Executive Development Programme and International Seminar for Board Members ).
 

Daniel entrou para o Comitê Internacional da Cruz Vermelha em 1967 durante o conflito árabe-israelense conhecido como " Guerra dos Seis Dias " . De 1967 a 1972 realizou várias missões no Oriente Médio (Iêmen, Iraque e Irã), assim como no Sudeste Asiático (Indonésia, Filipinas, Malásia, Cingapura, Vietnam e Camboja) e Bangladesh. Abriu a primeira delegação regional do CICV no Sudeste As iático na Malásia.
 

De volta à Suíça em 1973, Daniel entrou para o Grupo Nestlé, onde trabalhou como Secretário do Conselho Administrativo e Secretário Geral de 1987 a 2007. Durante essa época também se tornou membro do International Security Management Association (EUA) e participou dos procedimentos para o grupo de trabalho da Mesa Redonda Europeia de Industriais (Bruxelas). Daniel também contribuiu para as deliberações do Centro para Estudos Políticos Europeus (Bruxelas) na área de governo corporativo e é membro do International Corporate Governance Network (ICGN, Londres).
 

Muito comprometido com a vida econômica, social, cultural e política de seu ambiente, Daniel trabalhou em várias conselhos de fundação e administração de instituições públicas e privadas. Além disso, é membro fundador da Fundação " RODEO " ( Rotary Demining Operation ). Tornou-se membro do CICV em abril de 2009.

 

 

 

 

Rolf Soiron 

Rolf Soiron
© CICV

 

Rolf Soiron nasceu perto de Frankfurt, em 1945. Tem um doutorado em História e um PMD da Harvard Business School. É especialista em administração de empresas. Ao longo de sua carreira internacional, ocupou vários cargos de administração de empresas em, por exemplo, gestão de recursos humanos, administração financeira, gestão operacional e planejamento estratégico. Trabalhou na indústria farmacêutica e química, assim como nas áreas de engenharia médica, construção e finanças. Sua carreira o levou a ocupar cargos de responsabilidade nos mais elevados níveis das empresas e lhe permitiu obter uma grande experiência em governança corporativa, como presidente de conselhos de administração da Holcim, Lonza e Nobel Biocare.
 

Paralelamente a sua carreira no setor privado, Soiron desempenhou um papel ativo na vida pública como membro do Conselho Comunitário Riehen e no Grande Conselho do Cantão da Cidade da Basileia. Durante dez anos foi Presidente do Conselho da Universidade de Basel. É o atual presidente de Avenir Suisse.
 

Foi eleito membro do Comitê Internacional da Cruz Vermelha em 2009.  

 

  

 

 

© ICRC

 

François Bugnion, nasceu em 1945. Bacharel em Artes e doutor em Ciências Políticas, é consultor independente de Direito Internacional Humanitário (DIH) e em ação humanitária.

Entrou para o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) em 1970 e trabalhou na instituição como delegado em Israel e territórios ocupados, Bangladesh, Turquia e Chipre, e depois como chefe de missão no Chade, Vietnã e Camboja. De 2000 a 2006, foi diretor de Direito Internacional e Cooperação no CICV.

Bugnion tem mais de 50 publicações, entre artigos e livros sobre DIH e, em particular, sobre a história da Cruz Vermelha, do Comitê Internacional da Cruz Vermelha e a Proteção das vítimas de guerra.

 

 

 

 

 

 

© ICRC

 

Bruno Staffelbach nasceu em 1957 e é professor de Administração de Empresas e Gestão de Recursos Humanos na Universidade de Zurique desde 1992. Tem um mestrado em Economia, um doutorado em Administração de Empresas e um pós-doutorado em Qualificação em Gestão e Ética pela Universidade de Zurique. Foi professor da Universidade de Friburgo e da Universidade de Ciências Aplicadas de Lucerna. De 1992 a 2000, foi diretor do programa de educação executiva e até 2010 foi chefe do Instituto de Estratégia e Economia para Gestão Empresarial, ambos na Universidade de Zurique.

Além da sua carreira na comunidade acadêmica, Bruno Staffelbach serviu como comandante e oficial de diversos níveis nas forças armadas suíças. De 2004 a 2008, foi Brigadeiro General e comandou uma brigada de infantaria.

Staffelbach é director em inúmeras organizações. É vice-presidente do Conselho Universitário da Universidade de Lucerna e ex-presidente do MBA Executivo da Universidade de Zurique. 

Foi eleito para a Assembleia em 2010.

 

  

  

 

Jürg Kesselring 

Jürg Kesselring
© CICV

 

Jürg Kesselring nasceu em 1951. É Chefe do Departamento de Neurologia e Neurorreabilitação no Centro de Reabilitação em Valens, Suíça. Professor de Neurologia Clínica e  Neurorreabilitação na Universidade de Berna e no Centro de Neurociência da Universidade e ETH de Zurique. Presidente da Sociedade Suíça de Esclerose Múltipla. Ex-Presidente do Conselho Médico-Científico Internacional da Federação Internacional de Esclerose Múltipla (MSIF). Presidente do Grupo de Trabalho sobre Esclerose Múltipla da OMS. Ex-delegado-médico do CICV no Líbano, Paquistão e Zaire.

Ele foi eleito para a Assembleia em 2011.

 

 

Mauro Arrigoni 

Mauro Arrigoni
© CICV

Mauro Arrigoni nasceu em é 1952. É Ph.D. em matemática pela Universidade de Zurique. Depois de se formar em 1980, seguiu a carreira acadêmica em matemática e física no cantão suíço de Ticino e no México. É autor de muitos trabalhos científicos sobre modelos matemáticos em biologia e fundador da publicação científica Il Volteriano. Desde 2007, é diretor de uma escola de nível médio em Mendrisio, Suíça. Desde 1997 também atua em missões de observação eleitoral na Bósnia-Herzegovina, Moldávia, Kosovo, Sérvia, Albânia, Azerbaijão, Gaza, República Democrática do Congo, Ruanda, Togo e Nicarágua.

Foi eleito para a Assembleia em 2012.

 

 

 

 

Thierry Lombard 

Thierry Lombard
© CICV

Thierry Lombard nasceu em 1948 e é formado em economia pela Universidade de Genebra. Entrou para a Lombard Odier & Cie em 1972 e se tornou sócio-gerente em 1982. Depois de assumir muitas responsabilidades dentro da Lombard Odier, onde representa a sexta geração, foi sócio-sênior de 1995 a 2008. Hoje está envolvido com o desenvolvimento de estratégias de investimento temático assim como novas habilidades e produtos dentro da Lombard Odier Investment Managers. Também é responsável pelo Departamento de Comunicação e Gestão de Recursos Humanos na Lombard Odier, onde preside as fundações de pensão da equipe. É presidente da diretoria da Rede Internacional de Negócios Familiares (Family Business Network International). Além disso, atua em diversas fundações médicas, ambientais e humanitárias. Em particular, preside a Fundação para o Comitê Internacional da Cruz Vermelha.

Foi eleito para a Assembleia em 2012.

 

 

 

Melchiorde  Muralt 

Melchiorde Muralt
© CICV

Melchior de Muralt nasceu em 1960 e é Ph.D. em ciências políticas pela Universidade de Lausanne. Em 1988, entrou para a Lombard Odier & Cie, onde se empenhou em promover a Fundação Ethos para o Desenvolvimento Sustentável. Em 2001, tornou-se sócio na empresa de gestão de ativos Pury Pictet Turrettini & Cie. Ao mesmo tempo, ajudou a criar a Blue Orchard Finance, uma empresa especializada em gestão de fundos de investimento dedicados à indústria de microfinança, onde atualmente é o vice-presidente da diretoria. Também é o presidente da Cadmos Fund Management e da Guilé Engagement Funds, as quais são líderes em investimento em responsabilidade social baseado nos princípios com Pacto Global das Nações Unidas, e preside o Fórum Mundial de Microfinanças em Genebra.

Foi eleito para a Assembleia em 2012.

 

 

 

Hugo Banziger 

Hugo Banziger
© CICV

Hugo Bänziger nasceu em 1956. Estudou História Contemporânea, Direito Constitucional e Economia na Universidade de Berna, concluindo seu doutorado com uma tese sobre História Bancária.

Atualmente, é presidente da Diretoria do EUREX, o principal mercado europeu de futuros financeiros e opções de negócio. Nos 16 anos anteriores, trabalhou para o Deutsche Bank, exercendo a função de analista-chefe de riscos no Conselho de Administração do banco nos últimos seis anos (2006 a 2012). Neste cargo foi responsável por Gestão de Riscos, Finanças, Planejamento de Capital, Assuntos Jurídicos & Observância, Política Regulatória, Segurança Corporativa e Continuidade Empresarial.
Além de trabalhar no setor privado, foi também presidente do Painel Consultivo do Comitê de Supervisores dos Bancos Europeus, entre 2007 e 2010; co-presidente da Força Tarefa para Maior Transparência da Diretoria de Estabilidade Financeira, em 2012, e membro do Grupo de Especialistas de Alto Nível para a Reforma Estrutural no Setor Bancário (Liikanen Group).

Hugo Bänziger iniciou sua carreira em 1983 na Comissão Federal Bancária da Suíça em Berna, a autoridade suíça de supervisão dos bancos. Posteriomente, trabalhou no Credit Suisse em distintos postos em Zurique e Londres de 1985 a 1996.
Outros interesses compreendem o trabalho beneficiente para a Fundação John D V Salvador, que atua com crianças de rua e onde ele exerce a função de tesoureiro, e o ensino como professor visitante na London School of Economics e o Instituto Lee Kwan Yew para Políticas Públicas de Singapura.

Foi eleito para a Assembleia do CICV em 2012.

 

 

 

Jacques Chapuis 

Jacques Chapuis
© CICV

Jacques Chapuis nasceu em 1957 em Aubonne, Suíça. Após estudar em Lausanne, formou-se como enfermeiro psiquiátrico em 1979 e posteriormente como anestesista e especialista em ressucitação em 1984. Entre 1986 e 1987, trabalhou como administrador médico para o CICV no Paquistão (Peshawar e Quetta), supervisionando cirurgias de guerra em vários hospitais e postos de primeiros socorros na fronteira entre Afeganistão e Paquistão.

Em 1988, foi designado clínico-chefe e diretor de treinamento para anestesia e ressucitação do Hospital Le Samaritain em Vevey, Suíça. Aficionado por técnicas de salvamento de vidas, organizou conferências regulares sobre esta especialidade e participou da diretoria de vários órgãos profissionais, incluindo a Associação Suíça de Enfermagem.

Em 1991, iniciou a docência na Escola de Enfermagem de Bois-Cerf em Lausanne, dando aulas também sobre História do Direito Internacional Humanitário. Em seu próprio tempo, concluiu um mestrado em Educação na Universidade de Genebra em 2000 e uma especialização em Administração em Lausanne em 2005.

Em 1998, tornou-se chefe da Escola Bois-Cerf, tendo fundado em paralelo o colégio de paramédicos de Bois-Cerf. Desde 2006, administra o Instituto La Source e a Faculdade de Ciência da Saúde Aplicada, que faz parte da rede HES-SO de faculdades especializadas no oeste da Suíça. Fundada em 1859, mesmo ano que a Batalha de Solferino, La Source foi a primeira escola laica no mundo.

Jacques Chapuis é vice-presidente da Secretaria Internacional de Enfermeiros do mundo francófono (SIDIIEF), com sede em Montreal. É também membro da Fundação Nant, que presta atendimento psiquiátrico em Vaud ocidental, Suíça.

Foi eleito para a Assembleia do CICV em 2012.

 

 

 

Alexis Keller 

Alexis Keller
© CICV

Alexis Keller nasceu em 1962. Atualmente é professor de História Jurídica e Teoria Jurídica na Faculdade de Direito (Universidade de Genebra) e professor visitante na Sciences Po (Paris). Estudou nas Universidades de Genebra e Cambridge e é membro do Centro Carr de Políticas de Direitos Humanos da Kennedy School of Governance da Universidade de Harvard.

Entre 2002 e 2004, participou ativamente das negociações entre israelenses e palestinos que levaram à Iniciativa de Genebra. Em abril de 2003, o Ministro de Assuntos Exteriores da Suíça designou-o representante especial para o processo de paz no Oriente Médio. Manteve este cargo até 2004.

Escreveu livros e inúmeros artigos sobre a história jurídica, teoria jurídica e história so pensamento europeu. Recebeu um doutorado honorário da Universidade de Paris (2005). Em 2002, recebeu o Prêmio Latsis. Pelos seus esforços na promoção da paz no Oriente Médio, ganhou, em 2004, o Prêmio Condorcet-Raymond Aron e o Prêmio Sean MacBride.

Alexis Keller é membro de diversas sociedades acadêmicas e institutos de pesquisa na Europa e Estados Unidos. É presidente da fundação que administra a Faculdade de Teologia da Universidade de Genebra, membro da Diretoria da Fundação Pro Victimis e membro do Órgão Consultivo do Centro Internacional para Justiça de Transição.

Foi eleito para a Assembleia do CICV em 2012.

 

 

 

 

Doris Schopper 

Doris Schopper
© CICV

Doris Schopper nasceu em 1954. Obteve o diploma de médica pela Universidade de Genebra em 1978; especializou-se em medicina interna, em 1986, e concluiu o doutorado em saúde pública na Escola de Saúde Pública de Harvard em 1982. Entre 1982 e 1990, trabalhou no terreno com Médicos Sem Fronteiras (MSF). Foi presidente da filial suíça do MSF de 1991 a 1998. Durante este período, foi presidente do Conselho Internacional do MSF, elaborando políticas para a organização. Em 2001, recebeu a incumbência de estabelecer um órgão independente de verificação da ética para o MSF International. É a presidente deste órgão desde então, supervisionando a verificação da ética nas propostas de pesquisa do MSF e assessorando sobre as questões respectivas.

Trabalhou como conselheira para políticas de saúde no Programa Global para Aids na sede da OMS em Genebra de 1992 a 1995. Além disso, foi conselheira sênior para políticas de saúde no Instituto Tropical Suíço por dois anos e elaborou diversas políticas e estratégias para a OMS. Foi também responsável pelo desenvolvimento de políticas e estratégias de saúde pública nos âmbitos nacional e regional na Suíça.

Doris Schopper é professora da Faculdade de Medicina na Universidade de Genebra e diretora do Centro para Educação e Pesquisa da Ação Humanitária desde julho de 2011.

Foi eleita para a Assembleia do CICV em 2012.


Heidi Tagliavini 

© CICV

Heidi Tagliavini nasceu em 1950 na Basileia, Suíça. Concluiu os seus estudos em filologia em Genebra e em Moscou e tem dois doutorados honorários das universidades da Basileia e de Berna.

Diplomata de carreira por mais de 30 anos, a suíça Heidi Tagliavini entrou para o Departamento Federal de Relações Exteriores em 1982. Depois de diversas missões em diplomacia bilateral (em Berna, Lima, Moscou e Haia), trabalho principalmente em missões de resolução de conflitos e de manutenção de paz, assim como na promoção de instituições democráticas e de direitos humanos para organizações regionais e internacionais. Isso inclui as Nações Unidas (ONU), a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) e a União Europeia (UE).

Em 1995, em meio à guerra na Tchetchênia, Heidi Tagliavini foi enviada em missão com o primeiro Grupo de Assistência da OSCE à república. Em 1998, foi indicada Embaixadora para atuar como Adjunta ao Representante Especial da Secretaria Geral da ONU na Geórgia. Esta função se referia ao conflito em Abkhazia. Em 2000, a Presidente em exercício da OSCE, de nacionalidade austríaca, a indicou como sua Representante Pessoal para missões no Cáucaso.

De 2001 a 2002, foi Embaixadora suíça na Bósnia e Herzegovina. Posteriormente, e ainda em 2002, o então Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan, a indicou como sua Representante Especial e Chefe da Missão de Observação das Nações Unidas na Geórgia. Durante quatro anos ocupou este cargo. Ao retornar ao Ministério de Relações Exteriores da Suíça, no final de 2006, foi Diretora Adjunta de Política e Secretária Adjunta de Estado.

O Conselho de Ministros da União Europeia indicou a Embaixadora Tagliavini em dezembro de 2008 como Chefe da Missão de Inquérito Internacional Independente para o Conflito na Geórgia, que lançou o Relatório sobre o Conflito na Geórgia, a pedido da EU, em setembro do ano seguinte.

Entre 2009 e 2013, Heidi Tagliavini foi enviada ao Escritório da OSCE para Instituições Democráticas e Direitos Humanos para chefiar as missões observação de eleições em diversas eleições presidenciais e parlamentares na Ucrânia, na Federação Russa e na Armênia.