Página arquivada:pode conter informações antigas
  • Enviar esta página
  • Imprimir esta página

Síria: CICV faz apelo urgente às partes beligerantes que respeitem os civis

26-11-2012 Comunicado de imprensa 12/230

Genebra/Damasco (CICV) – O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) está alarmado com a forma como as partes em conflito conduzem as hostilidades na Síria. “Os beligerantes dão pouca atenção ao sofrimento da população”, disse o diretor de operações do CICV, Pierre Krähenbühl.

“Quase 20 meses de enfrentamentos incessantes resultaram em enorme destruição, deslocamento de famílias inteiras, milhares de vítimas e refugiados e um número cada vez maior de civis que lutam para ter acesso às necessidades básicas como comida, água e assistência médica”, continuou Krähenbühl. A situação humanitária na Síria está piorando dia a dia e as necessidades das pessoas comuns continuam crescendo.

“À medida que os confrontos escalam, causando um grande número de vítimas civis, instamos com veemência todas as partes envolvidas no conflito a tomarem medidas imediatas para cumprir integralmente com o Direito Internacional Humanitário, também conhecido como Direito do Conflito Armado”, continuou. Essas regras e princípios se aplicam a todas as partes envolvidas no conflito armado na Síria e impõem restrições aos meios e métodos de guerra que estas podem usar. O CICV lhes recordou diversas vezes que eles devem distinguir sempre entre os civis e as pessoas que participam diretamente do confronto.

As famílias afetadas enfrentam o luto e o desespero à medida que aumentam a insegurança e a incerteza generalizada quanto ao seu futuro. Os meios de subsistência foram destruídos, os padrões de saúde caíram, é cada vez mais difícil obter alimentos básicos e muitas crianças deixaram de ir à escola. Vários espaços públicos se transformaram em abrigos improvisados. Nos últimos meses, centenas de milhares de homens, mulheres e crianças fugiram das suas casas como consequência do conflito. Muitos tiveram de atravessar fronteiras nacionais em busca de segurança e encontraram refúgio nos países vizinhos.

O CICV reitera que segundo o Direito Internacional Humanitário, os ataques só podem ser dirigidos a objetivos militares e não contra civis ou contra bens civis, como lares, escolas, estabelecimentos e veículos médicos, abrigos comunitários ou lugares religiosos. O Direito Internacional Humanitário também estipula a proteção da população civil e daqueles que não participam ou deixaram de participar das hostilidades, como os doentes, os feridos e aqueles que foram detidos, os quais devem ser tratados com dignidade sempre.

“Em um momento em que as necessidades humanitárias são cada vez mais agudas, o CICV apela mais uma vez a todos os portadores de armas que respeitem os funcionários das organizações humanitárias”, acrescentou Krähenbühl. A dura realidade é que seis voluntários do Crescente Vermelho Árabe Sírio foram mortos em serviço desde o início da violência. “O objetivo do Crescente Vermelho e da Cruz Vermelha é salvar vidas e levar assistência a todas as pessoas necessitadas, de maneira completamente imparcial e neutra”, enfatizou. Profissionais médicos trabalham sob condições extremas e não foram poupados no confronto. Todos devem respeitar e facilitar o trabalho dos profissionais de saúde sempre e todos os lados devem respeitar os emblemas da cruz vermelha e do crescente vermelho.

Mais informações:
Rabab Al-Rifaï, CICV Damasco, tel: +963 993 700 847 ou +963 11 331 0476
Cecilia Goin, CICV Beirute, tel: +963 930 177 746 ou +9617 180 2323
Alexis Heeb, CICV Genebra, tel: +41 22 730 37 72 ou +41 79 218 76 10