Página arquivada:pode conter informações antigas
  • Enviar esta página
  • Imprimir esta página

Tuberculose e encarcelamento: um grande problema de saúde

22-03-2013 Comunicado de imprensa 13/49

Genebra (CICV) – A tuberculose, uma doença contagiosa e potencialmente fatal, é um grande problema de saúde nos cárceres. Por ocasião do Dia Mundial da Tuberculose, 24 de março, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) pede aos administradores penitenciários, às autoridades de saúde pública e à comunidade internacional no geral que dediquem atenção aos perigos do atual desenvolvimento da tuberculose multirresistente ou resistente a múltiplas drogas (TB-MDR) nos presídios e o seu contágio fora dos mesmos.

"A TB-MDR se espalha em um ritmo alarmante pelo mundo todo”, disse o médico do CICV Raed Abu Rabi. “É uma doença mortal particularmente virulenta nos centros de detenção”.

A TB pode ser mais de cem vezes mais prevalente dentro do que fora do âmbito carcerário. Com frequência, isso se deve à superpopulação, à ventilação insuficiente, à ignorância de medidas preventivas e à falta de supervisão e adesão ao tratamento. Além de não curar os pacientes de TB, a assistência médica inadequada contribui para o surgimento de cepas resistentes que infectam pacientes, outros prisioneiros e a comunidade no geral.

“Mais e mais pacientes estão desenvolvendo cepas de TB altamente resistentes nos presídios. Quando isso acontece, a TB, uma doença que antes era curável, se torna extremamente difícil de tratar; alguns pacientes não podem ser curados com as drogas que existem hoje em dia. A associação da TB-MDR com a Aids ou com a hepatite C complica ainda mais o problema”, explicou Abu Rabi.

O CICV luta contra a TB nos presídios no sul do Cáucaso, na Ásia Central e em Uganda há muitos anos. O CICV também coopera atualmente com as autoridades no Quirguistão e nas Filipinas em um esforço para lutar contra a doença. Lidar com a TB nos presídios continua sendo uma preocupação e deve ser parte integral de qualquer política de saúde pública com o objetivo de controlar e, finalmente, erradicar essa doença.

Mais informações:
David-Pierre Marquet, CICV Genebra, tel: +41 22 730 25 02ou +41 79 536 92 48