Página arquivada:pode conter informações antigas
  • Enviar esta página
  • Imprimir esta página

Síria: resposta humanitária às necessidades precisa de aumento urgente

13-05-2013 Comunicado de imprensa 13/88

Genebra (CICV) – Dois anos após o início da crise, o conflito e o efeito colateral adverso nos países adjacentes se desdobraram em uma importante catástrofe humanitária. Sem uma solução política à vista e um abismo cada vez maior entre as necessidades dos sírios e a resposta humanitária no terreno, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) deve aumentar de forma significativa a sua assistência à população civil gravemente afetada pela violência.

O CICV faz um apelo aos seus doadores de 62,3 milhões de francos suíços (aproximadamente 65,2 milhões de dólares americanos ou 50,5 milhões de euros) adicionais ao orçamento inicial para aumentar a sua resposta até o final do ano para a população vulnerável que sofre os efeitos do conflito armado dentro da Síria e nos países vizinhos. Os recursos adicionais elevarão o orçamento total do CICV para a Síria em 2013 a 101,3 milhões de francos suíços (cerca de 82 milhões de euros), fazendo com que essa operação seja a maior em nível mundial em termos de orçamento.

“Até o momento, milhões de civis na Síria e no exterior já receberam ajuda. Nos últimos meses, tivemos um acesso melhor a algumas áreas mais afetadas no país”, disse o chefe de operações do CICV para o Oriente Próximo e Médio, Robert Mardini, em uma coletiva de imprensa em Genebra. “No entanto, a resposta humanitária geral às crescentes necessidades de milhões de sírios ainda é insuficiente, dificultada pelas limitações de segurança e debilitada pela burocracia excessiva e pelos controles militares. O nosso plano de aumentar a nossa resposta é modesto, se considerarmos as necessidades; por outro lado é ambicioso, se observarmos a realidade que enfrentamos no terreno”.

“Muitas pessoas ainda enfrentam dificuldades para sobreviver, sobretudo devido à intensificação dos confrontos e à economia gravemente enfraquecida. Apesar dos nossos inúmeros apelos às partes envolvidas no conflito para que respeitem as regras básicas de guerra, a realidade no terreno não apresenta nenhuma melhora. Centenas de civis são mortos ou feridos todos os dias. Milhares de pessoas continuam detidas ou desaparecidas. Os ataques aos estabelecimentos e aos profissionais médicos continuam”, acrescentou Mardini. “Famílias inteiras estão constantemente se mudando, em busca de lugares mais seguros”. Quatro milhões de pessoas já se deslocaram até o momento dentro da Síria e 1,2 milhão de outras pessoas tiveram de atravessar as fronteiras para outros países – e essa tendência continua. As pessoas que permaneceram em algumas cidades ou aldeias não têm quase nada e vivem com medo e angústia constantes.
Cerca de 25% de todos os sírios que trabalham perderam o emprego desde o início do conflito. A produção agrícola está em queda livre, uma vez que os agricultores não têm condições de cultivar com segurança as suas terras ou obter os insumos agrícolas que necessitam. A inflação está descontrolada. Uma pesquisa de mercado recente realizada pelo CICV indica que o preço de uma cesta de alimentos padronizada aumentou mais de 50% desde março de 2011. Em áreas sitiadas e em zonas de conflito, em particular, a alta demanda e a baixa oferta levaram a um aumento dos preços das necessidades básicas, como pão, de mais de mil por cento. Em termos mais gerais, o preço dos alimentos, do combustível e dos remédios disparou, e o poder aquisitivo dos cidadãos comuns está severamente debilitado, fazendo com que um segmento cada vez maior da população geral esteja economicamente insegura.

“Hoje, milhões de pessoas vivem na miséria. A nossa prioridade é melhorar as condições de vida e restabelecer os serviços públicos básicos, como o abastecimento de água potável e a coleta e eliminação de lixo”, disse Mardini. “Junto com os voluntários do Crescente Vermelho Árabe Sírio, forneceremos rações alimentares mensais para 450 mil pessoas - a maioria deslocada - e utensílios domésticos essenciais para mais de 112,5 mil pessoas. Além disso, nos certificaremos de que continue havendo o abastecimento de água potável para mais de 12,5 milhões de pessoas em todo o país. Também aumentaremos o nosso apoio à infraestrutura de saúde e, por meio de treinamento, melhoraremos as habilidades dos profissionais de saúde para atender os feridos de guerra”.

“Nos últimos meses, vimos os resultados do nosso diálogo tanto com as autoridades, como com a oposição. Conseguimos, junto com o Crescente Vermelho Árabe Sírio, chegar a áreas afetadas pelo conflito, como Idlib, Aleppo, Homs, Hama, Deir Ezzor e a zona rural de Damasco, onde a nossa equipe, algumas vezes, podia ficar até uma semana”, acrescentou o funcionário do CICV. “O acesso irrestrito e as pausas humanitárias mais frequentes são fundamentais para a expansão das nossas operações humanitárias”.

Os países vizinhos também pagam um preço alto pelo conflito, já que têm de enfrentar o grande fluxo diário de pessoas que fogem dos confrontos intensos da Síria. “Os nossos esforços de ajuda não param na fronteira: estamos ajudando também aos sírios que buscaram refúgio em outros países, como Jordânia, Líbano e Iraque. Mas aí o nosso papel consiste em reforçar a assistência humanitária que já está sendo proporcionada”, disse Mardini. No Líbano, o CICV ajudará a Cruz Vermelha Libanesa nos serviços médicos para aumentar as operações nas pessoas feridas oriundas da Síria e cobrirá os custos de tratamento de mais pacientes. Na Jordânia, a organização disponibilizará material médico e cirúrgico para o tratamento de pacientes feridos de guerra para postos de saúde na fronteira e alguns hospitais. Em ambos os países, proporcionará ajuda emergencial para os refugiados à medida que chegarem.

Em 2012, o CICV e o Crescente Vermelho Árabe Sírio distribuíram alimentos a 1,5 milhão de pessoas, forneceram água para 14 milhões, doaram material de assistência médica para tratar milhares de doentes e outros artigos essenciais (de higiene, utensílios de cozinha, cobertores e colchões) para 1 milhão de pessoas dentro da Síria. O Crescente Vermelho Árabe Sírio, o principal parceiro do CICV no país, também prestou serviços de assistência à saúde emergencial e primeiros socorros para os feridos e doentes. “Os voluntários do Crescente Vermelho Árabe Sírio, dos quais 19 perderam a vida quando prestavam serviços desde o início do conflito, continuam extremamente motivados”, disse Mardini. “Continuam arriscando as suas vidas todos os dias para salvar as vidas de outras pessoas e levar socorro àquelas que precisam”.

 

Mais informações:
Dibeh Fakhr, CICV Genebra, tel: +41 22 730 37 23 ou +41 79 447 37 26
Rima Kamal, CICV Damasco, tel: +963 930 33 67 18 ou +963 11 331 0476
Samar El Kadi, CICV Beirute, tel: +961 70 153 928
Hala Shamlawi, CICV Amã, tel: +962 777 398 794