• Enviar esta página
  • Imprimir esta página

Síria: necessidades aumentam rapidamente

29-12-2011 Relatório de operações N° 11/02

A situação da Síria continua piorando, sobretudo nos últimos dias, e a violência está fazendo muitas vítimas, deixando centenas de pessoas mortas ou feridas. Muitas outras foram detidas.

Nove meses após o início dos distúrbios, os efeitos da violência estão sendo sentidos também de outras formas. “Ainda que esta crise não tenha nível nacional, tem um impacto importante e direto sobre grandes áreas do país”, disse a chefe de operações do CICV para o Oriente Próximo e Médio, Béatrice Mégevand-Roggo. “As necessidades estão aumentando rapidamente, sobretudo com o inverno que se aproxima. A escassez de combustível e as dificuldades de locomoção e de comprar alimentos estão entre as coisas que dificultam ainda mais o dia a dia”.

As sanções impostas à Síria por parte de diversos países também estão dificultando mais e mais as vidas das pessoas comuns. Algumas fábricas e lojas estão fechadas e os cortes de energia são comuns. Muitos sírios dependem de pagamentos diários. Se não os recebem, essas pessoas se encontram em uma situação ainda mais difícil.

A principal preocupação do CICV continua sendo os obstáculos para obter assistência médica que devem ser superados pelos feridos e pelos doentes. “Há vários relatos sobre a falta de respeito para com os profissionais e os estabelecimentos médicos”, explicou Mégevand-Roggo. Em Idlib, Homs, Hama, Dara'a, Deir Al Zor, entre outros lugares, muitas vidas podem ser perdidas se os serviços de assistência emergencial à saúde não for prestada rapidamente e a passagem não for desimpedida.

“Estamos na Síria há mais de 40 anos, sobretudo para prestar apoio à população do Golã ocupado. Agora nossas atividades se expandiram muito para as pessoas afetadas pela violência interna”, disse Mégevand-Roggo. “Nossos parceiros do Crescente Vermelho Árabe Sírio estão trabalhando incessantemente para proporcionar assistência médica e alimentos em circunstâncias particularmente difíceis e arriscadas. Qualquer demora ou impedimento na prestação de primeiros socorros pode custar as vidas das pessoas feridas”.

O CICV continua muito preocupado com o que acontece com milhares de detidos. Em setembro, a organização realizou uma visita ao Presídio Central de Damasco em Adraa no marco de seu dialogo confidencial com as autoridades e seus esforços para construir a confiança e a compreensão mútuas. “As discussões com as autoridades ainda têm como objetivo encontrar as bases comuns que nos permitam visitar os detidos em conformidade com nossos procedimentos padrões de trabalho”, disse Mégevand-Roggo. Os delegados do CICV devem poder recorrer as instalações, conversar em particular com as pessoas de sua escolha e repetir as visitas quantas vezes julgar necessárias. “As observações e recomendações são discutidas somente com as autoridades pertinentes. Acreditamos que seja a melhor forma de obter resultados satisfatórios”, acrescenta.

Desde o início do atual distúrbio civil, o CICV tem coordenado suas atividades na Síria com as do Crescente Vermelho Árabe Sírio. Desde junho deste ano, quando o CICV obteve mais acesso às áreas em conflito, a organização vem prestando assistência médica e alimentar, além de outros artigos básicos, para as pessoas afetadas.

Fatos e Números (maio – dezembro de 2011)

  • 14 mil rações alimentares, cada uma com alimentos suficientes para seis pessoas por um mês, foram entregues (um total de 85 mil pessoas);
  • 30 mil kits escolares, cada um contendo uma mochila e um conjunto completo de material escolar, foram distribuídos para as crianças de lares carentes em áreas afetadas;
  • Quase 1,4 mil kits de higiene, cada um contendo artigos de higiene para seis pessoas, e 3 mil cobertores foram distribuídos pelo CICV e/ou Crescente Vermelho Árabe Sírio;
  • O CICV doou material para fazer curativos e suprimentos para o tratamento de pacientes com feridas relacionadas com a violência em hospitais públicos e privados em Hama, Dara'a, Homs e Idlib, e para a sede do Crescente Vermelho Árabe Sírio para serem usados pelos socorristas voluntários;
  • O CICV doou kits de triagem, macas, cadeiras de rodas e carrinhos para hospitais para os quais os feridos e os mortos foram levados;
  • O CICV forneceu quatro unidades móveis de primeiros socorros e de assistência à saúde, 700 bolsas de primeiros socorros, diversos suprimentos médicos e 600 bolsas para cadáveres para o Crescente Vermelho Árabe Sírio;
  • O Crescente Vermelho Árabe Sírio distribuiu milhares de rações alimentares, cobertores, colchões e medicamentos para as pessoas mais carentes em pelo menos 20 cidades e aldeias afetadas pelos distúrbios;
  • O CICV organizou um seminário avançado sobre primeiros socorros para mais de 60 médicos voluntários que ajudam o Crescente Vermelho Árabe Sírio a atender as pessoas feridas;
  • Além das atividades relacionadas com os distúrbios, o CICV ainda realiza suas atividades regulares.

Para as pessoas afetadas pela seca no nordeste do país, o CICV:

  • Construiu ou reformou unidades de dessalinização de água potável nas províncias de Homs, Deir Al-Zor e Al-Hasakah, que atendem 10,5 mil pessoas;
  • Instalou uma bomba em um poço em Al-Hasakah para 3,5 mil pessoas e seu gado;
  • Melhorou três reservatórios subterrâneos de água potável em Deir Al-Zor e Al-Raqqa para 2,4 mil pessoas e seu gado;
  • Melhorou duas lagoas de água potável em Deir Al-Zor para 2,5 mil pessoas e seu gado;
  • Apoiou os serviços de caminhão-pipa do Crescente Vermelho Árabe Sírio que permitiram que mais de 21 mil pessoas que vivem em áreas remotas nas províncias de Deir Al-Zor, Al-Raqqa e Al-Hasakah continuassem recebendo água potável sem custo.

Em conexão com o Golã ocupado, o CICV:

  • Ajudou 538 peregrinos a atravessarem a linha de demarcação para visitar suas famílias e amigos em outras partes da Síria;
  • Providenciou para que 175 alunos atravessassem do Golã ocupado para Damasco;
  • Providenciou para que 240 alunos atravessassem de volta para o Golã ocupado tanto por questões de feriados ou após a formatura na Universidade de Damasco.

Além disso, o CICV organizou seis oficinas sobre Direito Internacional Humanitário (DIH) e Direito Internacional dos Direitos Humanos para 56 advogados, 40 jornalistas, quase 200 juízes e 33 voluntários de comunicação do Crescente Vermelho Árabe Sírio em Damasco e Aleppo em cooperação com o Crescente Vermelho Árabe Sírio e outros ministérios.

Mais informações:
Hicham Hassan, CICV Genebra, tel: +41 21 730 25 41 ou +41 79 536 92 57