• Enviar esta página
  • Imprimir esta página

Somália: a crise alimentar retrocedeu, mas as necessidades humanitárias permanecem graves

05-03-2012 Relatório de operações

Graças ao impacto combinado da ajuda humanitária e uma boa colheita, a severa crise alimentar que prevaleceu no último ano está gradativamente retrocedendo. No entanto, as necessidades humanitárias permanecem graves. O CICV prestou assistência a quase 2,5 milhões de pessoas na Somália em 2011.

Por causa da escassez de chuvas sazonais, a Somália estava ao borde de uma severa seca que iniciou em outubro de 2010, trazendo dramáticas consequências humanitárias em 2011. Quase duas décadas de conflito, precárias condições de segurança e uma situação de anarquia geral continuaram exacerbando a crise humanitária no país. Os efeitos combinados dos recorrentes desastres por causas naturais e pela mão do homem causaram uma severa insegurança alimentar e altas taxas de desnutrição em muitas regiões.

O CICV incrementou suas operações no centro e no sul do país, em 2011, para tratar da crise e evitar o deslocamento futuro de milhares de pessoas. Além de realizar atividades de médio e longo prazo, a organização lançou uma grande operação de ajuda emergencial, em agosto de 2011, para atender as necessidades alimentares mais urgentes de 1,1 milhões de pessoas. O CICV mantém seu total compromisso em ajudar os somalis a superar as recorrentes crises humanitárias, melhorar os meios de sobrevivência e ampliar o acesso à saúde, como tem sido feito nos últimos 30 anos.

Síntese das atividades do CICV na Somália em 2011

  • Em parceria com o Crescente Vermelho Somali, o CICV distribuiu arroz, óleo e feijão para mais de 1,2 milhões de pessoas, das quais 124 mil também receberam uma segunda entrega de alimentos suficientes para um mês.
  • Em julho e agosto, o Crescente Vermelho Somali, com o apoio do CICV, abriu 13 novas clínicas de nutrição terapêutica (somando-se às 14 já em funcionamento) e montou 12 equipes móveis de saúde que trataram mais de 48 mil crianças severamente desnutridas e mais de 25 mil grávidas e lactantes. No segundo semestre do ano, mais de 120 mil crianças com moderada desnutrição e seus responsáveis participaram dos programas de nutrição por líquidos do CICV nas áreas mais afetadas no sul da Somália.
  • Desde janeiro de 2011, o CICV distribuiu, em todo o país, artigos essenciais como colchonetes, cobertores, utensílios de cozinha e vestuário para mais de 350 mil pessoas recentemente deslocadas pelo conflito ou pela seca. Além disso, as clínicas do Crescente Vermelho Somali entregaram 70 mil mosquiteiros nas áreas mais afetadas pela malária.

 

CICV na Somália – Números Chave de 2011

Distribuição de alimentos: mais de 1,2 milhão de beneficiários

Projetos de apoio aos meios de subsistência: até 750 mil beneficiários

Projetos hidráulicos: mais de 900 mil beneficiários

Pacientes com ferimentos de armas tratados: quase 6 mil

Beneficiários da assistência à saúde primária: mais de 725 mil

Crianças desnutridas tratadas: 170 mil

MCVs recolhidas: quase 8 mil

MCVs distribuídas: mais de 16,7 mil

Ligações telefônicas do campo de refugiados de Dadaab no Quênia para restabelecer laços familiares: quase 38 mil

Total de beneficiários do CICV em 2011: aprox. 2,5 milhões

 

Restauração dos meios de sobrevivência

  • Quase 55 mil agricultores e suas famílias receberam sementes e ferramentas em 2011 para incrementar a produção de forragens. O CICV também auxiliou quase 8.500 pessoas na região de Shabelle com melhorias nas suas terras. Foram fornecidos a cada propriedade sementes, fertilizante, bombas e ferramentas agrícolas, bem com canais de irrigação ou arados.
  • Para mitigar os efeitos das chuvas erráticas e consequentes enchentes e incrementar a autosuficiência na população agrícola ao longo dos rios Shabelle e Juba, aproximadamente 310 mil pessoas receberam sacos de areia para proteger suas terras contras as inundações ou se beneficiaram com a construção de represas. Além disso, o CICV forneceu 149 bombas de irrigação para abastecer sete mil pessoas e fez melhorias em comportas no rio Shabelle que permitiu que seis mil pessoas irrigassem suas terras.
  • Cerca de mil pescadores receberam equipamento de pesca e capacitação em técnica pesqueira.
  • Quase 24 mil pessoas receberam dinheiro suficiente para cobrir suas necessidades alimentares por até seis semanas enquanto participavam de 41 projetos remunerados.
  • Quase 600 lares chefiados por mulheres (cerca de 3.600 pessoas) receberam subvenção do CICV para iniciar pequenos negócios com geração de renda como casas de chá, serviços de costura, padarias e serviços de moagem.

 

Melhoria do acesso à água potável para até 900 mil pessoas

Após a escassez das chuvas sazonais, chamadas de “deyr”, no início de 2011, foi realizada uma operação com carros-pipa, durante dois meses, em 11 áreas para cerca de 700 mil moradores e pastores com seus rebanhos. O CICV também reformou e consertou 55 locais de abastecimento de água para melhorar as fontes subterrâneas (poços e perfurações) e as reservas de superfície (reservatórios e coleta de água da chuva). Estas atividades auxiliaram outras 200 mil pessoas a continuar a ter acesso à água potável.

Tratamento para seis mil pacientes com ferimentos de arma

O CICV prestou apoio a dois hospitais cirúrgicos de referência em Mogadíscio: Hospital Keysaney, administrado pelo Crescente Vermelho Somali, e o Hospital Comunitário Medina. Em 2011, o CICV construiu uma nova sala de cirurgia no Hospital Keysaney e fez serviços de manutenção em ambos os hospitais. Os dois aceitam pacientes de todas as origens, independente do clã, religião ou convicções políticas. Entre os quase quatro mil feridos admitidos em 2011, havia mais de 1.300 mulheres e 500 crianças. Durante o mesmo período, o CICV forneceu material para curativos e outros materiais médicos aos postos de primeiros socorros e outros centros de saúde para quase dois mil feridos por armas.

Assistência básica à saúde para mais de 725 mil pessoas

Em 2011, o CICV reformou ou construiu três centros de saúde primária e abriu duas novas clínicas para o Crescente Vermelho Somali, elevando a 39 o número total de centros de saúde que apoia no centro e sul da Somália. Os centros ajudam a assegurar que a população tenha acesso à assistência básica à saúde e a remédios de qualidade. Mais de 725 mil pessoas utilizaram este serviço em 2011. O CICV também entregou equipamentos e ofereceu capacitação ao Crescente Vermelho Somali.

Em resposta à seca e ao consequente aumento da incidência de doenças, o CICV também decidiu apoiar 12 equipes móveis de saúde adicionais para atender as necessidades básicas de saúde e encaminhar as crianças desnutridas para os centros de estabilização mais próximos. O CICV também auxiliou mais de 200 voluntários do Crescente Vermelho Somali a promoverem práticas de boa higiene, em cinco regiões do centro e sul da Somália, como forma de prevenir a disseminação de doenças transmitidas pela água como a diarreia líquida aguda.

Restabelecimento dos laços familiares dentro e fora da Somália

Outra parte importante do trabalho do CICV é restabelecer e manter os contatos entre os membros de uma família separada pelo conflito. Junto com o Crescente Vermelho Somali, o CICV coletou quase oito mil Mensagens Cruz Vermelha (MCVs), muitas de fora do país, e distribuiu mais de 16.700 em 2011. Mais de cinco mil nomes de pessoas que são buscadas foram transmitidos pelo serviço da BBC em somali e mais de 13 mil foram publicadas na sua página na web. A pedido dos seus parentes 254 pessoas foram localizadas. A delegação do CICV também emitiu 163 documentos de viagem para os refugiados da Somália para seu reassentamento.

Para atender às necessidades dos refugiados somalis recém-chegados no Quênia para restabelecer ou manter contato com seus familiares, a Cruz Vermelha do Quênia e o CICV oferecem serviços de telefonia móvel nos campos de refugiados de Dadaab próximos à fronteira para que os recém-chegados possam contatar seus parentes rapidamente. Entre agosto e dezembro de 2011, quase 38 mil chamadas, incluindo 4.700 por menores, foram feitas para parentes na Somália e no resto do mundo.

Cooperação com o Crescente Vermelho Somali

O Crescente Vermelho Somali é o principal parceiro operacional do CICV na Somália. Junto com a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho e várias Sociedades Nacionais, o CICV trabalha para fortalecer a capacidade operacional do Crescente Vermelho Somali, em especial nas áreas de saúde, restabelecimento de laços familiares, disseminação de valores humanitários e gestão de desastres. Através da sua rede de 19 filiais espalhadas por todo o país, o Crescente Vermelho Somali fornece serviços comunitários essenciais que vão desde os primeiros socorros, assistência à saúde materno-infantil, prevenção de doenças, reabilitação física até o restabelecimento de laços entre os membros das famílias separadas por causa do conflito ou da falta de segurança generalizada na Somália. Em coordenação com o CICV o Crescente Vermelho Somali difunde as normas básicas do Direito Internacional Humanitário para diversos públicos na Somália.

Promoção do Direito Internacional Humanitário

Recordar as partes em conflito da sua obrigação de proteger os civis consiste uma parte fundamental dos esforços do CICV em promover o respeito pelo Direito Internacional Humanitário (DIH) em todo o mundo. A organização também comunica aos portadores de armas suas obrigações em conformidade com o DIH em relação à condução das hostilidades. Além disso, o CICV difunde o conhecimento dos valores e princípios humanitários ao fazer referência à tradição somali do biri ma gedo (“poupado da lança”), que reconhece a proteção contra os ataques para as mulheres, crianças, feridos, doentes e determinados grupos.


Foto

Somália, Puntland, acampamento de Garowe. Mulher e filho em um acampamento para mulheres deslocadas. Mais de mil famílias chegaram a Garowe, vindas de Mogadishu, nos últimos meses. 

Somália, Puntland, acampamento de Garowe. Mulher e filho em um acampamento para mulheres deslocadas. Mais de mil famílias chegaram a Garowe, vindas de Mogadishu, nos últimos meses.
© Norwegian Red Cross / Olav Saltbones / so-e-00554

Somália. Região de Mudug, Harfo. Uma criança desnutrida é tratada em uma clínica do Crescente Vermelho Somali. 

Somália. Região de Mudug, Harfo. Uma criança desnutrida é tratada em uma clínica do Crescente Vermelho Somali.
© CICV / Olav Saltbones / so-e-00567

Sul da Somália. Região de Juba do Meio, distrito de Jilib. Beneficiárias de uma distribuição de comida em um campo para deslocados. Cada mulher, chefe de família, residente ou deslocada, está sentada em uma pilha de comida suficiente para um mês. 

Sul da Somália. Região de Juba do Meio, distrito de Jilib. Beneficiárias de uma distribuição de comida em um campo para deslocados. Cada mulher, chefe de família, residente ou deslocada, está sentada em uma pilha de comida suficiente para um mês.
© CICV / I. Abdullahi / so-e-00616

Somália. Região de Gedo, Burdhubo. O CICV prepara a distribuição de comida com o apoio dos voluntários do Crescente Vermelho Somali. 

Somália. Região de Gedo, Burdhubo. O CICV prepara a distribuição de comida com o apoio dos voluntários do Crescente Vermelho Somali.
© CICV / M. Omar Ali / so-e-00621

Somália. Região de Mudug, Galkayo. Um menino aprende a caminhar com sua nova prótese em um centro de reabilitação administrado pelo Crescente Vermelho Somali. 

Somália. Região de Mudug, Galkayo. Um menino aprende a caminhar com sua nova prótese em um centro de reabilitação administrado pelo Crescente Vermelho Somali.
© Norwegian Red Cross / Olav Saltbones / so-e-00574

Somália. Região de Gedo, Lakeley. Um toucoul  tradicional de deslocados. A maioria das pessoas fugiu da seca, vindas das regiões de Bay e Bakool. 

Somália. Região de Gedo, Lakeley. Um toucoul tradicional de deslocados. A maioria das pessoas fugiu da seca, vindas das regiões de Bay e Bakool.
© CICV / Y. Van Loo / so-e-00635

Somália. Região de Mudug, campo de deslocados próximo à cidade de Galkayo. Uma criança é tratada em uma clínica do Crescente Vermelho Somali. 

Somália. Região de Mudug, campo de deslocados próximo à cidade de Galkayo. Uma criança é tratada em uma clínica do Crescente Vermelho Somali.
© Norwegian Red Cross / Olav Saltbones / so-e-00588

Abudwaq, região de Galgaduud, Somália, agosto de 2011. Hilary Floate, nutricionista do CICV na Somália, realiza um teste para ver se a criança sofre de edema. 

Abudwaq, região de Galgaduud, Somália, agosto de 2011. Hilary Floate, nutricionista do CICV na Somália, realiza um teste para ver se a criança sofre de edema.
© ICRC / Halani / SO-E-00612