• Enviar esta página
  • Imprimir esta página

Síria: assistência chega à população cercada em Homs e Harasta

25-10-2012 Relatório de operações N° 14/2012

Centenas de milhares de pessoas afetadas pelo intenso conflito recebem a assistência distribuída pelo CICV e pelo Crescente Vermelho Árabe Sírio. Além disso, o CICV conseguiu levar material médico para algumas das áreas mais duramente atingidas pela violência.

A equipe do CICV voltou a Homs esta semana para levar assistência, em particular aos hospitais e outros estabelecimentos de assistência à saúde. "Isso é, sem dúvida, um avanço, mas muito mais ainda precisa ser feito", disse a chefe da delegação do CICV na Síria, Marianne Gasser. "No entanto, precisamos proceder com cautela, já que é muito arriscado para todos, inclusive para os nossos funcionários e para os voluntários do Crescente Vermelho Árabe Sírio". Outras visitas ao terreno foram realizadas em diversas partes da zona rural de Damasco, incluindo Harasta, e em Sweida, no sul do país, onde muitas pessoas deslocadas se refugiaram.

O CICV doou material médico suficiente para atender entre 50 e 100 pacientes feridos no hospital privado de Al Birr, em Homs. A organização também doou anestésicos, material para curativos e fluidos intravenosos para o hospital privado de Al Amin. Além disso, realizou uma avaliação de um estabelecimento de saúde em Bab Amr, que atualmente está sendo reformado pelo Ministério da Saúde, com o objetivo de prestar um possível atendimentos no futuro.

No dia 21 de outubro, um voluntário do Crescente Vermelho Árabe Sírio morreu depois de ser surpreendido pelo conflito a caminho do trabalho em Harasta, zona rural de Damasco. No dia seguinte, outros dois voluntários foram feridos em incidentes separados enquanto trabalhavam, também em Harasta. Segundo o Direito Internacional Humanitário (DIH), as partes em conflito armado devem fazer sempre a distinção entre os civis e aqueles envolvidos no conflito.

Junto com o Crescente Vermelho Árabe Sírio, o CICV avaliou as necessidades em Jwalek, a cerca de dez quilômetros ao sul da cidade de Homs. Jwalek vem servindo como cidade que acolhe centenas de pessoas que fugiram dos confrontos armados em diferentes partes de Homs nas últimas semanas. O Crescente Vermelho Árabe Sírio proporcionou assistência imediata para cerca de 400 pessoas que careciam de maneira desesperada de alimentos e de outros artigos essenciais, incluindo cobertores e colchões. Também distribuiu material escolar para as crianças. "Em Jwalek, como em muitas outras partes do país, a situação das pessoas deslocadas é um desespero", disse Gasser. "Uma jovem deslocada não pôde controlar as lágrimas enquanto me contava que teve de abandonar a sua casa com o seu bebê recém-nascido. Antes de fugir, ela já havia perdido o contato com o pai do bebê e ele ainda não conheceu a sua filha. Ela estava muito triste porque, junto com a sua família, não pôde retornar para a sua casa a tempo para as comemorações do Eid al-Adha".

O CICV continua extremamente preocupado com a situação humanitária no país. Os confrontos armados tiveram um efeito particularmente grave sobre a população de Homs, Aleppo, Idlib, Hama, Deir Ez-Zor, Damasco e a zona rural de Damasco. A organização aumentando a sua presença no terreno junto com o Crescente Vermelho Árabe Sírio, sobretudo nas áreas mais duramente atingidas pela violência. Depois da visita do presidente do CICV, Peter Maurer, no mês passado, a organização manteve o seu diálogo humanitário com as autoridades sírias e espera poder ampliar o seu apoio aos serviços médicos e as visitas aos detidos no país.

Desde o início do ano, o CICV e o Crescente Vermelho Árabe Sírio distribuiu alimentos a mais de 1 milhão de pessoas e utensílios domésticos para 250 mil outras pessoas. Também ajudaram a fornecer água para mais de 1 milhão de pessoas nas províncias de Damasco, zona rural de Damasco e Homs. Durante um ano e meio, os voluntários do Crescente Vermelho Árabe Sírio estão trabalhando sem interrupção em áreas atingidas pela violência, quase sempre arriscando as próprias vidas para prestar primeiros socorros, transferir os feridos e ajudar de outras formas a salvar vidas. "As necessidades humanitárias não pararam de crescer", disse Gasser. "Ao mesmo tempo em que há avanços, é preciso fazer mais para atender as necessidades mais urgentes no terreno".

Atividades do CICV e do Crescente Vermelho Árabe Sírio durante o mês de outubro

Alimentos e outros gêneros não alimentícios essenciais

  • As duas organizações distribuíram rações alimentares suficientes para cobrir as necessidades de quase 150 mil pessoas durante um mês nas províncias de Damasco (zona rural), Idlib, Homs, Hama, Aleppo, Sweida, Tartous, Raqqa, Deir Ez-Zor Lattakia e Damasco, e milhares de utensílios domésticos essenciais, como colchões, esteiras, toalhas, artigos de higiene e velas.
  • Em conjunto com o Crescente Vermelho Árabe Sírio, o CICV distribuiu mais de 40 mil cobertores, em particular, para as pessoas deslocadas que se abrigam em edifícios públicos.

Água, saneamento e abrigo

  • O CIV e o Crescente Vermelho Árabe Sírio tomaram medidas urgentes para consertar e melhorar as condições de abrigo e as instalações de água e saneamento para mais de 20 mil pessoas deslocadas em mais de 35 escolas e outros edifícios públicos na zona rural de Damasco e nas províncias de Homs, Aleppo e Raqqa.
  • Na cidade de Homs, quando um gerador de reserva com 2 mil quilovolts-amperes de potência fornecido pelo CICV foi atingido por estilhaços e deixou de funcionar, os engenheiros hídricos da organização tomaram medidas imediatas para consertá-lo. Eles conseguiram recuperar a estação de bombeamento de água de Ain al Tanour, desta maneira garantindo que mais de 1 milhão de pessoas na cidade pudessem continuar sendo abastecidos com água potável.
  • Na cidade de Aleppo, o CICV ajudou a comissão local de água a consertar diversos aquedutos da rede de abastecimento da cidade que haviam sido seriamente danificados pelo conflito. Os aquedutos levam água para dezenas de milhares de pessoas.
  • O CICV manteve o seu apoio à operação do Crescente Vermelho Árabe Sírio que levava água potável em caminhões-pipa para mais de 80 mil pessoas deslocadas que se refugiaram em escolas e outros prédios públicos ou com comunidades que as acolheram nas províncias de Damasco (zona rural), Deir Ez-Zor e Homs.

Saúde

  • Os delegados-médicos e os engenheiros hídricos recentemente visitaram o Hospital Nacional de Harasta, onde avaliaram as necessidades do estabelecimento e doaram anestésicos e material para suturas e curativos.
  • Em Homs, o CICV doou medicamentos e material medico para o Hospital Privado Al Birr e o Hospital Privado Amin, e muletas e cadeiras de rodas para o Crescente Vermelho Árabe Sírio.

Mais informações:
Rabab Al-Rifaï, CICV Damasco, tel: +963 993 700 847 ou +963 11 331 0476
Alexis Heeb, CICV Genebra, tel: +41 22 730 37 72 ou +41 79 218 76 10


Foto

Qasseer, próximo a Homs, Síria. Um médico em um hospital improvisado leva um bebê ferido pelo bombardeio. 

Qasseer, próximo a Homs, Síria. Um médico em um hospital improvisado leva um bebê ferido pelo bombardeio.
© Reuters

Homs, Síria. Crianças jogam futebol na rua. 

Homs, Síria. Crianças jogam futebol na rua.
© Reuters

Aleppo, Síria. Esta mulher vive nas ruas desde que fugiu do conflito. 

Aleppo, Síria. Esta mulher vive nas ruas desde que fugiu do conflito.
© Reuters

Atareb, província de Idlib, Síria. Um menino anda de bicicleta em uma área recentemente bombardeada. 

Atareb, província de Idlib, Síria. Um menino anda de bicicleta em uma área recentemente bombardeada.
© Reuters