• Enviar esta página
  • Imprimir esta página

República Centro-Africana – continua o trabalho de assistência em Bangui e no norte do país

04-01-2013 Relatório de operações

As pessoas deslocadas no norte da República Centro-Africana estão começando a voltar para as suas casas. Em outras partes do país, no entanto, a situação continua difícil para milhares de pessoas que ainda estão deslocadas.

 

Na capital do país, Bangui, a ansiedade é aguda. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) continua trabalhando em parceria com a Cruz Vermelha Centro-Africana para ajudar as pessoas que foram afetadas pelo confronto.

Na cidade de Ndélé, ao norte do país, a vida começa a voltar ao normal à medida que as pessoas saem dos bosques e voltam para as suas casas, das quais fugiram em meio ao conflito das últimas semanas. "O mercado de Ndélé, por exemplo, voltou a funcionar", disse o chefe-adjunto da delegação do CICV, Arnaud de Baecque. "Mas ainda se sente uma incerteza no ar em todo o país."

Embora a maior parte da população da cidade esteja de volta às suas casas, ainda existem quase mil pessoas às quais o CICV fornece água potável. Algumas famílias cujos homens ainda não voltaram e que não têm terras cultiváveis também precisam de assistência em forma de alimentos. Nos próximos dias, outras mil pessoas deslocadas em Kaga Bandoro receberão artigos de higiene essenciais e cobertores.

A sensação em Bangui é de intranquilidade. "O CICV e a Cruz Vermelha local estão se preparando para todas as eventualidades", explicou de Baecque. "Como medida de precaução, um cirurgião do CICV visitou os hospitais da cidade para avaliar que tipo de apoio podem vir a precisar."

O CICV busca dialogar com as diversas entidades envolvidas no confronto, instando-as a cumprir com o Direito Internacional Humanitário, como no caso das normas que protegem a população civil contra os efeitos do conflito armado. Os civis não podem ser atacados e qualquer pessoa ferida durante o confronto, incluindo os combatentes inimigos, deve ser resgatada e receber o tratamento segundo as suas necessidades médicas. Os detidos devem ser tratados com humanidade.

As partes em conflito estão abertas à ideia de que o CICV visite os detidos, explicou de Baecque. Ressaltou que ao realizar tais visitas, o CICV não se preocupa com as bases da detenção. As visitas visam unicamente assegurar que a detenção seja em condições humanas e em conformidade com as normas internacionais, sobretudo, aquelas que garantem a dignidade dos detidos.

Com ajuda da Cruz Vermelha nacional, o CICV presta primeiros socorros e leva os feridos ao hospital. Os casos mais graves são evacuados para Bangui. Apesar dos esforços do Comitê, no entanto, de Baecque destacou que continua difícil avaliar as necessidades de ação humanitária fora de Ndélé e Kaga Bandoro, cidades onde a organização posicionou as suas equipes. Infelizmente, as condições de segurança imprevisíveis impossibilitaram o envio de equipes a outros pontos.

Desde o dia 28 de dezembro, o CICV vem realizando o seguinte:

  • os delegados visitaram as pessoas detidas em Bangui em conexão com os últimos eventos;
  • seis pessoas feridas com gravidade foram levadas de avião de Ndélé e Ngakobo (próxima à cidade de Bambari, ao norte do país) a Bangui;
  • com a ajuda dos voluntários da Sociedade Nacional, a organização forneceu 18 mil litros de água potável para mil pessoas deslocadas em Ndélé;
  • deu-se continuidade às reuniões durante as quais os voluntários da Sociedade Nacional davam dicas sobre como manter hábitos de higiene adequados;
  • como o sistema de telefonia foi interrompido, o CICV transmitiu breves mensagens por escrito e orais de uma centena de pessoas que vive em Ndélé e Kaga Bandoro e arredores para tranquilizar os seus parentes;
  • o Comitê ainda forneceu dez macas e 50 kits de primeiros socorros à Sociedade Nacional.

Mais informações:
Vincent Pouget, CICV Bangui, tel: + +236 75 64 30 07 ou +237 98 81 30 54
Jean-Yves Clémenzo, CICV Genebra, tel: +41 79 217 32 17


Foto

Construção de latrinas no campo de deslocados próximo a MICOPAX (Missão de consolidação da paz na RCA). 

Construção de latrinas no campo de deslocados próximo a MICOPAX (Missão de consolidação da paz na RCA).
© CICV

Um ponto de distribuição de água montado pelo CICV para o abrigo para pessoas deslocadas próximo ao aeródromo em Ndélé (norte da RCA). 

Um ponto de distribuição de água montado pelo CICV para o abrigo para pessoas deslocadas próximo ao aeródromo em Ndélé (norte da RCA).
© CICV

Um ponto de distribuição de água montado pelo CICV para o abrigo para pessoas deslocadas próximo ao aeródromo em Ndélé (norte da RCA). 

Um ponto de distribuição de água montado pelo CICV para o abrigo para pessoas deslocadas próximo ao aeródromo em Ndélé (norte da RCA).
© CICV