• Enviar esta página
  • Imprimir esta página

Mali: a situação humanitária no norte, entre a esperança e a incerteza

01-02-2013 Relatório de operações

Os recentes combates e os movimentos de tropas obrigaram milhares de pessoas a se deslocarem dentro do país ou a se refugiarem nos países vizinhos. Algumas dessas famílias já começaram a voltar para os seus lares, mas carecem de artigos básicos e as suas condições de vida são sumamente precárias. O CICV e a Cruz Vermelha do Mali continuam prestando assistência, sobretudo por meio das distribuições de alimentos.

“Observamos que algumas pessoas deslocadas começaram a regressar, sobretudo em determinadas zonas do centro e do norte do Mali”, explica o chefe da delegação regional do CICV para o Mali e o Níger, Jean-Nicolas Marti. “As famílias que regressaram aos seus lares, assim como aquelas que continuam deslocadas, carecem de alimentos e gêneros de primeira necessidade. E as que ficaram no mesmo lugar já não têm recursos para compartilhar.”

Necessidades urgentes das pessoas deslocadas ou que retornaram aos seus lares

“As pessoas que haviam fugido de Konna para Mopti e Sevaré começam a voltar”, observa o chefe da subdelegação do CICV em Mopti, Philippe Mbonyingingo, presente no lugar. “Mas a sua situação humanitária é precária e lhes entregamos alimentos no dia 31 de janeiro.” No total, mais de 7,2 mil pessoas se beneficiaram com a distribuição de alimentos realizada pelo CICV e pela Cruz Vermelha do Mali.

Nos dias 30 e 31 de janeiro, mais de 3,3 mil deslocados que permaneceram em Mopti e Sévaré também receberam assistência alimentar por parte da filial local da Cruz Vermelha do Mali.

Além disso, há informações de deslocamentos de população na região de Kidal, nordeste do país. No dia 31 de janeiro, uma equipe do CICV se dirigiu a Tinzaouatène, próximo à fronteira com a Argélia, a fim de avaliar as necessidades da população deslocada nessa região. Aparentemente, trata-se de milhares de pessoas.

“Já prestamos assistência a mais de 15 mil pessoas desde a retomada dos combates; manteremos esta atividade de urgência enquanto as necessidades persistirem”, explica Marti. “Atualmente, temos um maior acesso às zonas afetadas pelos recentes combates e nos esforçamos para responder o mais rápido possível às necessidades mais urgentes.”

Em relação à ajuda na área médica, hoje em dia a prioridade é garantir que os civis, as pessoas deslocadas ou as que voltaram para os seus lares tenham acesso à assistência médica. Para tanto, o CICV presta apoio aos hospitais de Gao e Sévaré, assim como a seis centros de saúde instalados entre Ansongo e Timbuktu.

Familiares separados em decorrência do conflito

Por conta do conflito, inúmeras famílias foram separadas dentro das fronteiras malinesas e também em outros países. A situação dessas famílias foi agravada nos últimos dias depois da interrupção do serviço telefônico entre as principais cidades do norte do Mali. O CICV e as Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho dos países limítrofes se esforçam para reunir essas famílias e ajudá-las a restabelecer contato.

O respeito ao Direito Internacional Humanitário: um imperativo

O CICV continua lembrando a todas as partes em conflito as obrigações que têm em virtude do Direito Internacional Humanitário (DIH), sobretudo no que diz respeito à proteção da população civil e das pessoas que deixaram de participar dos combates. “As nossas equipes presentes no terreno continuam acompanhando a situação e prestamos a devida atenção a todas as denúncias de violações ao Direito Internacional Humanitário”, afirma Marti. “Quando as denúncias que recebemos se confirmam, tratamos dos casos o mais rápido possível com as partes correspondentes, no contexto de um diálogo estritamente bilateral e confidencial”, explica o chefe da delegação regional do CICV para o Mali e o Níger.


Foto

Voluntários da Cruz Vermelha do Mali e uma equipe do CICV distribuem alimentos às pessoas que voltam a Konna após os combates. Cada família recebe arroz e óleo de cozinha. 

Voluntários da Cruz Vermelha do Mali e uma equipe do CICV distribuem alimentos às pessoas que voltam a Konna após os combates. Cada família recebe arroz e óleo de cozinha.
© CICV / S. Ismael

Um delegado do CICV conversa com as pessoas que acabam de voltar a Konna, antes de o CICV e a Cruz Vermelha do Mali começarem a distribuição de alimentos. 

O respeito ao Direito Internacional Humanitário: um imperativo
Um delegado do CICV conversa com as pessoas que acabam de voltar a Konna, antes de o CICV e a Cruz Vermelha do Mali começarem a distribuição de alimentos.
© CICV / S. Ismael / v-p-ml-e-00036