• Enviar esta página
  • Imprimir esta página

Sudão do Sul: milhares de pessoas mais são afetadas pela violência

21-02-2013 Relatório de operações

Nos últimos três meses, a violência causou vítimas e novos deslocamentos de civis. O CICV enviou uma equipe cirúrgica de intervenção rápida a Wau e ao remoto estado de Jonglei. No resto do país, distribuiu ajuda a milhares de pessoas e aliviou a escassez de água potável para os deslocados.

Após um roubo armado de gado, em 8 de fevereiro, em uma região remota do estado de Jonglei, vários feridos, a maioria civis, chegaram até a cidade de Walgak no Condado de Akobo. Alguns tinham graves ferimentos a bala, fazendo com que se descartasse a evacuação a um hospital. O CICV, portanto, enviou ao povoado a equipe cirúrgica de intervenção rápida que normalmente está baseada no Hospital Universitário de Malakal.

"Não importa de que lado que estejam, os feridos têm o direito de receberem atenção médica. O CICV presta apoio aos centros de assistência à saúde em todo o Sudão do Sul, quando há uma afluência de vítimas, com a doação de material médico ou envio de uma equipe cirúrgica," afirmou o responsável pelos programa de saúde do CICV no país, Dr. Cleto Chashi. "Nossa equipe cirúrgica chegou a Walgak 24 horas após ter sido notificada,  prestando assistência cirúrgica de emergência para 16 pessoas". Quatro dos pacientes tratados foram posteriormente levados pelo CICV ao Hospital Universitário de Malakal para outras cirurgias e cuidados pós-cirúrgicos.

O CICV também busca outras formas de incrementar a assistência humanitária no estado de Jonglei já que os confrontos armados continuam interrompendo a vida da população civil nessa região. Em novembro, a organização organizou dois dias de capacitação sobre o Direito Internacional Humanitário, com foco na responsabilidade do comando no planejamento e condução das operações militares, para oficiais superiores do exército do Sudão do Sul assentados na cidade de Pibor. Enquanto isso, a Cruz Vermelha do Sudão do Sul acaba de estabelecer uma equipe de intervenção de emergência com base em Pibor. Composta por voluntários da Cruz Vermelha, a equipe foi treinada pelo CICV em primeiros socorros e está de prontidão para responder às emergências na região.

Ajuda às vítimas de distúrbios em Wau

A equipe cirúrgica do CICV também foi enviada a Wau, em Bahr Ocidental, no estado de Ghazal, para operarar os feridos pelos distúrbios que ocorreram no local durante vários dias em meados de dezembro. Ao mesmo tempo, a Cruz Vermelha do Sudão do Sul distribuiu ajuda que compreendia utensílios domésticos, lona e cobertores para mais de 1,5 mil pessoas cujas casas e bens foram destruídos durante os acontecimentos, ao mesmo tempo em que voluntários da Cruz Vermelha ajudaram na remoção de feridos para tratamento. O CICV também forneceu comida e outros artigos de primeira necessidade para famílias particularmente carentes.

Lonas, mosquiteiros e água para a população de Jaac

Em novembro e dezembro, a violência armada nas áreas entre Bahr El Ghazal Setentrional, no Sudão do Sul, e Darfur do Sul, no Sudão, provocou a fuga de milhares de pessoas em busca de segurança nos condados de Aweil Setentrional e Aweil Oriental no Sudão do Sul. Muitas famílias encontraram um pouco de abrigo na cidade de Jaac no Condado de Aweil Setentrional.

"Os combates na região fizeram com que a população fugisse para Jaac em três ondas sucessivas nos últimos 12 meses, enfrentando condições extremamente duras. Muitos deixaram seus pertences para trás na ocasião e têm pouco acesso a refúgio. Algumas famílias recentemente deslocadas nos contam que têm sobrevivido a base de folhas e frutos selvagens", descreve a chefe da subdelegação do CICV em Wau, Caroline Huinh Van. "A afluência de pessoas em Jaac traz uma pressão considerável sobre a comunidade que acolhe as famílias, cujos recursos são limitados. A água potável encontra-se em quantidades reduzidas."

No início de janeiro, o CICV entregou lonas, mosquiteiros e outros artigos para seis mil pessoas em Jaac. Também distribuiu 110 kits de pesca para ajudar as pessoas a continuarem com seu ganha-pão. Em abril no ano passado, o CICV entregou ajuda para quase 18 mil outros moradores. Em dezembro, os engenheiros do CICV consertaram três das bombas manuais da cidade para minimizar a falta de água para os deslocados e residentes.

Os delegados do CICV continuam monitorando o respeito pelo Direito Internacional Humanitário, conjunto de normas que limitam os efeitos dos conflitos armados e lembram os combatentes da sua obrigação de poupar os civis, os feridos e os detidos. "Se as normas não são cumpridas, os delegados do CICV levam suas preocupações diretamente aos comandantes para tentar melhorar a situação", explicou Huinh Van.

Famílias de volta em contato

Desde novembro, em estreita cooperação com a Cruz Vermelha local, o CICV ajudou quase 1,5 mil pessoas separadas das suas famílias a retomarem o contato com elas. As pessoas do Reino de Shilluk, no estado de Alto Nilo, que foram deslocadas pelos enfrentamentos em abril do ano passado, tiveram a oportunidade de mandar mensagens escritas aos seus parentes, assim como os refugiados congoleses e centro-africanos que vivem no estado de Equatoria Ocidental. Enquanto isso, os telefonemas por satélite oferecidos aos refugiados abrigados nos campos nos estados de Unidade e Alto Nilo para que ligassem para casa foram uma fonte vital de resistência para eles.

O CICV também organiza reunificações de famílias de pessoas vulneráveis, em especial crianças desacompanhadas, separadas de outros membros de suas famílias. Desde novembro, o CICV reuniu 10 crianças com seus parentes no Sudão do Sul. Também repatriou nove crianças para a República Democrática do Congo e Uganda para se rencontrarem com suas familias.

Tratamento veterinário de emergência no Condado de Maban

No início de dezembro, o CICV tratou de cinco mil animais com parasitas no Condado de Maban, estado de Alto Nilo, e ofereceu outro tratamento depois que a incidência de doença e mortalidade nos rebanhos do condado passou a ter efeitos severos na subsistência dos pastores em pequena escala. Os animais tratados pertenciam a cerca de quatro mil pessoas das comunidades de refugiados e residentes no condado.

Também em dezembro, o CICV finalizou as reformas nas redes de abastecimento de água nos campo de refugiados de Yusuf Batil e Jamam nesse condado. Como consequência, melhorou o acesso à água potável para 70 mil pessoas. Além disso, quase 100 mil refugiados abrigados nos quatro campos do condado receberam utensílios domésticos e artigos de higiene para protegê-los contra a interpérie e doenças.

Mais informações:
Melker Mabeck, CICV Juba, tel.: +211 912 170 966
Jean-Yves Clémenzo, CICV Genebra, tel.: +41 22 730 22 71 ou +41 79 217 32 17