• Enviar esta página
  • Imprimir esta página

Síria: acesso adequado aos serviços de assistência à saúde é uma questão de vida ou morte

01-03-2013 Relatório de operações

Dezenas de pessoas morrem todos os dias por causa do acesso limitado aos serviços de assistência à saúde e da falta de material médico essencial. O CICV e o Crescente Vermelho Árabe Sírio fazem todo o possível para salvar vidas com a doação de suprimentos médicos necessários em todo o país.

"Muitas vidas podem ser salvas e graves deficiências prevenidas apenas com o acesso adequado a centros de saúde propriamente equipados", afirmou a coordenadora das atividades de saúde do CICV na Síria, Dra. Andrea Reis. "Dezenas de centros em todo o país têm que lidar com a falta de equipamento, material e pessoal."

Os contínuos combates danificaram grande parte da infraestrutura do país, incluindo hospitais e outros centros de saúde. Os hospitais que ainda funcionam o fazem com dificuldades. Além disso, as pessoas que participam dos combates não demonstram suficiente respeito pelos profissionais e centros de assistência à saúde. Apenas para citar um exemplo, desde o início do conflito, inúmeros paramédicos, incluindo voluntários do Crescente Vermelho Árabe Sírio, perderam suas vidas enquanto tentavam salvar a de terceiros.

De acordo com a Dra. Reis, "a assistência à saúde no país continua baseada principalmente no acesso seguro das equipes aos feridos e doentes". As vidas dos indivíduos feridos dependem com frequência da rapidez com que os paramédicos ou socorristas possam evacuá-los e tratá-los. "Em áreas duramente afetadas como Aleppo e Deir Ezzor, chegar até os hospitais também é um desafio. Pudemos canalizar parte da assistência médica a essas áreas por meio do Crescente Vermelho Árabe Sírio, mas é necessário muito mais", declarou a coordenadora de saúde.

Desde o início da crise na Síria, o CICV distribuiu, com a ajuda do Crescente Vermelho Árabe Sírio, material médico e cirúrgico suficiente para tratar de milhares de feridos em todo o país, incluindo as áreas controladas pela oposição. O CICV também doou recentemente material a vários hospitais e outros centros de saúde em Homs, Damasco e zona rural de Damasco, além do material entregue em inúmeras ocasiões ao Ministério de Saúde. Drogas anestéticas, curativos e soro intravenoso são alguns dos artigos pedidos para doação. "No entanto, as necessidades são imensas", assinalou a Dra. Reis.

Para atender as necessidades médicas de forma eficiente, o CICV realiza avaliações nos hospitais e outros centros de saúde sempre que possível, seja diretamente com as unidades ou junto ao Crescente Vermelho Árabe Sírio. Em fevereiro, após a avaliação das necessidades em vários hospitais de Homs, o CICV doou material médico em Tal Kalakh e Al Holeh entre outros. "Uma grande quantidade de centros na Síria lida diariamente com pacientes feridos", contou a Dra. Reis. "Eles precisam de um fluxo contínuo de suprimentos para continuar funcionando e atendendo as necessidades. Se uma ferida não for tratada, por menor que seja, pode se tornar muito grave ou até ser fatal."

O CICV continua seriamente preocupado com a falta de proteção aos serviços médicos na Síria. De acordo com o Direito Internacional Humanitário, as partes em conflito devem respeitar e proteger, em todas as circunstâncias, os profissionais da assistência à saúde e os transportes como ambulâncias, bem como hospitais e outras unidades médicas. Não devem ser objetos de ataque e seu trabalho não deve ser impedido desnecessariamente. As partes devem facilitar sua passagem segura e adotar todas as medias possíveis para assegurar que os feridos e doentes recebam a assistência médica que necessitem sem demora.

Desde o início de fevereiro, o CICV:

  • avaliou as necessidades e a capacidade cirúrgica do hospital público de Al Waleed, o hospital particular de Al Zaem e o hospital particular de Al Birr em Homs, além de visitar o Hospital Nacional de Tal Kalakh;
  • doou remédios e material médico ao Crescente Vermelho Árabe Sírio no povoado de Kafar em Al Holeh;
  • doou 150 kits de soro intravenoso, suficientes para tratar 7,5 mil pacientes, ao Ministério da Saúde;
  • doou remédios ao Hospital Al Mojtahed em Damasco.

Também em fevereiro, em conjunto com o Crescente Vermelho Árabe Sírio, o CICV:

  •  entregou 60 mil litros de hipoclorito de sódio, um produto para o tratamento da água,  para ajudar o órgão local de distribuição a abastecer cerca de 1,2 milhão pessoas com água potável em Deir Ezzor;
  • forneceu e instalou um gerador de mil quilowatts em uma estação de tratamento de água em Qussayr, na província de Homs, para ajudar o órgão local de distribuição a abastecer água potável para 1,2 milhão de pessoas em Hama;
  • entregou água em caminhões-pipa a 65 mil pessoas em Tal Kurdi e Al Nabek, na zona rural de Damasco;
  • continuou melhorando as obras na rede de abastecimento de água, instalações sanitárias e moradias em 147 centros que alojam um total de 35 mil pessoas deslocadas na zona rural de Damasco, Homs, Aleppo, Al Hassakeh, Sweida e Al Quneitra;
  • forneceu cinco mil garrafas de água potável para quase 30 mil pessoas em Adra Al Ommalieh em Damasco.

Além disso, em conjunto com o Crescente Vermelho Árabe Sírio, o CICV forneceu:

  • rações alimentares para mais de 170 mil pessoas em Damasco, zona rural de Damasco, Homs, Deir Ezzor, Al Raqqa, Idlib, Aleppo e Lattakia;
  • colchões, cobertores e colchonetes para mais de 56 mil pessoas em Damasco, zona rural de Damasco, Homs, Deir Ezzor, Al Raqqa, Aleppo, Idlib e Lattakia;
  • utensílios domésticos (panelas, pratos, copos e talheres) para 29 mil pessoas em Al Raqqa, Damasco, zona rural de Damasco e Deir Ezzor;
  • artigos de higiene (xampu, sabonete, detergente, artigos de higiene feminina, etc) para quase 100 mil pessoas em Damasco, zona rural de Damasco, Homs, Deir Ezzor, Al Raqqa, Aleppo e Lattakia.

Mais informações:
Rima Kamal, CICV Damasco, tel.: +963 930 33 67 18 ou +963 11 331 0476
Dibeh Fakhr, CICV Genebra, tel: +41 22 730 37 23 ou +41 79 447 37 26


Foto

Aleppo. Uma criança sentada no meio das ruínas de uma casa. 

Aleppo. Uma criança sentada no meio das ruínas de uma casa.
© CICV / sy-e-00215

Hospital de Aleppo. Uma criança ferida sendo tratada. 

Hospital de Aleppo. Uma criança ferida sendo tratada.
© CICV / R. Garcia Vilanova / sy-e-00225

Aleppo. Al Shaar, Hospital Dar Al Shifa. Um paciente com ferimentos de guerra é transferido de ambulância até a Turquia já que faltam equipamentos médicos e recursos em Aleppo. 

Aleppo. Al Shaar, Hospital Dar Al Shifa. Um paciente com ferimentos de guerra é transferido de ambulância até a Turquia já que faltam equipamentos médicos e recursos em Aleppo.
© CICV / R. Garcia Vilanova

Aleppo. Busca dos corpos de duas meninas e sua mãe nas ruínas de uma casa. 

Aleppo. Busca dos corpos de duas meninas e sua mãe nas ruínas de uma casa.
© CICV / R. Garcia Vilanova / sy-e-00237

Campo de deslocados em Lattakia. 

Campo de deslocados em Lattakia.
© CICV / R. Kamal / sy-e-00249