• Enviar esta página
  • Imprimir esta página

Síria: ajuda humanitária é salvação para os deslocados

05-04-2013 Relatório de operações

O deslocamento de milhões de pessoas, em toda a Síria, gerou uma dependência total da assistência humanitária em algumas regiões do país. Tornou-se mais urgente do que nunca poder cruzar as linhas de frente e encontrar formas de alcançar as pessoas.

"A falta de assistência humanitária poderia ter consequências catastróficas para centenas de milhares de pessoas espalhadas pelo país", delcarou Jeroen Carrin, responsável pelas atividades de socorro do CICV na Síria. "Uma quantidade crescente de deslocados encontra-se agora sem renda ou economias e estão completamente dependentes da generosidade dos seus compatriotas e da comunidade internacional."

A obtenção do número exato de deslocados na Síria continua difícil, já que muitos vivem em áreas que são de acesso complicado. Muitos outros não se cadastraram. O Crescente Vermelho Árabe Sírio calcula, no entanto, que a quantidade atual seja de mais de 3,6 milhões.
 

Devido a um círculo de violência que não para de se expandir, dezenas de milhares de pessoas tiveram que deixar suas casas mais de uma vez por causa dos combates. Ao se deslocarem, as pessoas normalmente buscam refúgio em prédios públicos como escolas, estádios, centros culturais, mesquitas e igrejas. Algumas se refugiam temporariamente em prédios destruídos ou casas abandonadas, muitas vezes em condições miseráveis. "Vi 21 pessoas, inclusive crianças, vivendo apertadas em um apartamento dois cômodos. Não havia lugar para todos dormirem ao mesmo tempo, muito menos para qualquer privacidade," conta Carrin ao descrever a situação de três famílias deslocadas em Lattakia.
 

Apesar de as pessoas se deslocarem por todo o país, a magnitude do fenômeno é maior nas províncias centrais e do norte, como Idlib, Aleppo, Deir Ezzor, Raqqa, Homs, Hama e a zona rural de Damasco, do que no sul. De acordo com o Crescente Vermelho Árabe Sírio, cerca de 35 mil pessoas fugiram recentemente de Raqqa para Deir Ezzor em um único dia, devido ao recrudescimento dos combates na cidade.
 

As equipes do CICV que visitaram, durante o mês de março, Deir Ezzor, Idlib e Aleppo, nas áreas controladas pelas duas partes em conflito, também falaram das árduas condições de vida e imensas necessidades humanitárias. "Em cada visita a esses lugares, vimos como as pessoas estão empobrecendo cada vez mais e como dependem totalmente da assistência humanitária," declarou a chefe da delegação do CICV na Síria, Marianne Gasser.
 

Cruzar as linhas de frente tornou-se uma necessidade absoluta para alcançar as pessoas necessitadas, em especial nas áreas inacessíveis há meses. "Atravessamos com frequência as linhas nas últimas semanas e vamos continuar fazendo isso. Levamos ajuda às pessoas que estavam isoladas há quatro meses em Deir Ezzor, por exemplo, onde estivemos na semana passada. Foi possível chegar até ali graças ao diálogo com as partes em conflito. Também tivemos que pedir 'pausas humanitárias' em alguns casos. Este tipo de operação significa necessariamente assumir riscos, mas de que outro modo podemos levar ajuda às pessoas necessitadas em um zona de conflito?", pergunta Gasser.
 

O CICV incrementou suas atividades no país durante março. Visitou oito províncias e prestou ajuda, em cooperação com o Crescente Vermelho Árabe Sírio, para:
 

  • mais de 155 mil pessoas em Aleppo, zona rural de Damasco, Raqqa, Hama, Idleb, Damasco, Lattakia, Homs e Deir Ezzor, com a distribuição de rações alimentares;
  • mais de 62 mil pessoas em Aleppo, Damasco, Raqqa, Hama, zona rural de Damasco, Deir Ezzor, Lattakia, Idleb e Homs, com a entrega de colchões e cobertores;
  • cerca de 28 mil pessoas em Deir Ezzor, Lattakia e Hama que receberam utensílios de cozinha (panelas, pratos, xícaras e talheres);
  • aproximadamente 70 mil pessoas em Raqqa, Idleb, Deir Ezzor, Lattakia, Damasco, Aleppo, Homs, Hama e zona rural de Damasco, com a distribuição de artigos de higiene (xampu, sabão, detergente, higiene feminina, etc.).

 

No último mês, em cooperação com o Crescente Vermelho Árabe Sírio, os engenheiros hidráulicos do CICV:
 

  • ofereceram ajuda técnica, equipamentos e materiais às companhias locais de abastecimento de água de Damasco, Aleppo e Hama, incluindo quatro geradores e 10 mil litros de produto para tratamento da água;
  • distribuíram 15 mil garrafas de 10 litros de água potável em Aleppo e Deir Ezzor;
  • abasteceu com caminhões pipa aproximadamente 72 mil pessoas na zona rural de Damasco e Homs;
  • continuou com a recuperação das instalações hidráulicas, de alojamento e saneamento em mais de 100 prédios públicos que abrigam quase 25 mil pessoas, em Aleppo, Deir Ezzor, Quneitra, Damasco e zona rural de Damasco, e finalizou o trabalho em 52 prédios em Al Hassakeh onde estão alojados quase 6 mil deslocados.


 

Em março, as equipes de asssistência à saúde do CICV:
 

  • visitaram os hospitais Al Zaem, Al Birr e Al Waleed em Homs, onde entregaram material médico para o tratamento cirúrgico de 100 feridos, soro para 150 pacientes, curativos, aparelhos ortopédicos e outros;
  • forneceram material médico e cirúrgico para centros de saúde em Idlib e Sarmin para ajudar no atendimento de 150 feridos. Também foram doados remédios para o tratamento de doenças crônicas;
  • avaliaram as condições de saúde na província de Aleppo, ao visitar os centros de atendimento nas áreas controladas pelo governo e pela oposição. Foi doado a ambos lados material suficiente de primeiros socorros para 50 feridos e cirúrigicos para 100 feridos, bem como soro para 500 pacientes e remédios para o tratamento de doenças crônicas.

 

Mais informações:
Rima Kamal, CICV Damasco, tel.: +963 930 33 67 18 ou +963 11 331 0476
Dibeh Fakhr, CICV Genebra, tel.: +41 22 730 37 23 ou +41 79 447 37 26


Foto

Crianças deslocadas de Deir Ezzor em uma escola que funciona como lar temporário para elas e suas famílias. 

Al-Hassakeh, Síria.
Crianças deslocadas de Deir Ezzor em uma escola que funciona como lar temporário para elas e suas famílias.
© CICV

Uma menina e seu irmão parados ao lado da barraca da sua família no estádio que virou um centro para deslocados. 

Lattakia, Síria.
Uma menina e seu irmão parados ao lado da barraca da sua família no estádio que virou um centro para deslocados.
© CICV / R. Kamal

As equipes do CICV e Crescente Vermelho Árabe Sírio esperam começar a pausa acordada nos combates para poder entregar ajuda emergencial em Al Hamidieh. 

Deir Ezzor, Syria.
As equipes do CICV e Crescente Vermelho Árabe Sírio esperam começar a pausa acordada nos combates para poder entregar ajuda emergencial em Al Hamidieh.
© CICV / L. Khalil

As equipes do CICV e Crescente Vermelho Árabe Sírio distribuem rações alimentares. 

Hama, Síria.
As equipes do CICV e Crescente Vermelho Árabe Sírio distribuem rações alimentares.
© CICV / H. Akooly

Os engenheiros hidráulicos do CICV avaliam o estado das bombas hidráulicas e motores na estação de tratamento de água de Al Basil. 

Deir Ezzor, Síria.
Os engenheiros hidráulicos do CICV avaliam o estado das bombas hidráulicas e motores na estação de tratamento de água de Al Basil.
© CICV / L. Khalil