• Enviar esta página
  • Imprimir esta página

Mali: levar esperança às famílias dispersas

16-12-2013 Relatório de operações N° 11/2013

O conflito em curso desde janeiro de 2012 e as repetidas crises alimentares obrigaram 10 mil pessoas a fugirem para o norte de Mali. Algumas foram separadas dos seus familiares enquanto buscavam refúgio dentro do país ou no exterior. A Cruz Vermelha do Mali e o CICV estão ajudando essas pessoas a restabelecerem contato com seus entes queridos.

“Além de todas as consequências humanitárias visíveis, o deslocamento populacional – que, às vezes, ocorre de forma repentina – separa e divide famílias”, disse o chefe da delegação do CICV no Mali, Christoph Luedi. “Os refugiados não sabem o que aconteceu com os parentes próximos que ficaram para trás no Mali. Infelizmente, isso é muito comum em todos os conflitos”.

A falta de segurança impede que os meios de comunicação tradicionais funcionem adequadamente, o que dificulta ainda mais o contato entre as pessoas. Infelizmente, o exílio de muitos refugiados e o de outras pessoas deslocadas que padecem com a instabilidade da situação no norte do país poderia prosseguir.

Dentro do próprio Mali e também nos campos de refugiados montados em países adjacentes, a Cruz Vermelha do Mali e o CICV se esforçam para restabelecer o contato entre as pessoas separadas pelos conflitos. Nos centros de detenção, o CICV oferece os seus serviços para as pessoas detidas em conexão com o conflito e aos menores que estão associados com as forças ou grupos armados – todos os quais são considerados vulneráveis e, às vezes, passam meses sem notícias dos seus parentes.

Possibilitar que os detidos restabeleçam contato com os familiares

O CICV se empenha em visitar todas as pessoas presas ou detidas em conexão com o conflito. A organização aumentou os seus esforços desde que assinou um acordo abrangente sobre as visitas com as autoridades malinesas em abril de 2013. O Comitê está atualmente visitando 256 pessoas mantidas em 21 centros de detenção em todo o país com o objetivo de assegurar que as condições de respeito à vida e à dignidade das pessoas detidas aí.
 

As pessoas detidas têm a oportunidade de renovar o contato com parentes dos quais não tinham notícias. Usando mensagens por escrito ou “salamats” (indicando que estão vivos e bem), ou telefonemas realizados nos escritórios do CICV, elas podem dar notícias de cunho estritamente pessoal.
 

Desde o início do ano, o CICV facilitou 163 telefonemas entre os detidos e as suas famílias. Além disso, 119 mensagens foram distribuídas ou recolhidas em cooperação com a Cruz Vermelha do Mali. Esse esforço se estende aos países vizinhos, incluindo Mauritânia, Níger e Burkina Faso.

A particular vulnerabilidade das crianças

Os menores que estavam associados com forças ou grupos armados estão às vezes em centros de detenção. Segundo um acordo assinado pelas autoridades malinesas e as Nações Unidas, as crianças podem ser liberadas e derivadas a qualquer um dos dois centros de apoio psicossocial e alfabetização administrados por Intersos, uma organização não governamental em Bamako.
 

Em casos assim, o CICV assegura que o acordo seja cumprido e que os menores sejam transferidos para um dos centros. A organização então ajuda os menores a encontrarem os seus familiares, renovarem contato com eles e, se for necessário, voltar ao convívio da sua família. Até o momento, 15 crianças foram reunidas com as suas famílias em Gao, Tomboktu, Mopti e Ségou no norte do Mali, mas também no Níger.
 

“Antes de qualquer reunião familiar, conferimos que todas as condições necessárias sejam atendidas. Que não se exponham as crianças a mais riscos”, disse Filipa Neto Marques, colaboradora do CICV no Mali. “Depois, garantimos que a sua reintegração corra bem. É um processo longo. Em todos os casos, somos orientados pelo interesse superior das crianças”.
 

Enquanto esperam uma possível reunião, cada criança mantém contato regular com a sua família por telefone, videoconferência e mensagens por escrito.

Trabalhar em parceria com a Cruz Vermelha do Mali

Todas essas atividades são possíveis graças aos inúmeros voluntários da Cruz Vermelha do Mali que trabalham no país. A rede foi recentemente melhorada por meio do treinamento de 102 voluntários de 42 lugares em todo o país.
 

“Demos um excelente treinamento aos nossos jovens voluntários”, disse Dieneba Koureissi, responsável pelos serviços nacionais de busca da Cruz Vermelha do Mali. “As câmeras, motos e telefones que lhes demos ajudarão a pôr um sorriso nos rostos de muitas famílias que atualmente estão sem notícias dos seus parentes”.
 

O CICV e a Cruz Vermelha do Mali realizam essas atividades em coordenação com a Cruz Vermelha do Níger, a  de Burkina Faso e o Crescente Vermelho da Mauritânia.

Mais informações:
Valery Mbaoh Nana, CICV Bamako, tel: +223 76 99 63 75
Wolde-Gabriel Saugeron, CICV Genebra, tel: +41 22 730 31 49 ou +41 79 244 64 05


Foto

Um funcionário do CICV recolhe Mensagens Cruz Vermelha. 

Tin Hama, Gao, Mali.
Um funcionário do CICV recolhe Mensagens Cruz Vermelha.
© CICV

Um funcionário do CICV entrega Mensagens Cruz Vermelha. 

Tin Hama, Gao, Mali.
Um funcionário do CICV entrega Mensagens Cruz Vermelha.
© CICV

Uma mulher recebe notícias do seu filho graças a um telefonema do CICV. 

Ménaka, Gao, Mali.
Uma mulher recebe notícias do seu filho graças a um telefonema do CICV.
© CICV

Um homem reconhece o filho em uma foto, depois de algum tempo sem notícias suas. 

Tilabery, Mali.
Um homem reconhece o filho em uma foto, depois de algum tempo sem notícias suas.
© CICV

Um agricultor malinês acaba de se reencontrar com a mulher e os três filhos graças ao CICV e à Cruz Vermelha Malinesa. O conflito no norte do Mali havia separado esta família cinco meses atrás. 

Mopti, Mali.
Um agricultor malinês acaba de se reencontrar com a mulher e os três filhos graças ao CICV e à Cruz Vermelha Malinesa. O conflito no norte do Mali havia separado esta família cinco meses atrás.
© CICV / v-p-ml-e-00035

Um delegado do CICV telefona para um parente de uma pessoa refugiada que continua no Mali, possibilitando assim que tenham notícias um do outro. 

Agoudoufoga, norte de Tillabéry, Níger.
Um delegado do CICV telefona para um parente de uma pessoa refugiada que continua no Mali, possibilitando assim que tenham notícias um do outro.
© CICV / L. Mamoudou / v-p-ne-e-00089