• Enviar esta página

Proteção de civis

De acordo com as Convenções de Genebra, de 1949, e seus Protocolos Adicionais, de 1977, os civis e todas aquelas pessoas que não estejam participando de combates não podem, em hipótese alguma, ser alvos de ataques e devem ser respeitadas e protegidas. No entanto, o que vem ocorrendo, sobretudo, a partir da Segunda Guerra Mundial, é que este princípio não é obedecido e a população civil tem sofrido a maior parte das consequências da violência armada. Leia panorama completo.

Atividades selecionadas

  • As crianças e os estragos causados pela guerra

    Para marcar os aniversários de 20, 50 e 60 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança, da Declaração dos Direitos da Criança e das Convenções de Genebra, respectivamente, o CICV lançou um novo folheto sobre as crianças e guerra. A consultora do CICV para a proteção à criança, Kristin Barstad, fala sobre a situação das crianças durante a guerra e o que a organização faz para protegê-las e ajudá-las.


  • Desaparecidos: uma importante questão humanitária

    As famílias de pessoas desaparecidas sofrem com a incerteza sobre o destino de seus entes queridos, desaparecidos durante conflitos armados ou violência interna. Para marcar o Dia Internacional dos Desaparecidos (30 de agosto), Morris Tidball-Binz, diretor forense do CICV, comenta o papel da medicina legal no esclarecimento do destino dos desaparecidos.


Publicações Mais publicações

  • Violência e uso da força

    Esta publicação resume as diferentes situações jurídicas agrupadas em três categorias: conflitos armados, situações que não são conflitos armados e operações de manutenção da paz.