Comitê Internacional da Cruz Vermelha

Assembleia Geral da ONU deve colocar o foco nas pessoas mais vulneráveis afetadas por conflitos

Comunicado de imprensa 15 setembro 2017

Nova York (CICV) – Ao chegar a Nova York para a Assembleia Geral das Nações Unidas, o presidente do CICV, Peter Maurer, declarou:

"Esta Assembleia Geral se reúne em um momento crítico, quando o mundo se depara com conflitos mais numerosos e de maior complexidade. Nos últimos seis meses, visitei alguns dos conflitos mais brutais e prolongados no mundo. Há quatro semanas eu estava no Sudão do Sul. Antes disso estive no Iêmen. Anteriormente, na Síria, Myanmar e Ucrânia. Em cada um desses lugares, me encontrei com as pessoas que mais sofrem. A urgência para aliviar o sofrimento das pessoas é a minha meta esta semana."

O tema para o Debate Geral da Assembleia Geral das Nações Unidas é "Foco nas pessoas: lutar pela paz e por uma vida decente para todos num planeta sustentável". Durante o Debate Geral, os líderes mundiais farão pronunciamentos na Assembleia Geral e participarão em eventos de Alto Nível sobre as questões mundiais mais prementes. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) é um Membro Observador das Nações Unidas e estará presente na Semana de Alto Nível da Assembleia Geral da ONU. O presidente Maurer participará de debates sobre a Síria, Iraque, Iêmen, República Centro-Africana e prevenção da fome, bem como discursará na cerimônia de assinatura do Tratado sobre a Proibição de Armas Nucleares.

"Colocar o 'foco nas pessoas' é a escolha correta", afirma Maurer. "As minhas viagens mais recentes me deixaram claro que esse conceito deve ser na prática um foco nas pessoas vulneráveis que estão encurraladas em meio a conflitos mortais. Isso requer atenção às questões de prevenção que são críticas. Se elas não forem abordadas, os civis continuarão sofrendo, os estabelecimentos de saúde serão atacados, os profissionais humanitários serão mortos e os países devastados pelas guerras continuarão sendo uma ameaça para a estabilidade regional e internacional."

O CICV é uma organização humanitária e independente que atua na linha de frente e trabalha para prevenir o sofrimento mediante a promoção e o fortalecimento das normas humanitárias e princípios humanitários universais. Nesse âmbito, o CICV comparte com a ONU o objetivo comum de prevenir o sofrimento humano.

"O Secretário-Geral das Nações Unidas está enfatizando uma nova forma de trabalho que reconhece o que observamos no terreno em zonas de conflito", acrescentou Maurer sobre a relação com as Nações Unidas e os princípios do Direito Internacional Humanitário. "A natureza dos conflitos prolongados significa que devemos prestar assistência imediata que salva vidas e, ao mesmo tempo, manter os serviços básicos no longo prazo. Os abusos às normas da guerra são uma afronta à nossa humanidade comum e uma ameaça à vida."

"Os líderes reunidos aqui nesta semana têm a capacidade de fazer com que o Direito Internacional Humanitário seja respeitado e aplicado. Seja na conduta durante os combates ou nos envios de armas, as partes beligerantes e os que as apoiam devem fazer todo o possível para respeitar as normas da guerra. A ação humanitária não pode ser refém de fins políticos ou ser definida por modelos operacionais que não refletem as realidades atuais. Devemos estabelecer novas relações com os civis necessitados e encontrar novas formas de financiar este apoio. É hora de cumprir a nossa promessa de defender os mais vulneráveis."

Mais informações:

Diana Santana, CICV Nova York, tel: +1 (917) 455-9035