• Evacuação de civis.

    Ajudamos a realizar duas passagens seguras em março de Sumy para Lubni, na Ucrânia. Nosso papel foi simplesmente garantir que as pessoas que queriam ir embora da cidade pudessem fazer isso com segurança.

    Nossa prioridade continua sendo proteger a população civil.

    Vamos continuar pedindo que as partes em conflito protejam as pessoas civis, onde quer que estejam, e que cheguem a um acordo sobre garantias concretas de segurança no terreno – para que aqueles que queiram possam ir embora e para que a ajuda possa entrar..

  • Campos na Rússia.

    O CICV não participa da suposta "filtragem" de ucranianos para a Rússia.

    Queremos deixar bem claro que não estamos administrando nenhum campo de refugiados nem de trânsito na Rússia. Nós simplesmente ajudamos a Cruz Vermelha Russa a responder às necessidades humanitárias das pessoas que chegaram à Rússia.

    Atualmente, o CICV não tem um escritório em Rostov.

    Continuamos empenhados em ajudar as pessoas afetadas pelo conflito armado na Ucrânia, onde quer que elas estejam – em Kiev, Mariupol, Donetsk ou nos países vizinhos.

  • Reuniões de alto nível na Ucrânia e na Rússia.

    O presidente do CICV se reuniu com as autoridades russas em março. Ele também se reuniu com autoridades na Ucrânia na semana anterior.

    Estabelecer e manter um diálogo com todas as partes em um conflito é essencial para garantir o acesso a todas as comunidades. Fazemos isso em todos os países onde estamos presentes, para que possamos:

    ● Defender o respeito pelas normas da guerra.
    ● Pedir a proteção da população civil.
    ● Obter garantias de segurança para que a assistência humanitária atravesse as linhas de frente.

    Neste momento, as pessoas na Ucrânia precisam desesperadamente de comida, água e segurança. Nós nos reunimos com as autoridades tendo em mente essas necessidades urgentes.

  • Passagem segura para Mariupol.

    Nunca recusamos o pedido de estabelecer uma passagem segura de Mariupol.

    Fizemos propostas detalhadas sobre passagens seguras de pessoas civis para aliviar o enorme sofrimento.

    Para as pessoas que estão presas na cidade, o tempo está acabando. Elas já passaram semanas sem nenhuma ajuda.