Migração no sudeste da Europa: um desafio sem precedentes

As migrações e os movimentos populacionais sempre foram comuns ao longo da história. Mas agora, a região do sudeste da Europa recebe um fluxo de migrantes sem precedentes, fazendo com que o leste do Mediterrâneo seja a rota mais frequente de migração ao continente. De acordo com a Agência Europeia de Gestão de Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas dos Estados-Membros da União Europeia (FRONTEX), o número de migrantes nos Bálcãs Ocidentais aumentou de 19.950 em 2013 para 43.360 em 2014, e a tendência se intensificou, com 46.000 migrantes somente nos primeiros cinco meses de 2015.

Enormes quantidades de migrantes chegam de países atingidos por conflitos ou violência, viajando centenas de quilômetros, às vezes à pé, expondo suas próprias vidas e as vidas de suas famílias às dificuldades e ao perigo. Muitos sofrem com as condições climáticas extremas e viajam confinados em vans de contrabandistas, às vezes enfrentando a incompreensão ou a animosidade da população local, tentando permanecer com os seus pequenos grupos ou famílias. E sempre se movendo adiante.

As autoridades dos países atravessados por esses migrantes estão sobrecarregadas pela escala do problema. Certamente, há leis que regem os procedimentos para lidar com os migrantes e os requerentes de asilo, mas às vezes são inadequadas. Em muitos casos, os mecanismos que deveriam garantir a sua implementação simplesmente não existem. Os estabelecimentos para acomodar os migrantes são muitas vezes insuficientes. Os países da região já enfrentavam seus próprios problemas econômicos. Agora, precisam arcar com mais essa carga em termos humanitários. Os serviços de saúde de países como Sérvia e Macedônia não poupam esforços para oferecer atendimentos, às vezes custosos, aos que chegam.

As Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha estão fazendo o possível para ajudar os migrantes.

O Serviço de Refugiados e Migrantes da Cruz Vermelha da Bulgária presta assistência material e ajuda na integração à sociedade búlgara, trabalhando para evitar o seu isolamento e promover a tolerância.

Profissionais de saúde que trabalham como voluntários na Cruz Vermelha da Macedônia prestam assistência primária à saúde em centros de recepção para requerentes de asilo. A Cruz Vermelha da Macedônia também envia equipes móveis para distribuir alimentos e remédios aos migrantes ao longo da rota.

A maioria das Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha oferecem apoio psicossocial e atividades educativas em centros de migrantes. E todas colocam à disposição desses viajantes de longa distância a possibilidade de manter ou restabelecer contato com as suas famílias. O Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho se encontra em uma posição única para prestar esses serviços através de sua Rede de Laços Familiares de alcance mundial.

Serbian Red Cross posters telling migrants about the possibility of looking for their family members.

Krnjaca, Sérvia. Cartazes da Cruz Vermelha Sérvia informam os migrantes sobre a possibilidade de buscar os seus familiares. © Cruz Vermelha Sérvia

As Sociedades da Cruz Vermelha da Albânia, Bósnia-Herzegovina, Bulgária, Croácia, Hungria, Macedônia, Montenegro, Polônia, Romênia e Sérvia, em conjunto com as unidades da Cruz Vermelha em Kosovo, concordaram em trabalhar com o CICV para criar um fórum de compartilhamento de informações, o Centro Regional de Informações para o Restabelecimento de Laços Familiares.

O objetivo é manter uma visão abrangente sobre os movimentos dos migrantes, a evolução dos mecanismos administrativos e jurídicos relacionados com eles, o que está sendo feito para ajudá-los e os incidentes de que são vítimas.

Embora a principal função do Centro seja facilitar o contato entre os migrantes e os seus familiares nos países de origem e/ou de destino final, também serve para alertar as Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha ao longo da rota migratória sobre os fluxos e refluxos nos movimentos populacionais, além de fornecer um meio para a troca de experiências em matéria de ajuda aos migrantes.

O Centro também conscientiza os migrantes e todos os envolvidos com a questão da migração a respeito do serviço de Restabelecimento de Laços Familiares prestado pelo Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho.
Entre em contato com o Centro de Informação Regional para o Restabelecimento de Laços Familiares pelo email: rflric_bel@icrc.org

Receba o boletim do CICV