Página arquivada:pode conter informações antigas

Sudão: CICV não descansará até que Gauthier Lefèvre, funcionário sequestrado, seja liberado

16-02-2010 Entrevista

O CICV renova seu apelo para a liberação do membro de sua equipe Gauthier Lefèvre, tomado como refém em Darfur Ocidental, Sudão, no dia 22 de outubro de 2009. Daniel Duvillard, chefe de operações do CICV para o Leste da África, explica que esforços estão sendo realizados para resolver esta crise.

 

 
   
Daniel Duvillard, chefe de operações do CICV para o Leste da África. 
     

  O fim desse sofrimento está próximo, depois que quase 120 dias do sequestro de Gauthier?  

No dia 6 de fevereiro, foi com grande alegria e alívio que recebemos a notícia de que nosso outro colega, Laurent Maurice, havia sido liberado no Sudão depois de ser mantido como refém por 89 dias no leste do Chade. Agora desejamos e esperamos que o sofrimento de nosso colega Gauthier chegue ao fim em breve. Esta sexta-feira, 19 de fevereiro, marca os 120 dias de seu cativeiro. Cada dia que passa é um longo dia para ele, sua família e todos aqui do CICV.

Continuamos fazendo o possível para conseguir sua liberação rápida e segura. Estamos em contato com os sequestradores e com as autoridades nacionais e locais e estamos acompanhando os desdobramentos do caso de perto. Nossa prioridade é assegurar que Gauthier seja liberado sem demoras ou condições. A responsabilidade pelo tratamento e o bem-estar de nosso colega está nas mãos dos sequestradores.
 
Estamos cientes da dor e da tensão vivenciadas pela família de Gauthier. Queremos que eles saibam que estamos fazendo o possível para conseguir sua rápida liberação. Tentamos confortá-los, mas somente a liberação de seu ente querido lhes trará um verdadeiro alívio.
 
Qual foi o objetivo da recente visita do Presidente do CICV ao Sudão?
 
 
No dia 9 de fevereiro, o presidente do CICV, Jakob Kellenberger, se reuniu em Cartum com o presidente do Sudão, Omar Hassan Ahmad Al Bashir, para discutir os esforços para a liberação rápida e segura de Gauthier. O presidente Kellenberger agradeceu ao governo sudanês por ter assegurado a liberação do delegado do CICV Laurent Maurice. Ao mesmo tempo, o presidente Al Bashir confirmou ao presidente Kellenberger que seu governo está totalmente comprometido a fazer todo o possível para conseguir a liberação rápida e segura de Gauthier.
 
Que impacto os sequestros têm sobre suas atividades no Sudão?
 
 
Uma vez que a segurança é uma grande preocupação, essa questão está sendo constantemente revista. Estamos tomando todas as precauções possíveis para assegurar que nossa equipe possa trabalhar em segurança. Embora não tenhamos suspendido o trânsito e tenhamos adaptado nossa presença no terreno em Darfur Ocidental, estamos lutando para manter os serviços essenciais que ninguém mais pode prestar. Em particular, continuamos com nosso trabalho de apoio aos centros primários de assistência médica no campo de deslocados em Gereida, sul de Darfur. Continuamos apoiando os centros primários de assistência médica e outros centros locais e as atividades do Crescente Vermelho Sudanês.
 
Em áreas remotas de Darfur onde poucas organizações podem ir, o CICV disponibiliza água potável e ajuda as pessoas a se manterem com a agricultura e o pastoreio. O fato de termos sido obrigados a reduzir nossa presença no terreno significa que estamos prestamos menos serviços. Lamentamos profundamente essa situação. Nossa prioridade é conseguir a liberação de nosso funcionário o quanto antes para podermos levar todos os nossos recursos para apoiar o trabalho humanitário que precisa ser feito.

Por fim, queremos reforçar que embora nossas atividades tenham sido reduzidas em algumas áreas em particular, em outras regiões do Sudão continuamos com nosso trabalho como antes.

 

      Veja também: funcionário do CICV libertado, Laurent Maurice, conta sua experiência.