Afeganistão: estabelecimentos médicos não podem estar em risco

13 setembro 2016

Cabul / CICV – O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) condena o violento incidente ocorrido ontem no hospital regional de Mirwais, em Kandahar, causando a morte de duas pessoas e ferimentos em outras três.

"Os estabelecimentos de saúde, postos de primeiros socorros, clínicas e hospitais são lugares onde as pessoas feridas e doentes vão para serem curadas, não para correrem risco de vida", afirmou a chefe da delegação do CICV no Afeganistão, Monica Zanarelli.

Os pacientes, ademais dos estabelecimentos, profissionais e veículos de saúde, estão protegidos segundo o Direito Internacional Humanitário (DIH). Todas as pessoas que precisam de tratamento – seja uma mãe a ponto de dar à luz, seja uma pessoa com uma doença crônica, ou mesmo um combatente ferido – devem poder ter acesso seguro, em tempo hábil e desimpedido aos serviços de saúde e ao atendimento médico.

"Este incidente não é um caso isolado. No último ano, houve dezenas de ocasiões nas quais os pacientes e os profissionais de saúde estiveram em perigo, inclusive alguns deles terminaram mortos. Os estabelecimentos médicos foram atacados e motoristas que transportavam pessoas doentes e feridas ao hospital foram ameaçados e pior do que isso", contou Zanarelli.

No incidente de ontem, o número de vítimas foi baixo. No entanto, poderia ter sido muito pior.

Mirwais - o maior hospital no sul do Afeganistão e administrado pelo Ministério da Saúde Pública – oferece atendimento médico abrangente e é um recurso vital para mais de quatro milhões de pessoas. Também conta com apoio do CICV mediante o fornecimento de material médico, equipamento e treinamento das equipes nos últimos 20 anos.

Mais informações:
Jessica Barry, CICV Cabul, tel: +93 729 14 05 10