Chifre da África: novos esforços para reunir famílias encurraladas pela violência no Sudão do Sul

27 abril 2015
Chifre da África: novos esforços para reunir famílias encurraladas pela violência no Sudão do Sul
Sudão do Sul. O CICV facilita a classificação de fotos em Old Fangak, estado de Jonglei, em parceria com a Cruz Vermelha do Sudão do Sul. CC BY-NC-ND/CICV/Pawel Krzysiek

O CICV lançou uma iniciativa para ajudar milhares de pessoas que fogem da violência no Sudão do Sul. Uma nova página (http://familylinks.icrc.org/south-sudan) foi criada para permitir que as pessoas busquem parentes com os quais perderam contato.

"A nova página permitirá que os cidadãos do Sudão do Sul que vivem no exterior, em países como Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Canadá e França, procurem familiares deslocados pela violência", conta Marc Studer, do CICV, que lidera o projeto.

As fotos das pessoas são carregadas nesse website e, quando os visitantes reconhecem a foto de um parente próximo, podem clicar na imagem e enviar uma mensagem. Essa mensagem é, então, entregue pelo CICV ou pelas Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha ou do Crescente Vermelho à pessoa na foto. "Espero que a página e a sua promoção nas mídias sociais ajudem as pessoas refugiadas e deslocadas que buscam desesperadamente as suas famílias", afirmou Studer.

Depois da recente onda de violência, centenas de milhares de pessoas fugiram do Sudão do Sul e atravessaram as fronteiras para países vizinhos como Etiópia, Uganda, Sudão e Quênia. Mais de 1,6 mil fotos de pessoas deslocadas foram tiradas nos campos de refugiados em Gambella, Etiópia, e em Juba, Sudão do Sul. As fotos, de adultos e crianças desacompanhadas, foram tiradas pelas Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha da Etiópia e do Sudão do Sul, com o apoio do CICV.

Originalmente, as fotos eram colocadas em álbuns de fotografias e, em janeiro e fevereiro deste ano, mostradas em campos e outros lugares no Sudão do Sul, Quênia e Uganda. "Graças a esses álbuns, temos a satisfação de contar que conseguimos que cerca de 150 pessoas fossem reconhecidas até o momento", disse Dalila Romdhane, a oficial do CICV que está a cargo deste trabalho no Sudão do Sul. Agora a ideia é ampliar o alcance desta iniciativa, com o lançamento da página.

Sudão do Sul. O CICV facilita a classificação de fotos em Old Fangak, estado de Jonglei, em parceria com a Cruz Vermelha do Sudão do Sul. CC BY-NC-ND/ICRC/Pawel Krzysiek

Desde o início da crise em dezembro de 2013, o CICV e as Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho na região estão ativos com o restabelecimento de laços familiares entre os refugiados. Mais de 68 mil telefonemas foram facilitados, quase duas mil mensagens, distribuídas, e 400 solicitações de busca, abertas.

Mais informações:
Zewdu Ayalew, CICV Addis Ababa, tel: +251 911 61 43 36
Pawel Krzysiek, CICV Juba, tel: +211 912 36 00 38
Jason Straziuso, CICV Nairóbi, tel: +254 733 622 026
Jean-Yves Clemenzo, CICV Genebra, tel: +41 22 730 22 71 ou +41 79 217 32 17