CICV e Cruz Vermelha da Etiópia ajudam repatriados com atividades de geração de renda

28 agosto 2019
CICV e Cruz Vermelha da Etiópia ajudam repatriados com atividades de geração de renda
Hiywot trabalha em um projeto de costura, enquanto um cliente aguarda em sua loja na cidade de Mekelle. CC BY-NC-ND / CICV / Khurshed Musoyatov

Hiywot Gebreegziabher, uma etíope de 40 anos, regressou à sua casa em 2017 após viver como refugiada na Eritreia por muitos anos. Quando chegou à cidade de Mekelle, no norte da Etiópia, ela ficou preocupada por não ter meios para sustentar a si própria e a sua filha pequena. Por isso, teve que morar na casa de uma prima. Felizmente para Hiywot, essa situação de dependência não durou muito: ela logo pôde participar de uma atividade de geração de renda com o apoio que recebeu do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e da Cruz Vermelha da Etiópia.

Em 2018, o CICV lhe forneceu uma máquina de costura com acessórios. Hiywot então começou a costurar vestimentas religiosas, um ofício que, segundo ela, tornou-se um negócio lucrativo.

"Além de me tornar autossuficiente, também pude matricular a minha filha em uma escola privada, algo que antes era impensável para mim", afirma. Seu salário líquido mensal é de 3 mil birr (24 dólares).

Cerca de 1.250 retornados etíopes, a maioria residentes em Mekelle, recebem ajuda financeira do CICV e da Cruz Vermelha da Etiópia desde 2012. Em 2017, o CICV lançou iniciativas microeconômicas para famílias repatriadas na cidade. Hiywot é uma das pessoas que se beneficiaram da assistência.

"O objetivo do projeto é ajudar os retornados a se tornarem autossuficientes, participando de vários pequenos negócios à sua escolha", afirma Khurshed Musoyatov, funcionário do CICV. "Mais de 200 pessoas já receberam esse apoio desde 2017."

Outro beneficiário do projeto é Filmon Gbreegziabher, de 26 anos, que sustenta três familiares. Ele realiza atividades de carpintaria desde 2018, quando regressou da Eritreia.

"A máquina de cortar madeira e outras ferramentas necessárias, que recebi do CICV e da Cruz Vermelha da Etiópia, serviram como sementes para eu começar o meu negócio", diz Filmon, que fabrica sofás, camas e outros produtos de madeira. Segundo ele, a abertura da fronteira entre a Etiópia e a Eritreia aumentou a demanda desses artigos, permitindo que expandisse a sua pequena empresa. "Tenho agora oito pessoas trabalhando para mim", afirma.

Gebregiorgis Berihu, também repatriado, diz: "Valorizo os esforços da Cruz Vermelha, que me proporcionou uma máquina de lavar roupa e outras ferramentas. Agora posso gerar uma renda modesta, suficiente para sustentar a minha família."

Gebregiorgis conversa com uma funcionária do CICV sobre o seu negócio em Mekelle. CC BY-NC-ND / CICV / Khurshed Musoyatov

O CICV, em parceria com a Cruz Vermelha da Etiópia, ajuda as pessoas afetadas por conflitos armados e outras situações de violência. Também mantém um diálogo com as autoridades para sensibilizá-las sobre as necessidades dos deslocados, ressaltando a importância de proteger os centros de saúde e permitir a circulação de ambulâncias que transportam doentes e feridos.