Colômbia: violência insidiosa em crescimento em 2015

09 março 2016
Colômbia: violência insidiosa em crescimento em 2015
O desaparecimento é um dos problemas enfrentados pela população. No ano passado, mais de 275 mil pessoas foram beneficiadas pelas atividades do CICV na Colômbia. Andrea Carolina García / CICV

Bogotá (CICV) – Embora o confronto entre o governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – Exército Popular (Farc-EP) esteja diminuindo, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) continua registrando os mesmos níveis de violência dos anos anteriores no país. Em um relatório lançado hoje sobre os desafios humanitários que a Colômbia enfrenta em 2016, o CICV ressalta o índice elevado de ameaças de morte, desaparecimentos e violência sexual em 2015.

"Isso demonstra a complexidade da situação na Colômbia atualmente", afirma o chefe da delegação do CICV na Colômbia, Christoph Harnisch. "O país está esperando o fim do conflito, mas o progresso ocorrido em Havana ainda não está fazendo a diferença nas vidas da maioria dos colombianos. Eles ainda enfrentam a violência em diversas formas e precisam de ajuda humanitária".

Em 2015, o CICV registrou 812 supostas violações ao Direito Internacional Humanitário (DIH) e outros ataques – relacionados ou não com o conflito armado – que causaram 19 mil vítimas. Na maioria dos casos, os perpetradores dessa violência insidiosa atacaram uma pessoa sozinha ou um pequeno grupo de pessoas, de modo a manter um perfil baixo. Metade dos ataques foi contra mulheres e crianças.

Quando apresentou este relatório, o CICV destacou quatro desafios para a Colômbia em 2016: buscar 79 mil pessoas desaparecidas; lidar com as minas antipessoal e outros artefatos explosivos; tratar da violência não relacionada com o conflito; e melhorar as condições de prisão.

"Esses desafios envolvem a todos nós", acrescentou Harnisch. "O CICV continuará trabalhando para encontrar soluções e apoiando a implementação de acordos humanitários que abarcam as partes em conflito. Estamos dispostos a agir como intermediários neutros em qualquer conversa entre o governo e o Exército da Liberação Nacional (ELN), que ainda não começou formalmente."

Mais de 275 mil pessoas foram ajudadas através da ação do CICV na Colômbia em 2015. Muitas atividades foram realizadas em conjunto com a Cruz Vermelha Colombiana, que celebrou o seu centésimo aniversário no ano passado.

Mais informações:

Édgar Alfonso, CICV Bogotá, tel.: +57 311 491 07 89
Elodie Schindler, CICV Genebra, +41 79 217 32 51