Iêmen: acesso aos detidos é um imperativo humanitário

16 maio 2017
Iêmen: acesso aos detidos é um imperativo humanitário

Genebra/Sanaa (CICV) – O sofrimento de milhares de pessoas que perderam o contato com familiares detidos em conexão com o conflito no Iêmen deve terminar, afirmou o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) nesta terça-feira.

"Fazemos um apelo urgente a todos os lados, incluindo os Estados que apoiam as partes no terreno, para que garantam o acesso imediato e incondicional às pessoas detidas em relação com o conflito", declarou o diretor de operações do CICV, Dominik Stillhart, ao concluir uma visita de cinco dias ao país.

"Centenas de famílias entraram em contato conosco sobre essa questão. Algumas estão há anos sem ter notícia dos entes queridos", acrescentou Stillhart. "Desaparecimentos forçados, assim como alegações de maus-tratos e de piora nas condições, agravam a difícil situação dos detidos e a ansiedade das famílias."
Segundo Stillhart, tais visitas são um imperativo humanitário não negociável e ajudariam a fortalecer a confiança mútua entre as comunidades iemenitas.

Em 2016, o CICV visitou mais de 11 mil detidos no Iêmen e 250 detidos iemenitas na Arábia Saudita. "No entanto, muitas pessoas detidas em conexão com o conflito continuam fora do alcance em muitos lugares. Isto deve mudar para o benefício de todas as partes", completou.

O CICV trabalha no mundo todo para assegurar condições humanas de detenção através de visitas regulares aos presídios e encontros com os detidos para monitorar a sua situação e tratamento, propiciando melhorias. A organização dialoga com as autoridades de maneira confidencial sobre as suas conclusões.

Mais informações::

Soumaya Beltifa, CICV Sanaa, tel: +967 736 071 967
Adnan Hizam, CICV Sanaa, tel: +967 733721659
Ralph El Hage, CICV Aman, tel: +962 77845 4382
Marie-Claire Feghali, CICV Genebra, tel: +41 79 536 92 31

Receba o boletim do CICV