Iêmen: enormes necessidades humanitárias após dias de combates em Aden

12 agosto 2019

Genebra/Sanaa (Iêmen) – Hospitais da cidade de Aden se esforçam de forma desesperada para conseguir suprimentos básicos, após dias de enfrentamentos que deixaram dezenas de mortos e centenas de feridos, segundo as primeiras informações.

Muitas das pessoas feridas e encurraladas nos confrontos não puderam ter acesso aos centros de saúde. Algumas delas morreram.

Uma equipe do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) visitou dois hospitais na segunda-feira (12) e doou artigos cirúrgicos suficientes para o tratamento de 100 pessoas, além de colchões, macas e sacos mortuários.

"Os combates duraram 72 horas com armas pesadas e foram muito intensos durante o dia. Podíamos escutar os disparos perto do escritório do CICV", afirma Mathias Kempf, chefe da missão em Aden.

Com a piora da situação, pelo menos 200 mil pessoas ficaram sem acesso à água potável. O CICV entrou em contato com diversas organizações e autoridades para restabelecer esse serviço básico vital, em uma época em que a cidade se preparava para um dos maiores feriados do calendário islâmico, Eid Al Adha (Festa do Sacrifício), com os locais de trabalho fechados e as famílias reunidas para a celebração.

"Quando as pessoas perdem o acesso aos serviços, as consequências podem ser mortais. Muitos feridos não puderam chegar aos hospitais", diz Mempf. "Os moradores pediram a um funcionário do CICV que conseguisse uma conexão de energia, em nome de um vizinho idoso que a necessitava para manter o seu tubo de oxigênio funcionando. Essas são as histórias que não são contadas quando as pessoas sofrem em silêncio durante um confronto."

Conflito generalizado, grave crise econômica, insegurança alimentar e colapso dos serviços públicos essenciais continuam a provocar um terrível impacto entre os iemenitas.

"O que aconteceu com a população de Aden não é uma situação isolada; ocorre quase todos os dias em todas as partes do Iêmen. É preciso haver decisão política para acabar com o sofrimento da população", afirma Kempf.

Este ano (até o final de junho), 342 mil pessoas receberam ajuda alimentar ou financeira, enquanto 3 milhões foram beneficiadas pelas atividades de água e saneamento do CICV no Iêmen. No mesmo período, quase 13 mil feridos de guerra receberam atendimento em hospitais apoiados pela organização. Mais de 5 mil cirurgias foram realizadas em feridos de guerra nos mesmos hospitais.

Disponível para entrevistas:
Mathias Kempf, chefe da missão do CICV em Aden. Enviar os pedidos para Erika González, do CICV no Iêmen: etovargonzalez@icrc.org / +967 736 071 967
Mais informações sobre as atividades do CICV no Iêmen:
Ruth Hetherington, coordenadora de comunicação e porta-voz para o Oriente Próximo e Médio, rhetherington@icrc.org /+ 41 79 447 37 26