Israel e territórios ocupados: ataques contra civis provocam espirais de violência e ódio

Genebra (CICV) – A recente violência em Israel e Gaza atingiu um nível que não víamos há muitos anos, e pode aumentar drasticamente e causar ainda mais dor e angústia a todas as partes.
Comunicado de imprensa 10 outubro 2023 Israel e territórios ocupados

Em meio à violência devastadora – o assassinato premeditado de civis e os bombardeios em bairros residenciais –, um sinal preocupante é que foram ouvidas poucas vozes pedindo moderação. Na nossa experiência, intensificar a retórica da guerra causa maior sofrimento às pessoas civis.

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), presente em Israel e nos territórios ocupados de forma permanente desde 1967, tem sido testemunha durante muito tempo de que o devastador assassinato de civis provoca espirais de violência e ódio.

Sem restrições imediatas, caminhamos para um desastre humanitário.

 

A população civil sempre paga o preço mais alto nos conflitos. Neste momento crítico, instamos as partes a respeitar suas obrigações de acordo com o Direito Internacional Humanitário e a tomar todas as medidas possíveis para evitar que os civis sofram mais danos. Todos os lados devem se conter e proteger as vidas e bens civis.

O assassinato de civis e os maus-tratos são proibidos pelas Convenções de Genebra. Além disso, elas estabelecem que as pessoas feridas ou doentes devem receber assistência. As pessoas detidas devem ser tratadas humanamente e com dignidade. A tomada de reféns é proibida pelo Direito Internacional Humanitário, e os reféns devem ser libertados ilesos imediatamente.

A infraestrutura crítica da qual as pessoas dependem para viver – incluídas as redes de água e eletricidade – não deve ser atacada. Independentemente de qualquer cerco militar, as autoridades devem garantir aos civis acesso às necessidades básicas como água potável, alimentos e atendimento médico.

Eu estou extremamente preocupada com o sofrimento das famílias que perderam contato com algum dos seus entes queridos, a situação é devastadora.

Estamos prontos para fazer todo o possível para ajudar, também no nosso papel como intermediário neutro. As equipes humanitárias devem ter livre passagem para assistir as pessoas necessitadas. Os estabelecimentos e profissionais de saúde nunca devem ser atacados.

 Mirjana Spoljaric, presidente do Comitê Internacional da Cruz Vermelha

 

O CICV ofereceu ajuda humanitária de forma imediata a ambos os lados. Estamos trabalhando para apoiar as autoridades na identificação das pessoas desaparecidas. Também enviamos provisões médicas para um hospital em Gaza.

As equipes do CICV estão trabalhando em estreita parceria com o Magen David Adom e o Crescente Vermelho Palestino para ajudar as pessoas feridas, doentes e necessitadas. Alguns membros dessas duas organizações foram vítimas da violência; os profissionais de saúde devem ser protegidos em todas as circunstâncias.

O CICV está pronto para ajudar a reunir famílias separadas, esclarecer a sorte e paradeiro das pessoas desaparecidas e evacuar aquelas feridas de forma coordenada com o Crescente Vermelho Palestino e o Magen David Adom.

O CICV entrou em contato com todas as partes com o objetivo de lembrá-las das suas obrigações e responsabilidades de acordo com o Direito Internacional Humanitário (DIH). Estamos em constante comunicação com elas para coordenar nosso acesso e resposta humanitária.

 

Sobre o CICV

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) é uma organização neutra, imparcial e independente, cuja missão exclusivamente humanitária deriva das Convenções de Genebra de 1949. A organização ajuda as pessoas afetadas por conflitos armados e outras situações de violência no mundo inteiro, fazendo todo o possível para proteger a vida e a dignidade delas e para aliviar o seu sofrimento, com frequência em conjunto com os parceiros da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho.

O CICV está presente em Israel e nos territórios ocupados desde 1967, incluídos o território palestino ocupado de Gaza, Cisjordânia e Jerusalém Oriental. Mantemos diálogo regular com todas as autoridades relevantes para promover o DIH. Algumas de nossas atividades são visitar pessoas detidas, reunir famílias, apoiar projetos de subsistência e ajudar a melhorar o acesso a serviços essenciais, como os de água e eletricidade. Trabalhamos com o Crescente Vermelho Palestino e o Magen David Adom.

 

Para mais informações:

Jessica Moussan, CICV Dubai, jmoussan@icrc.org, +971 504 254 091

Imene Trabelsi, CICV Beirute, itrabelsi@icrc.org, +961 313 83 53