Kachin: assistência começa a chegar com o abastecimento de água no campo de deslocados

Imagine caminhar durante mais de uma hora somente para conseguir a quantidade diária de água potável necessária.
Artigo 29 outubro 2018 Myanmar

Para as pessoas deslocadas internamente que vivem em um acampamento no Estado de Kachin, em Myanmar, essa era a sua dura rotina diária até recentemente. Depois de um ano de trabalho intenso, os engenheiros do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) construíram um sistema de distribuição de água no campo Mai Khaung KBC, próximo ao povoado Mai Khaung, que abriga quase 170 famílias de deslocados. Agora, os residentes do campo não precisam mais se deslocar quilômetros para conseguir a água potável; ela está disponível a apenas alguns passos de distância.

CC BY-NC-ND / ICRC / Tammo Van Gastel

Mais de 100 mil pessoas estão deslocadas do norte de Myanmar desde 2011, quando os militares de Myanmar (Tatmadaw) e o Exército Independente de Kachin (KIA) retomaram os combates depois de um cessar-fogo de 17 anos. O conflito atual destroçou a economia de Kachin, causando a perda dos meios de subsistência e o acesso a serviços básicos para a população.

CC BY-NC-ND / ICRC / Lin Hnin Aye

Kaw Mai, junto com o seu marido e os seis filhos pequenos, é uma das milhares de pessoas que foram deslocadas por causa do conflito. Eles fugiram do Estado de Kachin há dois anos, refugiando-se em um acampamento perto do povoado Mai Khaung, que abriga outras 169 famílias. Embora existam outras necessidades prementes, o acesso à água potável é uma das principais preocupações dessas pessoas.

Nos esforçamos para trazer água potável para o campo desde que chegamos aqui.

Embora o acampamento tenha alguns poços que forneciam água para lavar roupa, cozinhar e banhar-se, não era limpa o suficiente para beber. Como consequência, Kaw Mai tinha que caminhar durante meia hora até o povoado mais próximo para conseguir água potável.

Isso, porém, mudou quando o CICV criou um sistema de distribuição que fornece água encanada para cada seis casas. Antes disso, todo o campo só dispunha de sete bombas manuais e dois chuveiros, forçando os residentes a caminharem alguns quilômetros cada vez que precisavam de água, tendo que fazer fila por duas horas para chegar a sua vez.

Além disso, adotamos um enfoque sustentável usando energia solar para o sistema, que o mantém funcionando todo o dia, mas também reduzi o custo de operação.

É a primeira vez que a energia solar foi empregada para uma rede de abastecimento de água no Estado de Kachin, fazendo com que outras organizações observem o projeto com interesse para replicá-lo em outros lugares.

Havia dias antes que eu nem podia tomar banho de chuveiro, muito menos lavar as minhas roupas, por causa da minha condição de saúde.

CC BY-NC-ND / ICRC / Lin Hnin Aye

Para Maraw Htu Lum, de 85 anos, com dores nas costas, o acesso à água facilitou muito a sua vida. Maran Naw Htoi, pai de uma criança de 4 anos, conta: "É um grande alívio para os idosos. Caminhar longas distâncias carregando um balde nas costas estava nos afetando a todos."

Mary Lu Pan, uma jovem mãe, explica: "Ter uma torneira em frente de casa me permite lavar a minha roupa enquanto o meu bebê dorme. Economizo muito tempo e esforço!"