Guerra civil no Sudão do Sul

O conflito recorrente no Sudão do Sul causa deslocamentos forçados, separação de famílias e destruição do sistema de assistência à saúde. As pessoas deixam suas casas e meios de sobrevivência e fogem em busca de segurança. Crianças, idosos, homens e mulheres passam a viver em lugares isolados, pantanosos, escondidos dentro da mata. Outros ficam para trás, com muitas dificuldades de se valer por si sós.

O país mais novo do mundo enfrenta uma grave crise humanitária. Os números falam por si só. Das 12 milhões de pessoas no Sudão do Sul, 6 milhões estão em situação grave de fome e carece de assistência alimentar e 4 milhões estão deslocadas.

Quando conflito na fronteira do Sudão e do Sudão do Sul, dividiu uma comunidade em duas. Fugindo da violência, centenas de famílias foram separadas e perderam completamente o contato entre si. Depois de um boca a boca, o nossas equipes conseguiram reconectá-las e, com uma ligação, conseguiu compartilhar notícias com 2,5 mil pessoas sobre os seus entes queridos.

 "Quando levaram as nossas crianças, roubaram os nossos corações", diz Federiko ao se reencontrar o filho. ACC BY-NC-ND / CICV / Mari Aftret Mortvedt

O CICV juda as famílias separadas por conflito e outras situações de violência a se reconectarem. Registra os parentes e busca os entes queridos, estejam eles dentro ou fora do país. O CICV sempre assegura que os familiares estejam dispostos a se reencontrarem e que isso reflita o interesse de todos os envolvidos. A organização também faz a busca e trata de levar crianças sequestradas de volta aos pais. 

Assistência à saúde vulnerável

O Sudão do Sul está entre os países no mundo com o pior acesso à assistência à saúde. Some-se isso ao conflito em andamento, muitas pessoas não tem condições de chegar aos hospitais ou clínicas para receber tratamento.

O CICV evacua pessoas feridas por armas de fogo em todo o Sudão do Sul e as levou para hospitais onde poderiam receber atendimento médico. A evacuação uma maneira vital  de salvar sul-sudaneses feridos por armas de fogo