Terreno, Proteção e Detenção - Trabalhar para o CICV

Vagas Disponíveis

Como guardião do Direito Internacional Humanitário (DIH), o mandato do CICV (concedido pela comunidade internacional) concentra-se na prestação de proteção e na ajuda humanitária para as pessoas afetadas por conflitos armados e outras situações de violência. Por estas, entende-se a violência que não atingiu o limiar de um conflito armado, mas é perpetrada por grandes grupos, tendo consequências em termos humanitários. Algumas das nossas atividades são visitas a prisioneiros de guerra e detidos civis, busca de pessoas desaparecidas, transmissão de mensagens entre os familiares separados por conflito, reunificação de famílias, difusão do conhecimento sobre o DIH, negociação com fins humanitários, entre outras.

Abaixo segue uma lista não exaustiva de oportunidades para funcionários internacionais contratados pelo CICV.
Tenha em mente que as oportunidades não estão abertas continuamente.

Delegado do CICV

Os delegados do CICV trabalham no mundo inteiro para contribuir com o mandato e a missão da organização de assegurar a proteção e a ajuda humanitária para as vítimas de conflitos armados e outras situações de violência. As suas responsabilidades variam de acordo com o local onde trabalham, podendo evoluir rapidamente com base nas necessidades no terreno. Sob a supervisão da direção, são responsáveis pelas seguintes atividades (lista não exaustiva), com um foco específico nas atividades para o bem-estar dos detidos, dependendo do contexto:

Prestação de contas e responsabilidade
- Contribuir com a análise da situação geral e auxiliar as pessoas localmente;
- Contribuir com a definição, planejamento e implementação das atividade na área de sua responsabilidade em estreita coordenação e cooperação com os departamentos do CICV de relevante sinergia (Segurança Econômica, Saúde, Proteção, etc.);
- Desenvolver e manter uma rede de contatos pertinentes, incluindo organizações locais e não governamentais, com ênfase especial nos portadores de armas e sociedade civil;
- Seguimento de informações relativas à proteção (p.ex. proteção da população civil, restabelecimento de laços familiares, casos de pessoas desaparecidas);
- Produzir relatórios internos oportunos e concisos, respeitando a confidencialidade;
- Preparar, participar e fazer o seguimento das visitas aos locais de detenção; assegurar que os detidos estejam sendo tratados com dignidade e humanidade (p.ex. condições de detenção e de tratamento e respeito das garantias judiciais); realizar entrevistas com os detidos e seguimento das informações relativas à proteção (p.ex. restabelecimento dos laços familiares, seguimento de casos individuais delicados); participar da ampliação ou consolidação dos contatos e redes da delegação com as partes interessadas no tema de detenção, ao mesmo tempo respeitando a confidencialidade;
- Representar o CICV e promover o seu mandato e atividades;
- Contribuir com a segurança das equipes e bens do CICV na área sob sua responsabilidade, segundo as normas e procedimentos de segurança da delegação;
- Junto com o Departamento de Cooperação, manter bons contatos e parceria com os escritórios da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho e membros do Movimento presentes na área de responsabilidade;
- Junto com o Departamento de Comunicação, organizar e realizar sessões de comunicação operacional a públicos específicos.

Qualificações básicas mínimas e experiência profissional necessárias
- Diploma universitário ou equivalente;
- Mínimo dois anos de experiência profissional;
- Experiência humanitária ou com voluntariado;
- Experiência internacional;
- Fluência em inglês e 2 outros idiomas de trabalho do CICV como francês, espanhol, árabe ou russo;
- Domínio de ferramentas de TI;
- Estar preparado(a) para viver nos países para onde for enviado(a) pelo CICV, sem familiares, por pelo menos 24 meses;
- Estar preparado(a) para trabalhar sob pressão em um ambiente potencialmente perigoso;
- Possuir carteira de habilitação para veículos de transmissão manual e ser capaz de dirigir sozinho(a) em um terreno desconhecido.

Assessoramento para o sistema prisional

Suas atribuições
a) Com as delegações do CICV:
- Dentro de um marco multidisciplinar, comprometer-se a aconselhar e orientar com relação à avaliação e análise dos sistemas de detenção e de justiça penal correspondente; participando ativamente nas visitas aos locais de detenção e colaborando com as delegações para desenvolverem a sua capacidade de entender as causas subjacentes e sistêmicas dos problemas humanitários;
- Prestar assessoria técnica e orientações com relação à gestão dos locais de detenção e ao desenvolvimento de outros aspectos relevantes dos sistemas de detenção e de justiça penal correspondente;
- Prestar assessoria aos delegados locais e do nível de direção sobre como o CICV pode colaborar melhor com as autoridades em vários âmbitos nos seus esforços para melhorar os aspectos relevantes dos sistemas de detenção e de justiça penal correspondentes;
- Preparar documentos temáticos e análise de políticas, legislação, tendências nacionais, regionais e internacionais e outros tópicos de relevância humanitária no contexto em particular, para uso interno e externo.

b) Com as autoridades:
- Ajudar nos processos de planejamento estratégico de longo prazo, de modo consistente com a estratégia da delegação, para a melhoria dos sistemas de detenção e de justiça penal correspondente, ou, quando os processos de mudança já existirem, apoiar o seu desenvolvimento e implementação contínuos;
- Prestar assessoria técnica com relação à gestão dos locais de detenção e desenvolvimento dos sistemas de detenção e de justiça penal correspondente, segundo as questões humanitárias identificadas e padrões internacionalmente reconhecidos;
- Desenvolver e manter contatos, de acordo com a estratégia da delegação, com uma série de autoridades, organizações profissionais, outras partes interessadas e interlocutores na região;
- Colaborar com a delegação, apoiando para estabelecer um diálogo inter-institucional sobre questões relativas à detenção (tais como autoridades carcerárias, agências de aplicação da lei, judiciário, Ministérios de Saúde e da Fazenda, etc.);
- Participar de e co-organizar eventos com a finalidade de aperfeiçoar o entendimento mútuo das fortalezas e limitações dos sistemas de detenção/ justiça penal; trocando experiências e compartilhando boas práticas;
- Contribuir com a elaboração da estratégia coerente de treinamento do CICV para os funcionários dos estabelecimentos, segundo as prioridades operacionais identificadas pela delegação, e mobilizar os recursos necessários (p.ex. treinamento dado por equipes da delegação, convite a especialistas externos, exposição a melhores práticas ou outros contextos).

c) Com a instituição:
- Contribuir para a elaboração da política institucional do CICV e ferramentas de apoio aos sistemas de detenção e de justiça penal correspondentes, incluindo discussões, documentação e compartilhamento com a sede de práticas interessantes e lições aprendidas;
- Contribuir ao desenvolvimento e à implementação dos programas de capacitação no terreno e na sede quando necessário;
- Participar em conferências externas e outras reuniões em que temas relativos ao sistema de detenção e relacionados serão discutidos;
- Desenvolver um conhecimento abrangente dos programas e interação das outras organizações humanitárias ativas nos sistemas de detenção e de justiça penal correspondente no país/região em questão e compartilhar as informações quando necessário.

Conhecimento e habilidades essenciais
- Diploma superior em ciências sociais, administração ou justiça penal;
- Conhecimento profundo da administração e operação prisional e do desenvolvimento de sistemas de detenção;
- Pelo menos 10 anos de experiência em funções superiores de gestão/políticas nos locais de detenção ou sistemas de justiça penal correspondentes;
- Experiência em análise de sistemas de detenção e de justiça penal correspondente em países frágeis e afetados por conflitos;
- Experiência em incentivar a adesão a padrões internacionais e promover boas práticas em sistemas de detenção e de justiça penal correspondente.
- Experiência em desenvolver capacidades e prestar assessoramento nos níveis operacionais e de formulação de políticas, de processos de planejamento estratégico de médio e longo prazo e de planos de reformas/melhorias;
- Conhecimento abrangente dos principais problemas e debates atuais no mundo acadêmico e profissional, vinculados com os sistemas de detenção e de justiça penal, em particular, mas não exclusivamente, medidas e sanções não custodiais, aplicação de sentenças, superlotação, drogas e detenção, grupos vulneráveis, etc.;
- Experiência em trabalhar em diferentes regiões do mundo e/ou com uma rede ampla nessas áreas seria uma vantagem;
- Experiência em desenvolver estratégias e lidar com questões relativas à superlotação (mitigando as consequências, mas também atuando nas suas causas legais e judiciais) e em apoiar os projetos e a construção de prisões pelos países é um diferencial.

O que oferecemos
- Trabalho recompensador em um ambiente multicultural;
- Benefícios sociais atrativos;
- Duração da missão: 12 meses;
- Fazer parte do banco de talentos do CICV e ser considerado para missões futuras em outros lugares

Delegado para o tema dos desaparecidos

Suas atribuições
Segundo as prioridades, objetivos e estratégias estabelecidos pela delegação e sob a supervisão do Coordenador de Proteção (e/ou o Coordenador Adjunto de Proteção responsável pela questão dos desaparecidos), o delegado para o tema de desaparecidos é responsável pela implementação das atividades pertinentes. Ele/ela contribui com a definição da estratégia com relação ao tema de desaparecimentos, bem como com a coerência do programa com outras atividades de proteção e outros programas (em especial, Forense, Psicossocial, Jurídico, Segurança Econômica, etc.). Ela/ele supervisiona diretamente um equipe de pessoas designadas para o tema de desaparecimentos e/ou presta apoio técnico e/ou funcional para as pessoas que estão ativas nessa área em outros locais ou departamentos, caso necessário.

Requisitos de seleção
- Experiência profissional de no mínimo 2 anos em áreas como treinamento e desenvolvimento de capacidades e/ou liderança de equipes multidisciplinares, elaboração de estratégias e planos de ação, planejamento e desenvolvimento de projetos de vários anos e/ou experiência multicultural equivalente no tema de pessoas desaparecidas e suas famílias;
- Boa capacidade de redação e de síntese;
- Ser receptivo e adaptável;
- Conhecimento prático do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho é uma vantagem;
- Diploma universitário ou equivalente;
- Excelente domínio de inglês e de francês;
- Conhecimento de outro idioma oficial do CICV (espanhol, russo ou árabe) é uma grande vantagem.
- Domínio de ferramentas conhecidas de TI;
- Compromisso com o mandato humanitário do CICV.