A Falta Que Você Faz

A Falta Que Você Faz

O que você faria se uma pessoa querida desaparecesse de repente? E se você já tivesse esperado dez anos sem nenhuma notícia? Ou vinte, trinta, quarenta anos?

Esta é a dor das famílias retratadas na mostra fotográfica "A falta que você faz", organizada pelo CICV no Museu Nacional do Conjunto Cultural da República, em Brasília, entre 17 de maio e 11 de junho.

Os mais de 40 retratos da mostra - realizados pela fotojornalista brasileira Marizilda Cruppe, profissional com vasta experiência em pautas sociais, de direitos humanos e meio ambiente - contam um pouco da história, dos desafios e angústias de 12 famílias que sofrem com o desaparecimento de um familiar, uma experiência invariável e incontestavelmente devastadora.

Todas as pessoas, sem distinção, têm o direito de saber o destino e o paradeiro de seus entes queridos e de ter uma resposta adequada às necessidades humanitárias resultantes deste desaparecimento.

O CICV se esforça para identificar e compreender as necessidades dos familiares de pessoas desaparecidas e apresentar para as autoridades responsáveis recomendações que permitam oferecer respostas adaptadas a tais necessidades. Essa ação humanitária é desenvolvida em várias partes do mundo.


Mostra fotográfica A falta que você faz

Abertura 16 de maio, 19h (para convidados)

De 17 de maio a 11 de junho
Terça-feira a domingo, das 9h às 18h30
Museu Nacional do Conjunto Cultural da República, Anexo
Entrada franca

Visitas guiadas com a fotógrafa Marizilda Cruppe

18 de maio, quinta-feira – 17h
20 e 21 de maio, sábado e domingo – 16h

Palestra Viver com a ausência

A questão das pessoas desaparecidas no mundo e suas consequências humanitárias - coordenadora de Proteção do CICV, Marianne Pecassou
18 de maio, quinta-feira – 15h


Publicações sobre a temática do Desaparecimento

Veja nossas publicações sobre acompanhamento de familiares de pessoas desaparecidas, legislação e o que fazemos para ajudá-las.

 

Receba o boletim do CICV