Crise na Ucrânia: ajudar as pessoas durante o inverno

  • Semenovka, Ucrânia, dezembro de 2014.
    Semenovka, Ucrânia, dezembro de 2014.
    Do mesmo modo que em muitas cidades e povoados no leste da Ucrânia, Semenokva, uma pequena cidade próxima a Sloviansk na região de Donetsk, foi severamente atingida durante os combates entre maio e julho de 2014. Muitas pessoas buscaram lugares mais seguros na Ucrânia ou na Rússia.
    CC BY-NC-ND / CICV / M. Dondyuk
  • Semenovka, Ucrânia, dezembro de 2014.
    Semenovka, Ucrânia, dezembro de 2014.
    Barchinai, que veio do Uzbequistão, conseguiu consertar o teto e as janelas da casa dela com o material entregue pelo CICV. Isso permitiu que ela, os três filhos e o marido voltassem para casa depois de passar meses em Kherson, próximo ao Mar Negro.
    CC BY-NC-ND / CICV / M. Dondyuk
  • Clínica de Lysychansk, região de Lugansk, dezembro de 2014.
    Clínica de Lysychansk, região de Lugansk, dezembro de 2014.
    Uma médica e uma enfermeira examinam um rapaz na ala pediátrica. Lysychansk é uma das muitas cidades que sofreram danos sérios em junho de 2014. O teto e as janelas do prédio principal da clínica já foram consertados e o atendimento aos pacientes foi retomado. Lysychansk abriga uma grande quantidade de deslocados que também dependem da clínica para serem atendidos.
    CC BY-NC-ND / CICV / M. Dondyuk
  • Shastye, região de Lugansk, dezembro de 2014.
    Shastye, região de Lugansk, dezembro de 2014.
    Voluntários ajudam a descarregar materiais de construção dos veículos do CICV. Shastye, uma cidade com 13 mil habitantes, localiza-se a poucos metros da linha de frente.
    CC BY-NC-ND / CICV / M. Dondyuk
  • Nikolaevka, próximo a Sloviansk, região de Donetsk, dezembro de 2014.
    Nikolaevka, próximo a Sloviansk, região de Donetsk, dezembro de 2014.
    Irina Romanenko vivia em Donetsk, onde tinha uma pequena confecção de roupas. Quando os combates começaram, ela perdeu muitos dos seus clientes, que fugiram dos bombardeios constantes. Desempregada e assustada, ela também fugiu, chegando até Nikolaekva. Agora, Irina vive sozinha em um pequeno apartamento que aluga com a pequena renda que ganha como costureira autônoma. Mais de 200 famílias deslocadas se assentaram em Nikolaevva. Em outubro e dezembro, o CICV distribuiu cobertores e alimentos para Irina e outras famílias para cobrir as necessidades básicas por um ou dois meses.
    CC BY-NC-ND / CICV / M. Dondyuk
  • Filial da Cruz Vermelha, Lysychansk, região de Lugansk, dezembro de 2014.
    Filial da Cruz Vermelha, Lysychansk, região de Lugansk, dezembro de 2014.
    Voluntárias da Cruz Vermelha distribuem pão. A Cruz Vermelha local distribui pão diariamente às famílias deslocadas mais vulneráveis.
    CC BY-NC-ND / CICV / M. Dondyuk
  • Krasny Liman, dezembro de 2014.
    Krasny Liman, dezembro de 2014.
    Alguns dos 2,7 mil deslocados, muitos dos quais perderam as suas casas. Eles vivem agora com parentes.
    CC BY-NC-ND / CICV / M. Dondyuk
29 janeiro 2015

Os combates voltaram a surgir em muitas regiões do leste da Ucrânia nas últimas semanas. O impacto sobre os civis encurralados pelos enfrentamentos é agravado pelo frio do inverno – que é muito rigoroso na região. A população, cujas casas foram destruídas, precisa de ajuda urgente, assim como as pessoas que fugiram dos combates. Estas fotos, tiradas em dezembro de 2014, mostram como as equipes da Cruz Vermelha prestam assistência de emergência e salvam vidas no leste da Ucrânia.