Iraque: CICV intensifica atividades para ajudar a mais de 1,5 milhão de pessoas

30 outubro 2014
Iraque: CICV intensifica atividades para ajudar a mais de 1,5 milhão de pessoas
Distribuilção de ajuda a famílias deslocadas internamente, Al Dura, Bagdá, Iraque, outubro de 2014

À medida que o conflito armado se expande no Iraque, o CICV aumenta a sua ação humanitária. Desde janeiro, a organização distribuiu alimentos e outros tipos de ajuda para mais de 1,5 milhão de pessoas.

A expansão do conflito armado a diferentes partes do Iraque resultou em uma nova onda de deslocamentos em massa. A chegada da época das chuvas e a aproximação do inverno dificultam ainda mais a vida dos iraquianos. Em resposta a essa situação, o CICV está aumentando as suas atividades. A organização se prepara para distribuir ajuda a mais de 40 mil pessoas para que elas possam sobreviver ao inverno, ao mesmo tempo em que realiza atividades nas linhas de frente que atendem às necessidades das pessoas que vivem em áreas atingidas pelo conflito. Desde janeiro, o CICV distribuiu alimentos e outros tipos de ajuda para mais de 1,5 milhão de pessoas.

O conflito causa mais deslocamentos e sofrimento

 Os contínuos confrontos em diferentes partes do Iraque resultaram nodeslocamento de mais de 1,8 milhão de pessoas. Milhares morreram e muitos outros milhares foram feridos. “No Iraque, os deslocados civis ficaram encurralados em meio aos enfrentamentos, com poucas reservas de alimentos, tendo de correr para se salvarem e ficando desamparados em postos de controle ou em abrigos e campos improvisados”, contou o chefe da delegação do CICV no país, Patrick Youssef. “Depois de suportarem o calor do verão, os civis agora têm de aguentar as chuvas e o clima gelado do inverno. O sofrimento deles é de partir o coração”.

 Até agora, o CICV distribuiu cestas alimentares suficientes para um mês e outros itens de ajuda como cobertores, lonas, galões para água e kits para a cozinha a mais de 400 mil deslocados em 118 localidades em 15 das 18 províncias do país. Além disso, a fim de restabelecer a capacidade de subsistência das pessoas afetadas por conflitos, o CICV distribui atualmente cerca de 1,8 mil toneladas de sementes e fertilizantes a mais de 5 mil famílias de camponeses nas províncias de Babel, Karbala, Bagdá, Diyala, Kirkuk e Ninewa.

 “A perda trágica e interminável de vidas civis e a destruição de propriedades essenciais para a sua sobrevivência continuam sendo um motivo de séria preocupação para o CICV”, afirmou Youssef. “Os civis e objetos civis estão protegidos de acordo com o Direito Internacional Humanitário (DIH). Continuamos lembrando todas as partes do conflito, inclusive a nova aliança internacional e os grupos armados, da sua obrigação de pouparem civis e as suas propriedades e permitirem o acesso desimpedido aos mesmos por parte das organizações humanitárias. Além disso, o CICV e o governo do Iraque assinaram um memorando de entendimento para difundir o conhecimento sobre o DIH aos principais responsáveis por tomar decisões, aumentando assim o seu cumprimento”.

 Assistência à saúde nas linhas de frente

O conflito trouxe graves consequências aos estabelecimentos de saúde em muitas cidades e vilarejos. Vários deles foram atingidos e sofrem com a falta de remédios e material médico. Em muitos casos, a ausência de profissionais de saúde devido à falta de segurança levou à interrupção no atendimento de pessoas feridas e doentes.

“Os estabelecimentos e profissionais de saúde devem ser protegidos contra ataques”, declarou Youssef. “Eles devem poder funcionar. Todos - sem exceção - devem sempre ter acesso à assistência à saúde, independentemente das circunstâncias”.

O CICV, que trabalha de maneira totalmente neutra e imparcial e procura manter diálogo com todas as partes do conflito, inclusive com autoridades do governo, líderes comunitários, tribais e religiosos e com outros grupos, conseguiu entregar com sucesso remédios, instrumentos cirúrgicos, bandagens, fluídos intravenosos e outros itens a 66 estabelecimentos de saúde em dez cidades: Mosul, Erbil, Dohuk, Hamdaniyah, Sinjar, Falluja, Hawijah, Tooz, Najaf e Basrah. O material médico é suficiente para atender às necessidades de mais de 170 mil pessoas. Ao mesmo tempo, o centro de reabilitação física do CICV em Erbil e outros oito centros que contam com o apoio do CICV atendem a mais de 23 mil pessoas com deficiências.

Água potável para pessoas deslocadas e residentes

 “O conflito também teve um efeito sobre as fontes de água”, afirmou Youssef. “Considerando que a água é essencial para a vida humana, é indispensável que ela seja protegida pelas partes do conflito”. Sempre que possível, o CICV conserta fontes de água danificadas durante os combates.

Os detidos ainda são fonte de preocupação para o CICV

 O CICV continua visitando centros de detenção sob a autoridade do governo nacional do Iraque e do governo regional no Curdistão. O propósito das visitas é melhorar as condições de detenção, ajudar os detidos a estabelecerem e manterem o contato com as suas famílias e entregar-lhes artigos de higiene e outros de primeira necessidade. Ao mesmo tempo, por meio de diálogos confidenciais com as autoridades, o CICV se esforça para garantir que os detidos sejam tratados de forma digna.

 “Continuamos monitorando as condições de milhares de detidos no Iraque, inclusive dos cidadãos estrangeiros”, contou a delegada do CICV encarregada de atividades para o bem-estar de detidos, Elpida Papachatzi. “Durante os últimos meses, milhares de detidos foram transferidos a diferentes presídios. Por isso, estamos ajudando-os a manter contato com as suas famílias. De acordo com o Direito, os detidos devem ser tratados com dignidade. Continuaremos acompanhando de perto a sua situação e mantendo diálogos confidenciais com as autoridades detentoras”.

 Desde o início do ano, o CICV:

  • visitou 131 detidos em 61 centros de detenção com capacidade total para 32.971 detidos;
  • entregou artigos de primeira necessidade como roupas, produtos de higiene e cobertores a 14.750 detidos;
  • possibilitou o intercâmbio de 3.056 Mensagens Cruz Vermelha entre detidos e as suas famílias;
  • realizou 5.184 ligações rápidas para informar os familiares sobre o bem-estar dos seus parentes detidos.

A procura por desaparecidos continua

 Os conflitos armados no Iraque, passados e presentes, resultaram no desaparecimento de milhares de pessoas. O CICV preside os encontros das comissões responsáveis por explicarem o paradeiro das pessoas desaparecidas como consequência da guerra entre Irã e Iraque (1980-1988) e da primeira Guerra do Golfo (1990-1991). As reuniões de alto nível com os governos envolvidos visam esclarecer o que aconteceu com essas pessoas para aliviar o sofrimento das famílias que ainda não conhecem o paradeiro dos seus entes queridos desaparecidos.

 Desde o início do ano, o CICV facilitou a realização de três missões conjuntas no sul do Iraque, com participantes iraquianos e iranianos, nas quais os restos mortais de 338 pessoas foram recuperados. Após as missões, foram realizadas três cerimônias de entrega durante as quais foram repatriados a seus respectivos países os restos mortais de 210 iranianos e 19 iraquianos Ao mesmo tempo, ao assinar um memorando de entendimento com o Instituto Médico Legal do Iraque, o CICV renovou o seu compromisso de aumentar as capacidades forenses do instituto oferecendo capacitações e entregando equipamentos. 

O compromisso da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho de atender as necessidades humanitárias do Iraque

 

O Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho intensificou as suas atividades como resposta às crescentes necessidades causadas pelo conflito armado. O CICV, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho e as sociedades nacionais da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho de vários países incrementaram os seus esforços no Iraque lado a lado com o Crescente Vermelho Iraquiano. A recente visita conjunta ao Iraque do Diretor-Geral do CICV e do Secretário-Geral da Federação Internacional com o propósito de conhecerem as vítimas do conflito armado e receberem informações sobre as suas necessidades, ao mesmo tempo em que conhecem em primeira mão o trabalho realizado pelos vários integrantes do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, enfatiza o forte compromisso e a determinação do Movimento para atender as necessidades humanitárias no país. O CICV continua apoiando o Crescente Vermelho nos seus esforços para melhorar suas capacidades. Nesta oportunidade, o CICV entregou à sociedade 12 utilitários, carros e empilhadeiras e ajudou a equipar o seu centro operacional de emergência com as últimas ferramentas de tecnologia de informação disponíveis.
 

Mais informações:
Saleh Dabbakeh, CICV Badgá, tel: +964 790 191 6927
Nadia Dibsy, CICV Genebra, tel: +41 22 730 37 23 ou +41 79 447 37 26

Receba o boletim do CICV