Iraque: comunidades deslocadas precisam de mais apoio

12 janeiro 2015
Iraque: comunidades deslocadas precisam de mais apoio

 Songul, 70 quilômetros de Kirkuk.O CICV instalou tanques para armazenar água para as pessoas que fugiram dos combates. "Eu ouvi histórias comovedoras dessas pessoas deslocadas," disse o presidente do CICV, Peter Maurer, após reunir-se com deslocados a temperaturas próximas de zero grau. / CC BY-NC-ND / CICV

Bagdá/Erbil/Genebra (CICV) – Ao concluir uma visita de seis dias ao Iraque, o presidente do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) prometeu aumentar a assistência às pessoas deslocadas e às comunidades que as acolhem.

O presidente Peter Maurer viu em primeira mão as difíceis condições que a população suporta como consequência do atual conflito, dos longos períodos de deslocamento, da perda de propriedades e das temperaturas baixíssimas. Junto com as equipes do CICV que distribuem alimentos e outros tipos de ajuda, Maurer visitou um estabelecimento que fornece água potável para as pessoas deslocadas.

"Esta semana ouvi histórias comoventes de famílias que tiveram de abandonar as suas casas de forma violenta e foram separadas dos seus entes queridos", contou Maurer. "A população iraquiana demonstrou uma extraordinária solidariedade para com os milhares compatriotas que fugiram da violência. Quando o CICV chegou para levar ajuda às pessoas deslocadas, encontrou que as comunidades locais já as haviam acolhido de braços abertos e com grande generosidade. Mas diante do enorme sofrimento que as pessoas deslocadas e da pressão extra sobre as comunidades que as acolhem e os serviços, a organização tem o dever de garantir que as necessidades básicas dessas pessoas em termos de alimentos, água, assistência à saúde e abrigo sejam atendidas".

Durante a sua visita, o presidente do CICV também se reuniu com autoridades de alto escalão em Bagdá e Erbil, incluindo o presidente iraquiano Fouad Massoum, o primeiro-ministro Haider al-Abadi e o porta-voz do Parlamento, Salim al-Jubouri. Em Erbil, Maurer participou de reuniões com o presidente da região do Curdistão, Massoud Barzani, o primeiro-ministro Nechervan Barzani, o porta-voz do Parlamento Regional, Yousif Mohammed, e outras autoridades de alto escalão.

Durante essas reuniões, Maurer descreveu os desafios que os profissionais humanitários enfrentam no terreno, como chegar as pessoas necessitadas e levar ajuda e assistência à saúde nas áreas afetadas pela violência. "Sinto-me motivado pelo compromisso dos líderes com os quais me reuni de poupar e proteger os civis contra a violência ao assegurar que as forças armadas e de segurança respeitarão o Direito Internacional Humanitário (DIH)", afirmou Maurer.

Maurer, juntamente com uma equipe do CICV, visitou um presídio em Bagdá. "As pessoas detidas em conexão com o conflito armado devem ser tratadas com dignidade e respeito", lembrou. "O CICV se esforça para aumentar esse tipo de visita para assegurar que as condições de detenção atendam a parâmetros internacionais e que os detidos possam manter contato com as suas famílias".

A operação do CICV no Iraque é a quarta maior no mundo, totalizando 76 milhões de francos suíços em 2015 (78 milhões de dólares). Um terço do orçamento mundial é usado para financiar as operações da organização no Oriente Médio.

Mais informações:
Saleh Dabbakeh, CICV Bagdá, tel +964 790 191 6927
Sitara Jabeen, CICV Genebra, tel: +41 22 730 24 78 ou +41 79 536 92 31