Página arquivada:pode conter informações antigas

Sudão: funcionário do CICV sequestrado há uma semana em Darfur Ocidental

29-10-2009 Comunicado de imprensa

Gauthier Lefèvre, funcionário do CICV, foi sequestrado em Darfur Ocidental, Sudão, há uma semana. O chefe de operações do CICV para a África Oriental, Daniel Duvillard, comenta como a organização lida com essa crise.

 

 
   
Daniel Duvillard, chefe de operações do CICV para a África Oriental. 
     

  Quem está por trás do sequestro e foi pedido resgate?  

Não sabemos exatamente quem está por trás do sequestro e quais são seus motivos e não queremos especular. Recebemos um pedido de resgate, mas por uma questão de política do CICV, a organização não paga resgates em dinheiro. O CICV continuará fazendo o possível através de seus meios e canais de comunicação regulares para encontrar uma solução positiva e assegurar o respeito à integridade física de nosso funcionário.

Conseguimos fazer contato com os sequestradores no dia 23 de outubro. No dia seguinte, conseguimos falar diretamente com nosso colega. Ele está em boas condições de saúde e tem recebido água e comida. Dentro das circunstâncias, ele parece estar bem. Entendemos que a situação seja muito difícil para a família e os amigos de Gauthier e estamos em contato diário com eles.

  Como o sequestro aconteceu?  

Gauthier, chefe do escritório do CICV em Al Geneina, Darfur Ocidental, foi sequestrado por um grupo de homens armados por volta do meio-dia, hora local, no dia 22 de outubro. Gauthier voltava a Al Geneina com outros colegas do CICV, depois de uma visita de campo ao norte da cidade, para ajudar as comunidades locais a melhorarem os sistemas de abastecimento de água. Ele viajava em um dos dois veículos do CICV - claramente sinalizados – quando foi raptado.

Gauthier tem 35 anos. Há 15 meses trabalhava em Al Geneina e há quase cinco anos trabalha no CICV, sobretudo na Ásia, antes de vir para o Sudão.

  O CICV suspendeu as atividades no Sudão?  

Por enquanto, suspendemos as atividades apenas em Darfur Ocidental. Na verdade, justamente porque o CICV está enfrentando esta crise, que é mais determinante do que nunca para a organização fazer o que pode para ajudar essas comunidades que suportam o impacto de anos de conflito armado em Darfur. Continuamos nos concentrando em atender essas necessidades urgentes dos vulneráveis em áreas rurais normais. Estamos prontos para atender às emergências.

Nosso trabalho no restante de Darfur e nas partes sul e central do Sudão ainda continua. A operação do CICV no Sudão ainda é a maior da organização em nível mundial. Nossas prioridades são de assegurar que as pessoas afetadas duramente pelo conflito armado sejam respeitadas e protegidas de acordo com o Direito Internacional Humanitário. O CICV, em parceria com o Crescente Vermelho Sudanês e outros membros do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, trabalha para garantir que as pessoas recebem o socorro, o atendimento médico e assistência para preservar seus meios de subsistência e que eles possam restabelecer contato com os familiares dos quais foram separados. O respeito aos trabalhadores humanitários é essencial para alcançar esses objetivos.