Página arquivada:pode conter informações antigas

Uzbequistão: CICV pede a autoridades acesso a feridos e detidos

20-05-2005 Comunicado de imprensa 05/36

Delegados do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) estiveram em Andijan e outras localidades do Vale de Ferghana para levantar informações humanitárias, depois dos violentos episódios ocorridos no Uzbequistão. A organização considera que não há, no momento, necessidade urgente de fornecimento de assistência material.

Há, entretanto, outras necessidades prementes de ação humanitária. Na região de Andijan, continuam os relatos de detenções massivas. Muitas famílias ainda desconhecem o paradeiro de seus parentes porque simplesmente não sabem se eles foram mortos, feridos, detidos ou se fugiram para qualquer outro lugar dentro ou fora do país.

Para responder a estas questões de natureza humanitária, o CICV pediu às autoridades uzbeques que garantam o acesso da organização aos detidos e feridos, com o intuito de levantar informações sobre suas condições de detenção e de hospitalização, respectivamente, além restaurar o contato entre eles e suas famílias. Informações sobre os mortos também devem ser dadas às famílias que ainda não foram informadas ou ainda não puderam reconhecer e enterrar os corpos.

" Nossos delegados visitaram várias cidades e vilarejos no Vale de Ferghana durante os últimos dias e concluíram que os últimos episódios de violência não criaram, no momento, nenhuma necessidade de assistência material " , disse Reto Meister, delegado geral do CICV para Ásia e Pacífico. " O que realmente importa agora é que nossos delegados tenham acesso aos detidos, aos feridos que ainda estão recebendo tratamento em hospitais e às famílias que ainda estão tentando descobrir o que aconteceu a seus parentes " .

Uma equipe do CICV também fez um levantamento da situação na fronteira com o Quirquistão para saber mais sobre a situação das pessoas que fugiram dos episódios de violência da última semana. Aproximadamente 500 refugiados que cruzaram a fronteira foram adequadamente atendidos por autoridades locais e organizações humanitárias. O CICV é grato às autoridades quirquiz pelo r espeito a suas obrigações determinadas pelo Direito Internacional Humanitário em garantir proteção aos uzbeques que pedem asilo.

  Mais informações:  

  Vincent Lusser, CICV Genebra, tel. +41 22 730 24 26 / + 41 79 217 32 64  

  Pierre-Emmanuel Ducruet, CICV Tachkent, tel. +998 71 120 52 90/91/92  

  visite: www.cicr.org