Página arquivada:pode conter informações antigas

Geórgia: ajuda aos mais vulneráveis

20-03-2009 Relatório de operações

Seis meses depois do fim das hostilidades, a situação humanitária para a maioria das populações afetadas melhorou, mesmo se os problemas crônicos continuaram. O CICV se concentra agora nas necessidades a longo prazo dos mais vulneráveis na região do centro-oeste da Geórgia / Ossétia do Sul.

  Situação geral  

Seis meses depois do fim das hostilidades, a situação humanitária para a maioria das populações afetadas melhorou, mesmo se os problemas crônicos que precedem o último conflito continuaram. Enquanto a situação geral está calma, as tensões persistem nas aldeias próximas às linhas demarcadas. Os deslocados pelo conflito e os que vivem nas áreas rurais remotas, já vulneráveis antes de agosto de 2008, continuam em risco. " Depois de uma fase emergencial que durou até novembro de 2008, a situação humanitária geral na região se estabilizou. Agora podemos nos concentrar nas necessidades a longo prazo dos mais vulneráveis " , disse Pascale Meige Wagner, chefe de operações do CICV para o Leste Europeu e Cáucaso.

Na região do centro-oeste da Geórgia, a maioria dos deslocados internos (DIs) que fugiram das hostilidades em agosto puderam retornar a seus lugares de origem. Muitos deslocados da Ossétia do Sul deixaram seus centros coletivos para irem para novos assentamentos construídos pelas autoridades no centro da Geórgia. Nos últimos meses, muitas organizações humanitárias realizaram vários programas que deixaram um impacto positivo nas vítimas do conflito de agosto.

     

© ICRC/R. Boeckli,  
   
O CICV assiste os mais vulneráveis na área rural da Ossétia do Sul. 
         

Em Tskhinvali, muitas casas particulares e prédios públicos destruídos durantes as hostilidades – incluindo hospitais e escolas – estão sendo reabilitados. O fornecimento de gás foi retomado em janeiro, depois de uma desestruturação de cinco meses. Cerca de um terço das casas estão conectadas ao gás natural. O acesso à eletricidade também melhorou significativamente. O acesso à saúde básica continua um problema para alguns residentes da zona rural.

  A ação do CICV  

Depois da resposta emergencial de agosto de 2008 durante o conflito entre Geórgia e Rússia, o CICV se concentrou nas necessidades da população mais vulnerável durante o inverno. A organização está agora consolidando seus diversos programas de assistência baseados nas avaliações das necessidades a longo prazo. O objetivo geral da operação no CICV é permitir que as pessoas que vivem nas áreas afetadas pela guerra possam se sustentar no futuro próximo e reganhar seus níveis de segurança econômica anteriores ao conflito.

O CICV gradualmente vem expandindo suas atividades desde agosto. Sua operação multifacetada agora cobre tanto a área rural quanto a urbana. Enquanto muitas organizações humanitárias atualmente operam no centro da Geórgia, o CICV continua sendo a única organização humanitária ativa na Ossétia do Sul, onde emprega hoje mais de 60 funcionários baseados em Tskhinvali.

  Reunir famílias separadas pela guerra  

O restabelecimento de laços familiares continua sendo uma prioridade para o CICV na região. Cumprindo sua função de intermediário neutro, o CICV ajudou a reunir famílias em Tskhinvali, Gori e Tbilisi. Essas reuniões foram realizadas com total apoio de todas as partes. As reuniões de famílias separadas foram suspensas de meados de novembro de 2008 a meados de janeiro de 2009, enquanto o CICV buscava que fossem realizadas com a concordância total com seus métodos de trabalho. Desde agosto de 2008, mais de 310 pessoas foram reunidas sob os auspícios do CICV.

O CICV oferece aos membros das famílias separadas pelo conflito a possibilidade de entrarem em contato com seus familiares através das Mensagens Cruz Vermelha. Desde agosto de 2008, o CICV já trocou mais de 950 Mensagens Cruz Vermelha entre parentes separados.

  Assistência humanitária  

De novembro a dezembro de 2008, o CICV distribuiu itens alimentícios e não-alimentícios para mais de 14 mil beneficiários em áreas rurais da Ossétia do Sul, em geral uma área de difícil acesso devido às más condições das estradas. " As pessoas da região agora nos conhecem " , diz Massimiliano Cartura, delegado encarregado dos programas de segurança econômica. " Com o apoio deles, podemos chegar aos potenciais beneficiários de maneira mais efetiva " .

Em janeiro, o CICV começou a distribuir roupas e sapatos aos órfãos, aos deslocados e aos idosos na Ossétia do Sul. " A atenção que os delegados do CICV dispensaram a cada criança quando distribuíam roupas no orfanato fez uma enorme diferenç a para as crianças carentes de cuidados familiares " , diz Roland Tedeev, diretor do orfanato de Tskhinvali.

O CICV reabilitou as instalações sanitárias e de água nas escolas, hospitais e outros edifícios públicos em Tskhinvali. A organização forneceu cimento, fornos, janelas de vidro, madeira e material para fazer telhados para autoridades e indivíduos. Em um esforço para melhorar as condições de vida nos centros coletivos em Tskhinvali, o CICV está ajudando a reabilitar as redes de água e energia da cidade e o sistema de eliminação de lixo.

No centro-oeste da Geórgia, o CICV reabilitou centros coletivos que abrigavam pessoas que foram deslocadas recentemente e outras durante o conflito de 1992-93. A organização também começou a manter ambulatórios, especialmente nas regiões de Rukhi, Shamgona e Zugdidi. Por meio de seu programa de abrigo emergencial, o CICV fez reparos temporários nas casas de mais de 8.500 pessoas.

Até outubro de 2008, as equipes médicas do CICV haviam realizado mais de 6.400 consultas médicas na região de Shida Kartli, norte de Gori, onde os serviços de saúde normais estão suspensos. Uma vez que as estruturas de saúde sejam reabertas, o CICV as apoiará realizando pequenos reparos e distribuindo equipamentos e remédios.

Desde novembro de 2008, o CICV tem fornecido regularmente itens alimentícios e não-alimentícios para mais de 24 mil pessoas no centro-oeste da Geórgia. Também foi fornecida lenha para 27 aldeias em Shida Kartli durante o inverno. Uma série de assistências terminará em abril.

O CICV está no momento avaliando a capacidade dos agricultores de Shida Kartli para cuidar de suas terras. Dada à perda de colheitas no ano passado, acesso limitado aos campos – devido à insegurança ou à contaminação por resíduos explosivos de guerra – e má irrigação, os agricultores podem necessitar assistência durante todo o ano. O CICV também está ava liando as necessidades das pessoas que eram originalmente do vale de Kodori e que agora estão deslocadas em Svaneti.

  Visitas a detidos  

Na Geórgia, o CICV visita regularmente centros de detenção para monitorar as condições de vida e o tratamento que os detidos recebem, em especial aqueles relacionados com o conflito recente.

Desde o início das hostilidades, o CICV em Tskhinvali tem tomado providências para assegurar que consiga visitar todos os detidos relacionados com o conflito. O objetivo das visitas do CICV é avaliar o tratamento que os detidos recebem e as condições de detenção.

  Desaparecidos  

As pessoas que buscam seus parentes desaparecidos continuam contatando o CICV em Tskhinvali, Gori, Tbilisi e Moscow. Hoje, 37 famílias ainda não têm notícias de seus entes queridos. O CICV faz o acompanhamento de cada caso de pessoa desaparecida durante o conflito e o resultado disso com as autoridades pertinentes de maneira confidencial. Além disso, um especialista forense do CICV em Tbilisi ajuda as autoridades a identificarem os restos mortais.

Há ainda mais de 1.900 pessoas desaparecidas como resultado de conflitos anteriores na região. O direito das famílias de saberem o destino de seus entes queridos é uma disposição fundamental do Direito Internacional Humanitário e do Direito Internacional dos Direitos Humanos.

  Contaminação por armas  

Minas e material bélico que não explodiram continuam sendo um risco para os civis. Para minimizar esse risco, o CICV estimula a conscientização da população sobre os perigos dos resíduos explosivos de guerra.

Na Ossétia do Sul e Shida Kart li, o CICV coloca cartazes em espaços públicos nas cidades e nas áreas rurais. Também publica em jornais locais anúncios sobre o risco imposto por material bélicos que não explodiram. A organização trabalha junto com autoridades da região e da aldeia para chegar até as pessoas que vivem em áreas rurais. Sempre que possível, trabalha também com a colaboração de voluntários da Cruz Vermelha georgiana. O CICV é avisado cada vez que um resíduo não explodido é encontrado. Depois, transmite as informações relevantes para as organizações e autoridades responsáveis de demarcar as áreas contaminadas e de fazer a limpeza.

  Atividades de prevenção  

A organização regularmente informa aos membros das forças armadas e outros portadores de armas sobre o direito humanitário e o mandato e as atividades do CICV.

  O Movimento da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho: uma resposta coordenada  

Juntamente com a Cruz Vermelha georgiana e a Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, o CICV implementou com sucesso seu programa de assistência no inverno para deslocados internos de Tbilisi. A Cruz Vermelha georgiana também age no apoio psicológico, gerenciamento de desastres e primeiros socorros, como o apoio da Federação Internacional e do CICV. O CICV trabalha com os voluntários da Cruz Vermelha sempre que esta presta assistência.