A delegação regional do CICV em Túnis

15-08-2013 Panorama

A delegação regional de Túnis cobre a Tunísia e o Marrocos / Saara Ocidental. Suas principais atividades incluem visitar detidos na Tunísia, lidar com as consequências humanitárias do conflito no Saara Ocidental, restabelecer o contato entre famílias separadas e promover o Direito Internacional Humanitário (DIH).

Bem-estar dos detidos

Os detidos, assim como seu tratamento e condições de detenção, continuam sendo uma preocupação central para a delegação. Os delegados do CICV realizam as visitas de acordo com os procedimentos operacionais padrões da organização e fazem recomendações confidenciais às autoridades sobre as melhorias que possam ser necessárias. Em 2012, foram visitados 17.900 detidos em 27 centros de detenção na Tunísia.
 

A instituição também trabalha para garantir benefícios duradouros a prisioneiros com o apoio às iniciativas das autoridades para realizar reformas de longo prazo no sistema penitenciário, abordando principalmente o problema da superpopulação. Além disso, apoiamos os programas de treinamento que têm por objetivo melhorar as relações entre os funcionários prisionais e os detentos.

Manter e restabelecer os laços familiares

As pessoas que moram nos países atendidos pela delegação podem manter contatos com familiares detidos ou internados no exterior através de Mensagens Cruz Vermelha, videoconferências e chamadas telefônicas. Também oferecemos estes serviços a migrantes oriundos de outras partes da África para que possam manter contato com seus parentes. O CICV também permite que sejam apresentadas solicitações de busca de familiares cujo paradeiro seja desconhecido. Este é o caso de muitas pessoas que têm parentes no Iraque, Líbano e, mais recentemente, na Síria.

Consequências do conflito do Saara Ocidental

A organização mantém diálogo com as autoridades marroquinas e a Frente Polisário com a finalidade de tentar averiguar o paradeiro de pessoas que ainda se encontram desaparecidas desde o conflito no Saara Ocidental ocorrido entre 1975 e 1991. As pessoas com deficiências decorrentes do conflito e que moram hoje em campos de refugiados em Sahrawi, no sudoeste da Argélia, são atendidas no centro de próteses e reabilitação do CICV, criado em 2007, o qual produz membros artificiais e artigos ortopédicos. Em 2012, prestou serviços de reabilitação física para 570 refugiados de Sahrawi.
 

A instituição propicia apoio técnico e financeiro para o programa anual de conscientização sobre minas do Crescente Vermelho do Marrocos que se concentra no sul do país e para os projetos de microcrédito em benefício das famílias das vítimas das minas.

Promoção do Direito Internacional Humanitário

A promoção do Direito Internacional Humanitário (DIH) e a incorporação dos tratados às legislações nacionais é uma prioridade para o CICV. A delegação organiza seminários para funcionários públicos, juízes, jornalistas, acadêmicos e a sociedade civil em geral. Mantém igualmente contato com as forças armadas e de segurança da região, apoiando o treinamento na área de DIH e princípios humanitários.

Apoio às Sociedades Nacionais do Crescente Vermelho da região

O CICV auxilia as Sociedades Nacionais do Crescente Vermelho a expandirem suas atividades, em especial em relação ao restabelecimento de laços familiares. Ajuda-os também a incrementar sua capacidade de resposta em situações de violência e outras emergências.

Foto

Um homem de Sahrawi com uma deficiência em um centro de reabilitação física do CICV. 

Um homem de Sahrawi com uma deficiência em um centro de reabilitação física do CICV.
© CICV / M. Ben Ahmed / tn-e-00115