Álbuns de fotos: fotos realmente importantes

Fotos estão ajudando pessoas no Sudão do Sul a encontrar seus entes queridos.

17 abril 2019
Álbuns de fotos: fotos realmente importantes

Todo mundo adora fotos: o Facebook, o Twitter, o Instagram e o Snapchat estão cheios delas. Usamos fotos para rir, lembrar, criar, reclamar, mostrar e promover. Compartilhamos milhões de fotos todos os dias. Mas quantas delas têm impacto?

No Sudão do Sul, o impacto foi claro: com 2 mil fotos, mais de 500 pessoas encontraram seus familiares depois de ter sido separados pela guerra.

O sistema é assim: uma simples câmera, uma única foto e um álbum que viaja por aí. Nós os chamamos de álbuns de fotos.

.

No mundo digital, esquecemos quem não tem acesso à tecnologia – nem sequer a uma rede de telefonia móvel.

"Soluções básicas podem levar esperança a muitas pessoas que enfrentam grandes dificuldades. Após um desastre natural, uma guerra ou a eclosão de violência, as pessoas podem perder contato entre si e nunca mais ver ou saber o que aconteceu com seus familiares. Em muitos locais, como na Europa, é possível buscar facilmente pessoas perdidas pela internet, mas em um país que foi devastado pelo conflito, encontrar familiares pode ser muito mais difícil e as pessoas podem passar anos sem saber o paradeiro dos seus entes queridos", explica Cellou Mamadou Bah, diretor do programa de Restabelecimento de Laços Familiares do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) no Sudão do Sul.

Dez álbuns de fotos foram produzidos desde 2005, em cooperação com as Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha, com fotos tiradas em diferentes locais no Sudão do Sul e na Etiópia. Esses álbuns foram levados para campos de refugiados em cinco países: Sudão, Etiópia, Uganda, Quênia e Congo, e foram publicados no site do programa.

O sistema é simples: as pessoas que perderam contato com seus entes queridos olham todas as fotos no álbum para buscar seus familiares. Se virem uma foto deles, verifica-se o laço familiar com várias perguntas e elas são colocadas em contato por meio de um telefonema ou de uma mensagem escrita. Quando a pessoa separada é um menor ou um adulto vulnerável, com o consentimento de todos, ela é reunificada no Sudão do Sul.

Para mais informações sobre o programa de Restabelecimento de Laços Familiares e as ferramentas que empregamos para reunificar famílias, visite nosso webpage.