Camarões Esperanças de uma vida melhor lavada pela chuva. Taher Liman / CICV

Camarões: a esperança de uma vida melhor destruída pela chuva

No departamento de Logone-et-Chari, na região do Extremo Norte de Camarões, as fortes chuvas devastaram 70% dos campos de sorgo, feijão e arroz. A esperança está sendo destruída em uma parte do país onde muitas pessoas já enfrentam as dificuldades causadas pela guerra.
Artigo 10 dezembro 2020 Camarões

Desde 2014, os enfrentamentos na Bacia do Lago Chade vem forçando repetidamente um grande número de pessoas a fugir das suas casas. Para sobreviver, muitas vezes elas dependem do apoio das comunidades que as acolhem e da ajuda humanitária. Nos últimos anos, essas comunidades tiveram que enfrentar uma ameaça adicional, que desafiou a sua resiliência.

As chuvas irregulares e, às vezes, muito fortes levaram a ciclos de inundações e secas, o que agravou a situação de vulnerabilidade em que já se encontravam as pessoas deslocadas e as comunidades que as acolhem por causa dos enfrentamentos. Este ano, a inundação deixará a população sem colheita de arroz, feijão ou sorgo.

"Eu e a minha família fugimos da nossa aldeia porque já não era segura. Acabamos indo para Ndogoré, onde nós mesmos construímos uma segunda casa. Estamos preocupados com a chuva e as inundações, porque destroem nossos campos e nossas plantações. Este ano, nossos recursos são limitados e os alimentos, escassos".

Itta Abali, uma pessoa deslocada

No final de outubro, entregamos alimentos e outros utensílios domésticos para pessoas vulneráveis nas cidades de Blangoua, Makary e Tildé, no departamento de Logone-et-Chari.

Devido ao bloqueio de algumas estradas, foram usados barcos de fundo chato para transportar suprimentos para as comunidades mais afetadas pelas inundações.

Para limitar os danos de inundações futuras, contratamos cerca de 250 moradores locais que nos ajudarão a reconstruir o dique em Tildé. Esse dique protege aproximadamente 5,5 mil pessoas na área.

As inundações salientaram as divergências que já existiam por causa do conflito entre as comunidades. Devido a que muitas famílias dependem de seus rebanhos, estão aumentando as tensões pelo acesso à terra entre os agricultores e os criadores de gado.

Em colaboração com a Sociedade da Cruz Vermelha dos Camarões, distribuímos 25 mil quilos de arroz, 5 mil litros de óleo e outros artigos domésticos essenciais para 1,5 mil lares para ajudá-los a atender suas necessidades mais urgentes.

Continuaremos nossos esforços para assistir essas comunidades durante este momento difícil, oferecendo ajuda para reconstruir suas casas e dinheiro para cobrir suas necessidades imediatas. Também distribuiremos sementes e ferramentas para ajudá-las a proteger suas próximas colheitas.