Camarões: Fadimatou recebe ajuda vital depois de fugir do conflito no norte do país

31 maio 2016
Camarões: Fadimatou recebe ajuda vital depois de fugir do conflito no norte do país
Fadimatou é uma das 35 mil pessoas que receberam alimentos durante esta distribuição. CC BY-NC-ND / CICV / Taoffic Touré

Apesar dos repetidos enfrentamentos no seu vilarejo, Fadimatou Abbas não queria deixar Fotokol, que está no extremo norte de Camarões, a poucos quilômetros da fronteira com a Nigéria. Mas em meados de janeiro de 2016, um acontecimento importante a fez mudar de ideia.

"Um dia, no início da manhã, uma granada explodiu no nosso quintal. Destruiu parte da nossa casa e muitos dos nossos pertences se perderam com o incêndio", lembra.

Temendo pela sua vida e a da sua família, Fadimatou, de 25 anos, decidiu fugir junto com os quatro filhos, o marido e os dez filhos do casamento anterior do seu marido. Depois de caminhar durante muitos dias, chegaram à cidade de Maltam, que atualmente é o lar de mais de seis mil pessoas. Decidiram ficar até que fosse seguro voltar para casa.

Mas Maltam também sente os efeitos do conflito. Os moradores têm de dividir o pouco que têm com os recém-chegados, a atividade econômica desacelerou e não há empregos. A área já sofria os efeitos do clima, e a violência tornou os problemas ainda piores. O marido de Fadimatou foi procurar emprego em Kousseri, 30 quilômetros ao sul de Maltam. Conseguiu alguma coisa, mas ainda tem dificuldade de suprir as necessidades da família. O dinheiro que manda para casa mal alcança para cobrir as necessidades das crianças, incluindo os custos para mandá-las à escola.

Primeiro, pensei que essa visita não ia dar em nada. Outros vieram, mas ninguém nunca voltou.

Então, a equipe do CICV chegou a Maltam e começou a cadastrar as pessoas deslocadas pelo conflito. Isso trouxe um pouco de esperança, embora Fadimatou fosse cética: "Primeiro, pensei que essa visita não ia dar em nada", contou Fadimatou. "Outros vieram, mas ninguém nunca voltou." Mas hoje, ela recebeu 75 quilos de sorgo, 25 quilos de feijão-fradinho, 1 quilo de sal, 10 litros de óleo e 12 quilos de farinha enriquecida. Essa entrega poderia ajudar a preencher o vazio que o conflito criou no seu estoque. "Eles nos prometeram cinco outras distribuições como essa até o final do ano. Espero que possam manter a sua palavra", concluiu com um sorriso.

Cette première distribution redonne un peu d'espoir à Fadimatou et ses enfants.

Esta primeira distribuição trouxe um pouco de esperança para Fadimatou e os seus filhos. CC BY-NC-ND / CICV / Taoffic Touré

No total, o CICV distribuiu alimentos para mais de 35 mil pessoas deslocadas e 8,2 mil moradores em quatro cidades e vilarejos no departamento de Logone-et-Chari, incluindo Maltam. Poucos dias depois, essas pessoas também receberam lonas de plástico, esteiras para dormir, utensílios de cozinha, cobertores e artigos para a higiene feminina.

Receba o boletim do CICV