Colômbia: deslocamento

12 março 2015

O sofrimento dos deslocados individuais foi um motivo de preocupação em 2014. Embora não tenham aparecido nas notícias, milhares de pessoas fugiram sozinhas da violência, geralmente rumo a municípios sem capacidade para apoiá-las. Em alguns casos, passaram até três meses sem receber ajuda.

Outra preocupação do CICV com respeito ao deslocamento foi a persistência de casos massivos, isto é, de mais de 50 pessoas. A organização humanitária atendeu a vinte dessas emergências, duas a mais que em 2013.

Uma comunidade indígena deslocada recebe alimentos e artigos de higiene em uma zona rural de Buenaventura. ©CICV/Ismael Sánche

Resposta do CICV

  • 13 mil pessoas deslocadas melhoraram a sua situação ao receber alimentos, utensílios domésticos, artigos de higiene ou dinheiro para cobrir necessidades básicas.
  • Cinco comunidades – cerca de três mil pessoas – que retornaram às suas terras após deslocar se beneficiaram com as intervenções produtivas.
  • 4,3 mil deslocados contaram com abrigos com acesso a água, saneamento básico e higiene.
  • Através de um programa de emprego para vítimas da violência, 500 pessoas – na maioria deslocadas – tiveram contratos de trabalho que lhes permitiram sustentar as suas famílias (quase 1,9 mil pessoas). Além disso, 350 pessoas receberam formação para melhorar as suas habilidades profissionais.

 Fazer download do Relatório
 Colômbia 2014 (em espanhol)