Colômbia: mortes e ameaças

12 março 2015

Na Colômbia, ainda é comum que os civis não só fiquem no meio dos combates, mas também, com frequência, que sejam vítimas de perseguição direta pelas partes em conflitos e outros grupos armados.

Em 2014, o CICV documentou 56 mortes de civis e outras pessoas protegidas pelo Direito Internacional Humanitário (DIH) e pelo Direito Internacional dos Direitos Humanos (DIDH). Além disso, conheceu 655 casos de pessoas ameaçadas, a quem prestou assistência. Também ajudou cerca de três mil pessoas feridas ou doentes.

Após conhecer as preocupações da população civil sobre assuas condições de segurança, o CICV lembras as partes em conflito da sua obrigação de proteger os civis. ©CICV/Didier Revol

Resposta do CICV

  • 655 pessoas cujas vidas corriam perigo receberam apoio do CICV para se dirigir a um local seguro.
  • As famílias de cerca de 80 pessoas mortas puderam pagar um enterro digno e receberam acompanhamento para ter acesso ao atendimento estatal.
  • No seu diálogo permanente com todas as partes em conflito e outros grupos, o CICV insistiu no respeito à vida dos civis.

 Fazer download do Relatório
 Colômbia 2014 (em espanhol)