Iêmen: cólera em contexto de guerra

17 agosto 2017
Iêmen: cólera em contexto de guerra
Um pai acompanha a filha, com cólera no Iêmen. CC BY-NC-ND / CICV / R. El Hage

O Iêmen enfrenta a maior crise humanitária do mundo, com 20 milhões de pessoas precisando de ajuda.

Agora, o país é afetado por um surto de cólera.

Em 5 de maio, o Ministério da Saúde e População declarou estado de emergência. Em menos de três meses, foram registrados mais de 500 mil casos suspeitos e  2 mil mortes decorrentes da doença. O número de suspeitos agora deve dobrar, com 600 mil casos no final deste ano.

Como o sistema de assistência à saúde do Iêmen foi destruído em dois anos de guerra, os profissionais se esforçam para lidar com a crise. Apenas 45% dos hospitais funcionam, com escassez de remédios e material médico.

O surto de cólera no Iêmen continua se espalhando com muita velocidade e a expectativa é de que haja 600 mil casos até o final do ano, o dobro de casos registrados no momento.

A maior crise humanitária do mundo agora é agravada por um surto de cólera. CC BY-NC-ND / CICV / Ralph El Hage

"Enfrentamos um grave surto de cólera", afirmou o diretor de operações do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), Dominik Stillhart, em entrevista coletiva no mês passado em Sanaa. Os hospitais carecem de funcionários e estrutura para acomodar todos os doentes que chegam. Até quatro pessoas dividem a mesma cama.

"Há pacientes no jardim, e alguns inclusive dentro dos seus carros, com o soro pendurado na janela", acrescentou.

As chuvas fortes e a falta de coleta de lixo ajudam a propagar a infecção.

O CICV está no terreno fornecendo terapia intravenosa, sais para reidratação oral, antibióticos e pastilhas de cloro a 12 estabelecimentos de saúde nas zonas mais afetadas. Também trabalhamos para melhorar as condições de higiene e saneamento em 11 centros de detenção no país. Mas é preciso fazer mais.

Apoie o nosso trabalho

Receba o boletim do CICV