Iêmen: milhões de pessoas se preparam para o Ramadã em meio a inundações, conflitos e ameaça do coronavírus

23 abril 2020
Iêmen: milhões de pessoas se preparam para o Ramadã em meio a inundações, conflitos e ameaça do coronavírus
Os deslocados acampam em Marib para as famílias que escaparam dos crescentes confrontos em Al Jawf, norte do Iêmen. Abdullah ALGARADI/CICV

CICV (Sanaa) - As pessoas no Iêmen celebrarão o mês sagrado do islã este ano em meio a um conflito, doenças sazonais, inundações e aumentos de preços, em um país onde a situação econômica não permite que dois terços da população tenham acesso ou possam comprar comida suficiente.

A ameaça do coronavírus está também na mente das pessoas, com um caso confirmado em um país de quase 29 milhões de habitantes. O sistema de saúde do Iêmen é frágil e está sob pressão: metade de todos os estabelecimentos de saúde não está funcionando e apenas na semana passada foram reportados 500 casos de cólera em 24 horas em um hospital que recebe apoio do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) na capital do país, Sanaa.

"Os iemenitas suportam muitas privações todos os dias. O conflito em curso em diferentes partes do país causa um desespero diário, as doenças infecciosas cobram milhares de vidas todos os anos e a alta inflação afeta o preço dos alimentos, remédios e outros artigos básicos. A COVID-19 é mais uma preocupação para uma população que já está tão vulnerável", afirma o chefe da delegação do CICV em Sanaa, Franz Rauchenstein.

O início da época das chuvas já trouxe sofrimento para milhares de pessoas. Sanaa, Ibb, Hajjah e a cidade portuária de Aden já tiveram chuvas torrenciais e enchentes fatais durante duas semanas, o que afetou a milhares de pessoas e destruiu parcialmente casas e comércios.

Os voluntários do Crescente Vermelho Iemenita responderam as inundações, resgatando pessoas e evacuando famílias ao mesmo tempo em que distribuem utensílios domésticos básicos, como cobertores, em Sanaa. Com o apoio do CICV e de outros parceiros do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (Movimento), o Crescente Vermelho Iemenita está atualmente avaliando as necessidades em Aden para poder ajudar as pessoas nessa cidade.

Enquanto isso, na província de Marib, as inundações destruíram as barracas das pessoas que vivem em campos de deslocados. Muitas pessoas que receberam ajuda do CICV no mês passado precisam mais uma vez de assistência urgente. As inundações também afetadas muitas outras pessoas na cidade de Marib.

A ameaça da COVID-19 também é iminente sobre as celebrações do Ramadã, período durante o qual famílias e amigos tradicionalmente se reúnem para rezar, sair do jejum e fazer visitas sociais.

"Os hospitais do Iêmen já estão sob uma importante pressão, mesmo sem a ameaça do coronavírus. Eles regularmente atendem pacientes feridos de guerra e o início do Ramadã este ano coincide com o início da temporada de chuvas e o aumento das doenças infecciosas sazonais, incluindo o cólera, a difteria e a dengue. Com a iminente ameaça da COVID-19, é mais importante do que nunca continuar apoiando os estabelecimentos de saúde e os lugares de detenção para implementar medidas de mitigação com o objetivo de manter em funcionamento os serviços de saúde vitais no Iêmen'', declarou a coordenadora de saúde do CICV no Iêmen, Avril Patterson.

O CICV apoia as autoridades com medidas preventivas em lugares de detenção, água e saneamento para aumentar os padrões de higiene e o acesso à água potável, e ajuda os estabelecimentos de saúde que recebem apoio da organização como hospitais, postos de saúde e centros de diálises com a doação de produtos desinfetantes e treinamento.

Junto com os nossos parceiros do Crescente Vermelho Iemenita, o CICV apoiando essa Sociedade Nacional na distribuição de artigos de higiene, utensílios domésticos e de cozinha para os estabelecimentos de quarentena montados pelas autoridades locais. Ademais de campanhas informativas, incluindo gravações de áudios com medidas práticas de prevenção contra a COVID-19 e conscientização da comunidade.

Nota para editores:

O CICV assistiu com ajuda alimentar a mais de 650 mil pessoas no Iêmen no ano passado e possibilitou que mais cinco milhões de pessoas tivessem acesso a água potável com os programas de água e saneamento.

O CICV tratou mais de 25 mil pacientes feridos de guerra e prestou serviços de saúde para mais 89 mil pessoas com deficiência no ano passado. Fornece material hospitalar e, em alguns casos, remédios para 55 hospitais, 14 centros de diálise e 26 clínicas em todo o país, incluindo Sanaa, Aden e Bajil.

A resposta do CICV à COVID-19 no Iêmen também incluiu treinamento, informações preventivas e distribuição de materiais para apoiar os estabelecimentos de saúde e lugares de detenção assim como comunidades afetadas pelo conflito.

 

Mais

Yara Khaweja, porta-voz do CICV para o Iêmen, +961 70 661 374, ykhaweja@icrc.org
Sarah Alzawqari, porta-voz do CICV para o Oriente Médio, Beirute +961 3138 353, salzawqari@icrc.org
Ruth Hetherington, porta-voz do CICIV para o Oriente Médio, Genebra +41 79 447 3726, rhetherington@icrc.org