Israel e territórios ocupados: principais fatos e números de 7 de outubro de 2023 a 30 de abril de 2024

Israel e territórios ocupados: principais fatos e números de 7 de outubro de 2023 a 30 de abril de 2024

Sete meses após o início das recentes hostilidades entre Israel e o Hamas e outros grupos armados em Gaza, a violência – sem precedentes em escala e natureza – continua causando graves consequências à população civil em Israel e no território palestino ocupado.
Artigo 08 maio 2024 Israel e territórios ocupados

Baseando-se em seu forte mandato e sua presença duradoura, e aproveitando inicialmente a sua capacidade de emergência instalada, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) adaptou e intensificou rapidamente sua resposta para atender às novas necessidades em Israel e Gaza. Também reforçou sua resposta na Cisjordânia para abordar as consequências humanitárias do aumento acentuado da violência, fortalecendo ainda mais a capacidade das pessoas de lidar com o impacto das políticas de ocupação prolongada.

O CICV trabalha em estreita coordenação com seus parceiros do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, em particular com o Crescente Vermelho Palestino e o Magen David Adom, e continua trabalhando em estreita colaboração com prestadores de serviços locais, comunidades e outros parceiros no terreno.

Apresentamos a seguir um resumo da nossa resposta até agora, incluindo os programas que abordam as necessidades atuais e emergentes em Israel e nos territórios ocupados:

Diálogo sobre respeito ao Direito Internacional Humanitário e proteção de civis

  • Dialogamos com as partes no conflito armado para lembrá-las de suas obrigações no âmbito do Direito Internacional Humanitário (DIH) e, em particular, das normas que determinam a condução das hostilidades, a proteção de pessoas civis e de infraestruturas civis, a proibição da tomada de reféns, a proteção da missão médica, o acesso da população civil aos serviços essenciais, o tratamento e os direitos familiares das detidas e a gestão digna dos restos mortais.
  • Monitoramos o respeito pelo DIH em Israel e nos territórios ocupados, externando nossas preocupações junto às partes em conflito e fazendo recomendações concretas para prevenir violações do DIH e minimizar o sofrimento humano, como parte de nosso diálogo bilateral e confidencial contínuo.
  • Realizamos intervenções diárias em tempo real com o objetivo de garantir uma melhor proteção da população civil e da missão médica.
  • Promovemos um maior entendimento e apoio ao DIH e à ação humanitária baseada em princípios junto a partes interessadas e atores influentes nacionais e internacionais.

Reunião de famílias separadas

  • Facilitamos a libertação, transferência e retorno de 109 reféns de Gaza para suas famílias.
  • Facilitamos a libertação, transferência e retorno de 154 palestinos de locais de detenção israelenses para suas famílias.
  • Recebemos 7.751 solicitações de familiares que buscavam esclarecer o destino e o paradeiro de seus entes queridos por meio dos canais existentes e de linhas diretas de emergência adicionais em árabe, hebraico e inglês. Até o momento, 2.033 casos foram encerrados devido ao restabelecimento de laços familiares.
  • Mantivemos contato com 54 famílias de 86 pessoas feitas reféns em Gaza para recolher informações relevantes e explicar a natureza e as modalidades de nosso trabalho.
  • Entramos em contato com 5.521 famílias de 6.671 palestinos dados como desaparecidos em Gaza para coletar informações relevantes que nos ajudem a esclarecer o destino e o paradeiro de seus entes queridos.

Gestão digna de restos mortais

  • Distribuímos mais de 35 mil itens forenses para facilitar a gestão digna, a identificação e eventual devolução de restos mortais às suas famílias. Foram distribuídos 1,2 mil itens, incluindo máscaras faciais, protetores faciais e sacos de coleta para objetos pessoais em Israel. Mais de 34 mil itens, incluindo máscaras faciais, botas, aventais, etiquetas corporais e sacos mortuários foram distribuídos em Gaza.
  • Prestamos apoio técnico ao Centro Nacional de Medicina Forense de Israel, incluindo recomendações sobre a estruturação de laboratórios de antropologia forense para aumentar a capacidade de identificação em casos complexos. Continuamos trabalhando com o laboratório de DNA de assuntos mortuários das Forças de Defesa de Israel (IDF) para reforçar sua capacidade de gestão em casos complexos de pessoas desaparecidas e mortas em conflitos armados, incluindo o intercâmbio de especialistas com o Centro de Genética do CICV em Tbilisi, Geórgia.
  • Trabalhamos atualmente para avaliar e reforçar a capacidade local em Israel e Gaza de modo a permitir a identificação, recuperação e devolução de restos mortais às suas famílias.

Monitoramento das condições de detenção

  • Continuamos apelando às autoridades israelenses para que voltem a informar o CICV sobre o paradeiro de milhares de palestinos detidos por Israel e permitam a retomada das visitas do CICV e dos contatos familiares de pessoas detidas. Também entramos em contato com mais de 900 pessoas libertadas para coletar informações sobre o tratamento que receberam e as condições de sua detenção, o que serviu de base para nosso compromisso com as autoridades.
  • Continuamos nosso diálogo com o Hamas, pedindo a libertação incondicional dos 131 reféns ainda detidos em Gaza e apelando por seu tratamento humano, acesso à assistência de saúde adequada e restabelecimento do contato com suas famílias. Também pedimos acesso a estas pessoas.
  • Visitamos 424 pessoas detidas em 12 locais de detenção no território palestino ocupado - um em Gaza e 11 na Cisjordânia - para avaliar e monitorar seu tratamento e condições de detenção.

Apoio a pessoas vulneráveis

  • 39.870 pessoas vulneráveis (7.971 famílias) em Gaza, em sua maioria deslocadas internamente pelas hostilidades em curso, receberam assistência em dinheiro para cobrir necessidades básicas.
  • 1.015.471 pessoas deslocadas (203.094 famílias) alojadas em abrigos não pertencentes à ONU em Gaza, Khan Younis e na região central receberam utensílios domésticos essenciais, incluindo cobertores, galões, lonas e kits de higiene.
  • 199.509 pessoas vulneráveis, incluindo crianças, mulheres grávidas e pessoas deslocadas em toda a Faixa de Gaza, receberam barras de alto valor nutricional.
  • 25 mil pessoas vulneráveis receberam uma refeição todos os dias desde meados de março, graças ao apoio do CICV a cinco cozinhas comunitárias em Rafah.
  • 10.079 pessoas vulneráveis receberam pacotes com alimentos prontos para consumo em Gaza.
  • 705 palestinos que estavam detidos e foram libertados por Israel regressaram a Gaza e receberam assistência monetária, 342 das quais receberam vestuário básico.
  • Na Cisjordânia, 545 pessoas vulneráveis (109 famílias) receberam subsídios em dinheiro para apoiar a produção pecuária, 46 estudantes diplomados receberam formação vocacional na Universidade Politécnica de Hebron, seis famílias vulneráveis tiveram acesso a subsídios em dinheiro para iniciar atividades geradoras de renda, e 90 famílias vulneráveis receberam ajuda financeira para ajudá-las a se recuperar das consequências de incidentes de violência específicos na Cisjordânia.
    213 famílias cujas casas foram demolidas em vários locais da Cisjordânia, incluindo Jerusalém Oriental, receberam assistência monetária para ajudá-las a satisfazer suas necessidades imediatas.

Assistência e apoio às respostas médicas de emergência

  • Fornecemos 847,7 toneladas de materiais médicos, incluindo dispositivos ortopédicos, kits para o tratamento de feridos por armas, kits de curativos, medicamentos e kits médicos de emergência para 15 estabelecimentos de saúde locais e para o Ministério da Saúde.
  • Enviamos duas equipes cirúrgicas ao Hospital Europeu de Gaza - especializadas no tratamento cirúrgico de feridos por armas - e vários outros especialistas para prestarem assistência integral à saúde.
  • Implantamos uma equipe extra cirúrgica no hospital de campanha do CICV em Rafah, Gaza - especializada no tratamento cirúrgico de feridos por armas - e vários outros especialistas para assistência integral à saúde.
  • As equipes cirúrgicas que trabalham no Hospital Europeu de Gaza desde 1 de novembro de 2023 realizaram 2.987 procedimentos, dos quais cerca de 94,2% foram intervenções cirúrgicas gerais e os demais foram cirurgias reconstrutivas e ortopédicas; 95% desses procedimentos foram realizados em pacientes feridos por armas de fogo, dos quais cerca de 75% eram homens e 25% mulheres.
    ● Mais de 282 pacientes receberam cuidados pós-operatórios rigorosos, e nossas equipes fizeram 4.722 curativos em pacientes com queimaduras complexas.
    ● Oferecemos cerca de 1,5 mil sessões de apoio emocional desde novembro e conduzimos, desde o final de março, 25 sessões para oferecer aos pacientes, famílias e/ou profissionais de saúde do Hospital Europeu de Gaza atendimento básico de emergência em saúde mental e apoio psicossocial.
    ● Oferecemos 2.633 sessões de reabilitação física e fornecemos 36 cadeiras de rodas a pacientes do Hospital Europeu de Gaza.
    ● Fornecemos cerca de 223 cadeiras de rodas e 1.943 tipos diferentes de dispositivos de assistência (por exemplo, andadores e muletas) aos sete principais hospitais do Ministério da Saúde em toda a Faixa de Gaza (Hospital Europeu de Gaza, Hospital Al Shifa, Hospital Nasser, Hospital Beit Hanoun, Hospital Al Aqsa, Hospital Indonésio e Hospital Al Najjar).
    ● Fornecemos cerca de 300 cadeiras de rodas à Sociedade de Amigos do Paciente do Centro de Reabilitação Abu Raya, em Ramallah.
    ● Fizemos mais de 225 intervenções em tempo real para facilitar o acesso e a passagem segura das ambulâncias do Crescente Vermelho Palestino que prestam assistência médica a pessoas feridas devido à violência na Cisjordânia.
    ● Fornecemos dois equipamentos de tratamento por pressão negativa para feridas ao Hospital Jenin, na Cisjordânia.
    ● Fornecemos mais de mil litros de fluidos intravenosos a estabelecimentos de saúde de emergência na Cisjordânia.
    ● Apoiamos o Crescente Vermelho Palestino na Cisjordânia fornecendo 26 kits de materiais médicos, 2,4 mil litros de fluidos e seis itens protéticos e ortopédicos.
    ● Oferecemos dois cursos de formação à Associação de Centros de Crise de Estupro em Israel, para apoiá-la na organização de oficinas técnicas a seus funcionários, abordando a prestação de serviços de saúde mental e o apoio psicossocial às vítimas de violência sexual em conflitos armados.

Acesso à água potável e à energia

  • Ajudamos mais de 1 milhão de pessoas dentro e ao redor da Cidade de Gaza, Deir Al-Balah, Beit Lahia, Khan Younis e Rafah a recuperar o acesso à água potável através do apoio aos prestadores de serviços locais na operação, abastecimento e reparação de instalações e redes críticas de água e esgoto, e no transporte de água na Faixa de Gaza.
  • Apoiamos 20 mil pessoas deslocadas internamente para permitir seu acesso à água potável em 12 abrigos de Gaza, realizando reparos de emergência em unidades de dessalinização e infraestruturas de saneamento e instalando unidades de tratamento de água alimentadas por energia solar.
  • Ajudamos 95 mil pessoas deslocadas na região central da Faixa de Gaza a terem acesso a água potável, apoiando trabalhos de reparação na central de dessalinização da água do mar e possibilitando que a central retomasse suas operações e duplicasse sua produção, alcançando 1.400 m³ por dia.
  • Equipamos três estruturas do fornecedor local de electricidade em Gaza (GEDCo) com sistemas solares para garantir a continuidade operacional mínima dos serviços. Além disso, oferecemos apoio financeiro e materiais provenientes dos estoques de contingência do CICV para permitir que a GEDCo realizasse reparos de emergência na rede elétrica, protegesse infraestruturas críticas e se preparasse para retomar a oferta do serviço assim que as condições de segurança permitissem.
  • Concluímos a manutenção de geradores em instalações essenciais de tratamento de água e esgoto na cidade de Rafah, possibilitando que estas instalações continuem funcionando e prestando serviços de saneamento que reduzem o risco de doenças transmissíveis para as mais de 1,4 milhão de pessoas que vivem atualmente em Rafah.
  • Apoiamos o fornecimento emergencial de energia e o racionamento de combustível em 14 hospitais de Gaza por meio de projetos já existentes do CICV relacionados à manutenção, otimização e resiliência da frota geradora no setor de saúde pública.
  • Apoiamos a instalação de unidades de osmose reversa em seis hospitais e clínicas em Gaza: Al-Aqsa, Nasser, Najjar, unidades do Hospital Europeu de Gaza, Hospital Maternidade dos Emirados, em Tal Sultan, e a clínica Shuhada, permitindo que mil pacientes em diálise renal e 75 mil pessoas deslocadas internamente em busca de abrigo nestes hospitais tenham acesso à água potável.
  • Construímos mais de 270 latrinas em Al-Mawasi, no sul da Faixa de Gaza, proporcionando melhor acesso ao saneamento para 3 mil pessoas deslocadas que vivem em tendas.
  • Apoiamos o fornecimento emergencial de água e energia para o Hospital Europeu de Gaza, inclusive através da entrega de duas bombas de água, 250 metros de tubulação de água e mais de 1,5 mil metros de cabos para conectar o hospital com poços de água e garantir o seu abastecimento. O apoio significativo prestado antes do atual período de hostilidade (através de geradores, atualização e sincronização de redes elétricas e painéis de distribuição, instalação de películas etc.), somado à assistência prestada pelo CICV, contribuiu para que o Hospital Europeu de Gaza continuasse a funcionar de modo relativamente seguro durante a crise atual.
  • Ajudamos 5 mil pessoas na área H2 de Hebron a terem acesso a sistemas melhorados de águas residuais e drenagem, fornecendo apoio técnico e material ao município de Hebron, na Cisjordânia.
  • Apoiamos a Autoridade Palestina da Água na Cisjordânia para que 6 mil pessoas na vila de Qariout e 13 mil pessoas na vila de Burin tivessem melhor acesso à água.
  • Fornecemos apoio técnico e material ao Conselho da Vila de Ein Al-Beida, no Vale do Jordão, para melhorar o acesso de 1.750 agricultores à eletricidade.
    ● Apoiamos 50 famílias na área H2 de Hebron com painéis solares para melhorar seu acesso à eletricidade.

Prevenção dos riscos de contaminação por armas

Com o Crescente Vermelho Palestino, o CICV ajudou a conscientizar civis, bem como trabalhadores humanitários, profissionais médicos e outros trabalhadores na linha de frente em Gaza, sobre os riscos da contaminação por armas e resíduos explosivos de guerra:

  • Distribuímos mensagens de conscientização por SMS para 800 mil números telefônicos.
  • Distribuímos 10 mil livros de colorir para conscientizar as crianças deslocadas internamente.
  • Promovemos o comportamento mais seguro de 2.783 civis através de campanhas com cartazes e 103 sessões de grupo para populações afetadas atendidas por hospitais, escolas e abrigos.
  • Divulgamos mensagens de conscientização através de estações de rádio locais e plataformas de redes sociais.

Comunicação com as pessoas afetadas

  • Recebemos solicitações de 111.243 pessoas em Gaza, na Cisjordânia e em Israel preocupadas com questões relacionadas à proteção para acompanhamento do CICV.
  • Implementamos duas linhas diretas – em árabe, hebraico e inglês – dedicadas a pessoas que procuram restabelecer contato ou saber o destino e o paradeiro de seus familiares.
  • Reforçamos o Centro de Contato Comunitário (CCC) do CICV em Gaza e instalamos dois centros adicionais para atender as pessoas afetadas pelo conflito e pela violência em Israel e na Cisjordânia.
  • Atendemos 40.092 ligações telefônicas de pessoas em Israel, Gaza e Cisjordânia preocupadas com a perda de contato com entes queridos, buscando apoio para a evacuação de pessoas feridas ou sitiadas pelas hostilidades, ou que solicitaram assistência (por exemplo, itens alimentícios, não alimentícios, água e eletricidade).
  • Continuamos trabalhando em estreita colaboração com as comunidades locais e prestadores de serviços para envolvê-los nas avaliações de necessidades do CICV e na concepção, execução e avaliação de seus programas.