Síria: CICV faz apelo por informações sobre enfermeira neozelandesa e dois sírios sequestrados em 2013

14 abril 2019

Genebra/Damasco (CICV) – O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) faz um apelo público para saber informações sobre três funcionários sequestrados há mais de cinco anos na Síria.

A neozelandesa Louisa Akavi é uma enfermeira experiente, dedicada e resiliente que realizou 17 missões no terreno com o CICV e a Cruz Vermelha da Nova Zelândia.

Alaa Rajab e Nabil Bakdounes, ambos de nacionalidade síria, trabalhavam como motoristas do CICV prestando assistência humanitária no país. Eram maridos dedicados e pais cuidadosos.

Em 13 de outubro de 2013, os três viajavam em um comboio da Cruz Vermelha distribuindo suprimentos a centros de saúde em Idlib (noroeste da Síria), quando homens armados detiveram os veículos e sequestraram sete pessoas. Quatro foram soltas no dia seguinte.

Durante os vários anos em que Louisa tem sido mantida pelo grupo Estado Islâmico, o CICV se esforçou de maneira reiterada e contínua para conseguir sua liberdade, enquanto as dinâmicas na Síria continuam a mudar. A última informação confiável que recebemos indica que ela estava viva no final de 2018. O CICV nunca pôde ter mais notícias sobre Alaa e Nabil, cuja sorte é desconhecida.

"Os últimos cinco anos e meio foram extremamente difíceis para as famílias dos nossos três colegas sequestrados. Louisa é uma verdadeira e compassiva trabalhadora humanitária. Alaa e Nabil foram colegas comprometidos e uma parte integral de nossas distribuições de ajuda", afirma Dominik Stillhart, diretor de operações do CICV. "Apelamos a qualquer um que tenha informações que por favor nos ajude. Se os nossos colegas ainda estão em cativeiro, pedimos a sua libertação imediata e incondicional."

Após a queda do último território controlado pelo grupo Estado Islâmico, o CICV teme que haja mais riscos de perder o rastro de Louisa, embora mantenha a esperança de que este período traga novas oportunidades de saber mais sobre o seu paradeiro e bem-estar. A organização lembra a todos que ela é vítima de um sequestro e tem sido mantida há muitos anos no cativeiro.

"Nós nos pronunciamos hoje para honrar e reconhecer publicamente as dificuldades e o sofrimento de Louisa, Alaa e Nabil", diz Stillhart. "Queremos também que nossos três colegas saibam que continuamos sempre procurando por eles e que estamos fazendo todo o possível para encontrá-los. Ansiamos pelo dia em que possamos revê-los."

Nota para a imprensa:
Os familiares de Louisa, Alaa e Nabil não querem ser contatados para entrevistas. Pedimos que esse desejo seja respeitado.

O site www.icrcnewsroom.org disponibiliza uma declaração em vídeo sobre este pedido de informações feito pelo diretor de operações do CICV, além de imagens do CICV no terreno na Síria.

Telefone de contato para informar sobre nossos colegas: +963 953 555 745

Mais informações:

Comitê Internacional da Cruz Vermelha:

Ewan Watson, CICV Genebra, tel: +41 79 244 64 70
Anastasia Isyuk, CICV Genebra, tel: +41 79 251 93 02
Sara Alzawqari, CICV Beirute, tel: +961 3 138 353
Matt Morris, CICV Londres, tel: +44 7753 809471
Anna Nelson, CICV Washington, tel: +1 202-255-2715
Pawel Krzysiek, CICV Bangkok, tel: +66 81 950 12 70

Cruz Vermelha da Nova Zelândia:

Ellie van Baaren, gerente de comunicação, Cruz Vermelha da Nova Zelândia, tel: +64 27 541 1267