Síria: CICV faz apelo a todos os lados em conflito que cessem a violência indiscriminada em Aleppo

29 abril 2016
Síria: CICV faz apelo a todos os lados em conflito que cessem a violência indiscriminada em Aleppo
Hospital Al Quds em Aleppo, que recebe apoio do CICV, MSF e outras organizações, foi destruído em um ataque na terça-feira, 27 de abril de 2016. © Karam Al-Masri/AFP

Damasco/Genebra - Em mais um dia de devastação em Aleppo, outros quatro estabelecimentos médicos em ambos os lados das linhas de frente foram atingidos, causando grandes estragos. À medida que centenas de granadas, bombas e morteiros continuam chovendo sobre a cidade, mantando mais civis, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) faz um apelo para o fim imediato dos ataques.

"Não existe justificativa para esses terríveis ataques violentos deliberados a hospitais e clínicas, que estão proibidos segundo o Direito Internacional Humanitário (DIH). As pessoas continuam morrendo nesses ataques. Não existem mais lugares seguros em Aleppo. Nem mesmo os hospitais", afirmou a chefe do CICV na Síria, Marianne Gasser. "Pelo bem da população em Aleppo, pedimos a todos que cessem essa violência indiscriminada."

Dezenas de pessoas morreram ou foram feridas em outro dia de confrontos ininterruptos hoje em Aleppo. Os estabelecimentos de saúde atingidos hoje são: Policlínica Al Marjah, Policlínica Bustan Al Qassar e Centro de Diálise Shawki Hill e o Hospital Cardíaco Ibn Rashid.

Os ataques ocorreram após a destruição do Hospital Al Quds, na noite de quinta-feira, com importante perda de vidas entre pacientes e profissionais de saúde.

Milhares de moradores de Aleppo estão sujeitos a bombardeios e enfrentamentos e o CICV alertou que, devido à intensificação dos confrontos nos últimos dias, milhões de pessoas enfrentam uma catástrofe humanitária, já que é cada vez mais difícil chegar às vítimas e levar ajuda.

Mais informações:
Pawel Krzysiek, CICV Damasco, tel: +963 930 336 718
Francis Markus, CICV Genebra, tel: +41 22 730 23 28 or +41 70 244 64 24

Receba o boletim do CICV