Síria: civis necessitam com urgência de segurança e assistência vital em meio a deslocamentos sem precedentes

25 fevereiro 2020
Síria: civis necessitam com urgência de segurança e assistência vital em meio a deslocamentos sem precedentes
Um grupo de pessoas deslocadas da Síria num abrigo subterrânero no vilarejo de Taltouna, a 17 quilômetros da cidade de Idlib, Síria. epa/YAHYA NEMAH

Genebra (CICV) – O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) está profundamente preocupado com a rápida deterioração das condições de vida de centenas de milhares de novos deslocados na região de Idlib, que estão ficando sem opções para encontrar segurança básica para si próprios e suas famílias.

“Esta é a pior onda de deslocamentos que já vimos durante o conflito na Síria. Em meio às duras condições do inverno em Idlib, vemos pessoas encurraladas, isoladas e sem nenhum recurso. Isso é completamente inaceitável", afirma de Genebra Fabrizio Carboni, diretor do CICV para o Oriente Próximo e Médio.

A piora do acesso à assistência médica e aos artigos de primeira necessidade em Idlib cria situações que ameaçam a vida dos civis, levando a mortes que poderiam ser evitadas. As principais consequências humanitárias das hostilidades na região incluem o menor acesso à assistência à saúde, condições de vida precárias e a limitação dos movimentos dos moradores de um lugar para outro.

"Instamos todas as partes envolvidas a permitirem que os civis possam se refugiar em um lugar seguro, seja dentro das áreas que controlam ou através das linhas de frente. Isso protegerá a sua vida, dignidade, saúde e bem-estar", disse Carboni.

Idosos, pessoas com deficiência e outros grupos vulneráveis são os mais afetados pela escassez de artigos e serviços essenciais. Crianças privadas dos nutrientes indispensáveis para o seu crescimento podem sofrer consequências ao longo da vida. O frio, a umidade e a neve agravam as duras condições que a população enfrenta diariamente.

Quando os civis se veem obrigados a fugir por motivos de segurança, devem-se adotar todas as medidas possíveis para evitar que os membros da mesma família sejam separados e garantir a todos os deslocados condições satisfatórias de abrigo, higiene, saúde, segurança e nutrição.

O Direito Internacional Humanitário (DIH) protege os civis e os bens civis contra os ataques diretos. Morteiros e foguetes não devem ser lançados de forma indiscriminada contra áreas povoadas em ambos os lados das linhas de frente, já que os ataques indiscriminados são proibidos. Hospitais, mercados e escolas não devem ser alvos.

Como os combates prosseguem e as linhas de frente mudam de forma constante, o acesso dos voluntários e profissionais humanitários é difícil e arriscado. No entanto, sempre que a situação permitir, o CICV e o Crescente Vermelho Árabe Sírio reiteram que estão prontos para intensificar a resposta humanitária. Instamos todas as partes a darem garantias de acesso e segurança para que possamos responder de forma adequada às necessidades das pessoas em ambos os lados das linhas de frente.

Mais informações:

Ingy Sedky, porta-voz do CICV na Síria
Email: isedky@icrc.org
Whatsapp apenas: +963 993177769

Sarah Alzawqari, porta-voz do CICV para o Oriente Médio e Norte da África
salzawqari@icrc.org
Cel: +961 3 13 83 53

Ruth Hetherington, porta-voz do CICV para o Oriente Médio e Próximo, Genebra +41 79 447 3726

email: rhetherington@icrc.org