Síria: cresce o número de civis mortos e deslocamentos em massa no noroeste do país

31 janeiro 2020
Síria: cresce o número de civis mortos e deslocamentos em massa no noroeste do país
Síria – Aleppo – Shlter Project/WatHab. Um Mohammad, de 56 anos, viúva e mãe de dois filhos. Sua casa foi totalmente destruída pelo conflito. Yousef Ali, CICV

Genebra (CICV) – Ataques contra civis e bens civis no noroeste da Síria se intensificaram nas primeiras semanas de 2020, matando muitas pessoas e obrigando mais de 150 mil a deixarem as suas casas somente em janeiro.

A violência na cidade de Aleppo atingiu um nível que não era visto desde 2016, com diversos bairros afetados por bombardeios. Enquanto isso, no oeste da zona rural de Aleppo e em toda a província de Idlib, combates ferozes provocam um sofrimento crescente para as famílias.

"Temos visto bombardeios contínuos nos últimos dias na cidade de Aleppo. Em Idlib e no oeste da zona rural de Aleppo, os confrontos estão em curso há meses", afirma Lorenzo Redalié, chefe do escritório do CICV em Allepo. "Se não forem tomadas medidas de precaução, o número de vítimas será ainda maior. Seremos deixados com sobreviventes gravemente traumatizados e serviços à beira do colapso."

O CICV reitera o apelo a todas as partes em conflito: não ataquem os civis nem os bens civis. Respeitem e protejam as equipes médicas, as ambulâncias e os estabelecimentos de saúde, que cuidam dos doentes e feridos. Respeitem e protejam as pessoas que não participam dos combates, em especial crianças, mulheres e idosos. Permitam que os profissionais humanitários realizem o seu trabalho de assistir os que permanecem encurralados no fogo cruzado. O não cumprimento das normas da guerra tem consequências humanitárias desastrosas que podem durar anos.

As normas da guerra foram criadas para proteger as pessoas que não participam das hostilidades e a infraestrutura, que é vital para a sua sobrevivência e para a reconstrução de suas vidas após o fim dos confrontos.

O CICV, em conjunto com o Crescente Vermelho Árabe Sírio, reafirma que está pronto para aumentar a resposta humanitária em ambos os lados da linha de frente, a fim de assistir as pessoas afetadas pelo conflito no noroeste da Síria.

Mais informações para a imprensa:
Ingy Sedky, porta-voz do CICV na Síria
E-mail: isedky@icrc.org
WhatsApp (somente): +963 993177769
(Para uma entrevista com o chefe do escritório do CICV em Aleppo, Lorenzo Redalié, entre em contato com Ingy Sedky)
Sarah Alzawqari, porta-voz do CICV para o Oriente Médio e o Norte da África
salzawqari@icrc.org
Celular: +961 3 13 83 53