Síria: é preciso facilitar o trabalho humanitário para salvar vidas no nordeste

09 outubro 2019
Síria: é preciso facilitar o trabalho humanitário para salvar vidas no nordeste
Uma visão geral do campo de deslocados al-Hol em Hasaka, Síria/ REUTERS/Ali Hashisho

Genebra (CICV) – Depois de oito anos de conflitos, 11,7 milhões de pessoas em toda a Síria requerem ajuda humanitária. Diante dessa necessidade, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha está profundamente preocupado com a possibilidade de que qualquer escalada no nordeste do país possa prejudicar uma população que já sofre muitas dificuldades.

"Hoje, centenas de milhares de pessoas nessa área – seja em centros de detenção, ou em suas próprias aldeias e cidades – enfrentam novamente a perspectiva de mais conflitos", disse o diretor regional para o Oriente Médio e Próximo do CICV, Fabrizio Carboni. "As necessidades humanitárias na Síria são imensas e o CICV está tentando satisfazê-las em um ambiente que já é incrivelmente complexo. O espaço humanitário deve ser preservado".

No nordeste da Síria (nas províncias de Hassakeh, Raqqa e Deir Ezzor), atualmente mais de 100 mil pessoas se encontram alojadas em campos, a grande maioria delas são sírios e iraquianos. Há mais de 68 mil pessoas morando somente no campo Al Hol – dois terços delas são crianças –, onde o CICV administra um hospital de campanha.

Anos de violentos combates deixaram a maioria dos serviços essenciais da Síria extremamente frágeis. A metade dos estabelecimentos de saúde da Síria não funciona ou funciona parcialmente. Dois milhões de crianças não podem ir à escola, o que lança mais uma sombra sobre o futuro do país. Um em cada dois sírios foi deslocado por causa do conflito, para fora ou dentro do país.

Mais informações:

Ruth Hetherington, CICV Genebra, +41 79 4473726, rhetherington@icrc.org
Jason Straziuso, CICV Genebra, +41 79 9493512, jstraziuso@icrc.org
Matthew Morris, CICV Londres, + 44 7753 809471, mmorris@icrc.org
Anna Nelson, CICV Washington, +1 202 255 2715, anelson@icrc.org